NewsRip Curl Pro Bells Beach

Wiggolly Dantas conquista terceira vitória brasileira em Bells Beach

Highlights: Batalhas em Bells
1:25
Melhores momentos do dia de disputas em Bells

E foi de virada, na onda que ele surfou nos últimos segundos da sua bateria no sábado de boas ondas de 4-6 pés, porém com grandes intervalos entre as séries fazendo com que poucas entrassem para três competidores. Os outros três brasileiros não tiveram muitas chances, perderam e terão que encarar uma rodada extra em Bells Beach, os paulistas Miguel Pupo e Alex Ribeiro e o potiguar Jadson André. Além de Wiggolly, somente os campeões mundiais Adriano de Souza e Gabriel Medina estrearam com vitórias na sexta-feira e também passaram direto para a terceira fase no segundo desafio do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour 2016 na Austrália.

A única classificação verde-amarela do sábado foi no limite. Era o penúltimo confronto do dia e foi mais um com poucas ondas surfadas. Matt Banting começou bem com 7,67 e liderou toda a bateria. Wiggolly tinha duas notas 4, fez um 5 e ficou esperando por uma boa para mostrar a força do seu backside nas direitas de Bells Beach. Faltando 40 segundos para o término, entra uma abrindo uma parede limpa para ele fazer três grandes manobras, conectar com uma segunda sessão e mandar mais uma série de três batidas e rasgadas fechando com uma muito forte na junção. Wiggolly precisava de 6,91 pontos para vencer e recebeu nota 7,0, virando o placar contra Matt Banting para 12,00 a 11,90 pontos. O cabeça de chave Josh Kerr terminou em último com 8,87 nas duas ondas computadas nos resultados das baterias.

Wiggolly Dantas on his way to winning his Round 1 heat. Wiggolly Dantas vira no final da bateria WSL / Ed Sloane

A mesma sorte de pegar uma onda com potencial para tirar notas no critério excelente, não tiveram os outros três brasileiros que estrearam no sábado em Bells Beach. O novato na elite da World Surf League, Alex Ribeiro, disputou a primeira bateria do dia e não conseguiu encaixar o seu backside, mas ainda superou o maior ídolo do esporte, Kelly Slater, somando notas 4,57 e 3,87. O onze vezes campeão mundial só surfou uma onda que valeu 6,17 e o igualmente experiente australiano Kai Otton acabou pegando a melhor que entrou na bateria para ganhar nota 8,33 e vencer por 13,60 pontos. Alex Ribeiro ficou em segundo com 8,44 e Slater em terceiro com 7,17.

JEEP WSL LEADER - Outro paulista entrou no mar duas baterias com os dois finalistas da etapa de abertura do Samsung Galaxy World Surf League Tour 2016 na Gold Coast. Foi um dos confrontos mais disputados do dia, pois as séries ficaram mais constantes e todos tiveram pelo menos duas ondas com boa qualidade para manobras. Estreando com a lycra amarela do Jeep WSL Leader, o australiano largou na frente com nota 6,67 e garantiu a vitória com uma onda parecida que valeu 6,73. O brasileiro Miguel Pupo chegou a tirar a maior nota da bateria, 6,77, mas acabou somando um 5,47 e caiu do segundo para o último lugar com o 6,27 que o norte-americano Kolohe Andino recebeu em sua última onda. Com ela, atingiu 12,30 pontos contra 12,24 do brasileiro e Wilkinson venceu por 13,40 pontos.

Miguel Pupo during Round 1. Miguel Pupo surfou bem, mas acabou em terceiro na bateria WSL / Ed Sloane

Depois, veio a vitória de Wiggolly Dantas e em seguida Jadson André entrou com duas feras para disputar a última vaga direta para a terceira fase. O potiguar foi em várias ondas, enquanto seus adversários foram mais seletivos e pegaram as melhores que entraram na bateria. O havaiano John John Florence massacrou uma direita com várias manobras para arrancar nota 8,50 dos juízes e vencer por 14,50 pontos. O sul-africano Jordy Smith surfou duas regulares e ficou em segundo com 11,10 e o brasileiro em terceiro com 9,10.

BRASIL X AUSTRÁLIA - Os perdedores das baterias na fase inicial têm uma segunda chance de classificação, mas são eles que vão disputar a primeira rodada eliminatória do Rip Curl Pro Bells Beach. O potiguar Italo Ferreira, estreante do ano em 2015, vai abrir a repescagem no domingo com o vencedor da triagem, Tim Stevenson. Depois tem mais três confrontos diretos entre Brasil e Austrália, entre Alex Ribeiro e Adrian Buchan na sexta bateria, Miguel Pupo e Taj Burrow na oitava e Caio Ibelli contra Ryan Callinan na nona. Apenas Jadson André vai enfrentar um surfista de outro país, o norte-americano Conner Coffin na briga pela penúltima vaga para a terceira fase.

John John Florence
WSL / Kelly Cestari
1 of 8
John John Florence
WSL / Kelly Cestari
1 of 8
×
×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it