Billabong Pipe Masters

Filipe e Adriano seguem na luta do título mundial no Billabong Pipe Masters

WSL South America

Highlights: Round 2 Pipe Masters
Concorrentes ao título mundial, Filipe e Adriano, seguem na briga.

O mar baixou, o swell mudou de direção e as direitas do Backdoor proporcionaram os melhores momentos nas ondas de 4-6 pés da sexta-feira no Havaí, para a primeira rodada eliminatória do Billabong Pipe Masters. Foi um dia tenso, com clima de decisão nas duas pontas da tabela de classificação na maioria das baterias da segunda fase. Os três concorrentes ao título mundial venceram. Filipe Toledo achou bons tubos no Backdoor e um em Pipeline também para derrotar o havaiano Bruce Irons e ultrapassar Mick Fanning na liderança do ranking com a classificação para a terceira fase. Adriano de Souza também surfou um tubaço no Backdoor contra o jovem australiano Jack Robinson e segue na briga pelo troféu de campeão do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour 2015.

"Eu estava bem nervoso, não pelo fato do título mundial, mas por estar competindo com o Bruce (Irons), um cara que desde criança eu assistia os vídeos dele e do irmão, o Andy (Irons), surfando aqui, fazendo coisas absurdas, uns aéreos muito altos, um tubo melhor do que outro", enaltece Filipe Toledo. "Eu estava muito focado, mas ao mesmo tempo emocionado de estar competindo com ele, porque é um nome de peso, tem muita história, então poder vencê-lo no quintal da casa dele, não tem sensação melhor. Acho que toda pressão do primeiro round saiu agora nessa bateria. Estou mais confiante do que nunca, o Backdoor tá funcionando, é o que eu mais gosto, então vamo que vamo".

Entrevista com Filipe Toledo
Filipe Toledo superou o havaiano Bruce Irons, que não conseguiu achar boas ondas.

Na segunda fase, os confrontos são homem a homem, mas no Bllabong Pipe Masters é utilizado o sistema "Dual Heat" idealizado por Kelly Slater, com duas baterias sendo disputadas simultaneamente, com 40 minutos de duração. Somente na primeira, os dois competidores ficam sozinhos no outside na primeira metade da bateria, mas nem conseguiram aproveitar o privilégio porque quase não entrou onda para Filipe Toledo e Bruce Irons.

A não ser uma bomba no Backdoor que Filipe dropou no tubo e saiu no único lugar possível para tirar nota 6,67. Depois pegou um para a esquerda em Pipeline e ganhou 7,00, ainda surfando outro no Backdoor mais longo que rendeu nota 7,23. O havaiano não achou nada e Filipinho venceu por 14,23 a 5,07 pontos. Ele agora é o único que pode até ser consagrado campeão mundial na terceira fase, mas apenas se Medina, Fanning, Mineirinho e Julian Wilson, perderem nessa rodada.

Entrevista com Adriano
Adriano de Souza vence sua bateria do segundo round e segue na briga.

Quando terminou essa primeira bateria, começou a terceira entre Adriano de Souza e Jack Robinson, na segunda metade da que Taj Burrow derrotou Brett Simpson, com o americano se despedindo da elite dos top-34 da World Surf League. Mineirinho foi rápido e logo completou um tubo para largar na frente com nota 4,83. Os longos intervalos entre as séries eram agonizantes e a maioria das ondas fechava rápido, sem abrir os tubos.

Robinson passou quase toda a bateria sem surfar nada, mas nos minutos finais achou um bom tubo nas direitas que valeu 7,33. Só que Adriano logo deu o troco num tubaço também no Backdoor que tirou 8,27 dos juízes. O australiano ainda pegou outro precisando de 5,78 pontos, mas a nota saiu 5,17 e a vitória de Mineirinho foi confirmada por 13,10 a 12,50 pontos.

"Eu sabia desde que treinei de manhã que ia ser só Backdoor. Tentei algumas em Pipe, mas o vento não tá colaborando, não estavam abrindo as portas, então vi que o jogo ia ser no Backdoor", disse Adriano de Souza. "Com todas essas temporadas que tenho passado aqui, eu aprendi muita coisa dessa onda. Acho que o meu Anjo da Guarda e Deus têm me abençoado muito, em ter mandado aquela onda boa e estou dentro, muito feliz por ter passado pro rounde 3. Sei que vai ser muito difícil, mas se for pra ser meu, vai ser. Acredito muito nisso, acredito no meu potencial, toda minha dedicação, acho que todos os planetas têm que se alinhar para eu ser campeão aqui, então estou bem focado, bem concentrado e espero que as coisas aconteçam a meu favor".

Adriano em sua melhor onda
Adriano De Souza faz 8.27 e segue para o round 3

TERCEIRA FASE DECISIVA - Adriano de Souza está hospedado na casa do havaiano Jamie O'Brien, que já foi finalista no Pipe Masters e vai enfrentar Mick Fanning na quinta bateria. A terceira fase pode decidir o título mundial para Filipe Toledo, se os seus quatro concorrentes perderem na mesma rodada. O primeiro a se apresentar é o atual campeão, Gabriel Medina, abrindo o próximo dia contra o sul-africano Jordy Smith, recordista da sexta-feira com os 16 pontos sobre Wiggolly Dantas no último confronto do dia. Italo Ferreira está na terceira bateria com o nota 10, C.J. Hobgood, depois Kelly Slater enfrenta o taitiano Michel Bourez e Fanning entra na seguinte com Jamie O´Brien.

O onze vezes campeão mundial falou sobre a disputa do título esse ano, após a vitória sobre o havaiano Dusty Payne. "No início, tudo aqui parecia estar a favor do Mick (Fanning), mas agora parece que toda a pressão está sobre ele", disse Kelly Slater. "Ele está contra o Jamie (O´Brien), que muitos consideram como o melhor surfista aqui de backside ou frontside. Provavelmente, é quem surfou mais ondas aqui do que qualquer um nos últimos dez anos. O Mick pode ter muito trabalho contra o Jamie, mas ele foi campeão mundial três vezes por alguma razão".

Kelly Slater (USA) was nearly eliminated after a shocking Round 1 performance as the 11-time WSL Champion had flu-like symptoms leading up to the event, but recovered with a win in Round 2 over Dusty Payne (HAW). Kelly Slater em mais um tubo para o Backdoor - WSL / Laurent Masurel

Os outros três postulantes ao título mundial estão na chave de baixo, que vai apontar o segundo finalista do Billabong Pipe Masters. Filipe Toledo entra na sétima bateria com Mason Ho, que substituiu o contundido Owen Wright na última hora. É mais um havaiano que surfa em Pipeline há mais tempo do que ele. O primeiro foi o maior especialista, Jamie O´Brien, que o derrotou na primeira fase. Depois passou por Bruce Irons e agora terá um representante da Dinastia Ho pela frente, em sua primeira defesa da liderança no Havaí. Se Fanning passar para a quarta fase, Filipe também tem que vencer para permanecer na frente do Jeep Leaderboard.

Na décima bateria, Julian Wilson pode nem ter mais chances de título mundial quando enfrentar o também australiano Adam Melling, que necessita de um bom resultado para entrar no grupo dos 22 primeiros do ranking que são mantidos na elite dos top-34. O atual campeão do Billabong Pipe Masters sai da briga se Filipe ou Fanning tiverem vencido suas baterias. Já Adriano de Souza vai fechar a terceira fase contra o irlandês Glenn Hall, mais um que está saindo da divisão principal da World Surf League.

Os vencedores das doze baterias terão duas chances de classificação para as quartas de final do Billabong Pipe Masters. Além dos três que estão na briga pelo título mundial, o Brasil ainda tem o "Rookie of the Year", Italo Ferreira, estreante do ano no Samsung Galaxy WSL Championship Tour. O potiguar de Baía Formosa, está na terceira bateria com o dono do único tubo nota 10 até agora, C. J. Hobgood, que está encerrando a carreira nesta última etapa de 2015.

Earning an excellent 8.83 going on a Backdoor bomb, Adam Melling (AUS) defeated fellow countrymen Matt Wilkinson (AUS). Adam Melling pegou uma das melhores ondas do round 2 - WSL / Laurent Masurel

VAGAS NO G-22 - A outra batalha decisiva nas baterias da segunda fase na sexta-feira foi pelas últimas vagas no grupo dos 22 primeiros do ranking, que são mantidos na divisão de elite da World Surf League. Os mais ameaçados eram o brasileiro Jadson André, o havaiano Keanu Asing e o taitiano Michel Bourez. O californiano Brett Simpson foi o primeiro a se despedir, na derrota para Taj Burrow no segundo confronto do dia. Adam Melling manteve a esperança ao ganhar o duelo australiano com Matt Wilkinson. Depois, o havaiano Dusty Payne perdeu para Kelly Slater e também está fora do CT 2016.

Na disputa seguinte, Jadson André competiu numa hora ruim do mar, com poucas ondas abrindo os tubos e perdeu para Sebastian Zietz por 10,50 a 6,74 pontos. O havaiano é um dos que podem entrar no G-22 e o potiguar depois caiu para a última posição na lista, com a classificação de Keanu Asing para a terceira fase. O havaiano ultrapassou Jadson e o taitiano Michel Bourez, que agora dividem o 21.o lugar. Para superar os dois, Zietz precisa chegar nas quartas de final em Pipeline, enquanto Adam Melling, Jordy Smith e até C. J. Hobgood, que já anunciou sua aposentadoria, só passam dos 19.950 pontos de Jadson André nas semifinais.

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it