NewsDrug Aware Margaret River Pro

Seleção brasileira chega quase completa no round 3 em M-River

Highlights: High Scores em Margaret River
1:27
O segundo dia de competição reservou batalhas acirradas.

Mais quatro brasileiros venceram suas primeiras baterias em Margaret River e sete vão disputar a terceira fase do Drug Aware Pro na Austrália. O único que está fora da briga do título na etapa que fecha a perna australiana do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour é Alex Ribeiro, que perdeu um duelo verde-amarelo na repescagem para Caio Ibelli. Já Wiggolly Dantas surfou um dos melhores tubos do sábado nas boas ondas de 4-6 pés em Main Break, Alejo Muniz ganhou sua primeira bateria depois da cirurgia no joelho e Miguel Pupo confirmou a ótima participação do Brasil em Margaret River. Os quatro se juntam aos campeões mundiais Adriano de Souza e Gabriel Medina e a Italo Ferreira, que estrearam com vitórias no primeiro dia e não competiram no sábado na Austrália.

Caio Ibelli segue confiante
0:21
Em uma disputa verde e amarela Caio supera Alex Ribeiro

O paulista Wiggolly Dantas, de Ubatuba, foi um dos destaques do dia. Ele já havia surfado bem nos primeiros confrontos da manhã, que faltavam para fechar a primeira fase, mas perdeu por pouco - 14,90 a 14,50 - para o australiano Josh Kerr. Teve que voltar ao mar e aproveitou muito bem a segunda chance de classificação para a terceira fase contra o local de M-River, Jack Robinson. Wiggolly ganhou 9,63 dos juízes atacando uma onda com três manobras explosivas de backside e ainda tirou mais duas notas excelentes, acima de 8, pegando um dos melhores tubos do dia nas direitas de Main Break. Ele foi o segundo e último surfista a ultrapassar a barreira dos 18 pontos em Margaret River, com seus 18,06 só ficando abaixo dos 18,87 das notas 9,87 e 9,00 do havaiano John John Florence no confronto que fechou a primeira fase.

Wiggolly Dantas atacou o Main Break
1:19
Usando o seu backside poderoso, Wigolly vence Jack Robinson

Três baterias após a vitória de Wiggolly Dantas, aconteceu o duelo dos estreantes do Brasil na elite dos top-34 da World Surf League esse ano. Caio Ibelli foi um dos três únicos surfistas a passar da terceira fase nas duas primeiras etapas da temporada. Os outros foram o líder do ranking, Matt Wilkinson, e o vice-líder, Conner Coffin, dos Estados Unidos. Caio surfou bem de novo, mostrando muita segurança nas manobras e pegou as melhores ondas que entraram para tirar duas notas na casa dos 7 pontos. Ele totalizou 14,74 pontos, contra 12,83 pontos do também paulista Alex Ribeiro, que não conseguiu passar nenhuma bateria na Austrália.

Na disputa seguinte, o outro reforço na seleção brasileira deste ano, Alejo Muniz, ganhou a primeira dele depois da cirurgia no joelho contundido em outubro na França. O catarinense não competiu nas duas primeiras etapas e só está retornando agora em Margaret River. Mostrou estar bem preparado e já havia surfado bem na sexta-feira, perdendo por pouco para o taitiano Michel Bourez. No sábado, pegou a melhor onda da bateria e a nota 7,33 recebida foi decisiva para derrotar o experiente australiano Kai Otton por 12,23 a 10,57 pontos.

Miguel Pupo winning his Round Two heat. Miguel Pupo WSL / Kelly Cestari

E o paulista Miguel Pupo despachou outro australiano na disputa pela penúltima vaga para a terceira fase, Davey Cathels. Pupo achou uma onda muito boa e foi abrindo grandes leques de água com a potência das suas rasgadas e batidas de backside, lincando as manobras com velocidade para receber 8,17 dos juízes. Essa nota liquidou uma das novidades da Austrália na elite deste ano, que tinha barrado o campeão mundial Gabriel Medina na terceira fase da etapa passada, em Bells Beach.

BRASIL NA TERCEIRA FASE - E o último brasileiro a se classificar, será o primeiro a competir na segunda rodada eliminatória do Drug Aware Margaret River Pro. Miguel Pupo vai enfrentar na terceira bateria, o mesmo australiano Julian Wilson que o eliminou no Rip Curl Pro Bells Beach. A terceira fase já vai começar quente, com Matt Wilkinson com a lycra amarela do Jeep WSL Leader, disputando um duelo australiano com o jovem Matt Banting.

Alejo Muniz during his round two heat. Alejo Muniz WSL / Ed Sloane

Depois terão três baterias seguidas com brasileiros disputando vagas para as duas rodadas classificatórias para as quartas de final em Margaret River. Na sexta, o defensor do título do Drug Aware Pro, Adriano de Souza, terá pela frente o jovem italiano Leonardo Fioravanti de apenas 18 anos de idade, que derrotou Kelly Slater no sábado. Na sétima, entra o também campeão mundial Gabriel Medina contra o australiano Adam Melling. E na oitava, Wiggolly Dantas encara o americano Kolohe Andino, vice-campeão da primeira etapa na Gold Coast.

A terceira fase vai começar com um duelo australiano e será encerrada com outra bateria brasileira em Margaret River, entre o potiguar Italo Ferreira já defendendo a quarta posição no ranking e o catarinense Alejo Muniz, que está participando da sua primeira etapa no Samsung Galaxy WSL Championship Tour este ano. Já a penúltima bateria vai reeditar outro confronto da terceira fase em Bells Beach, entre Caio Ibelli e o havaiano John John Florence, que foi vencido pelo brasileiro.

Leonardo Fiorivanti defeated Kelly Slater in round two. Leonardo Fiorivanti WSL / Kelly Cestari

SURPRESAS DO SÁBADO - A grande zebra do sábado foi o jovem Leonardo Fioravanti, que eliminou o onze vezes campeão mundial Kelly Slater. Quando o italiano nasceu em Roma, Slater, com seus 44 anos de idade, já tinha dois títulos no currículo. Fioravanti lidera o ranking do WSL Qualifying Series esse ano e está participando do Drug Aware Pro como convidado. A outra surpresa do dia foi o australiano Taj Burrow, que anunciou sua aposentadoria do Circuito Mundial aos 37 anos de idade. Ele vai encerrar a carreira na etapa de Fiji, nos dias 5 a 17 de junho, depois de dezenove temporadas e dois vice-campeonatos mundiais, em 1999 e 2007.

The lineup
WSL / Ed Sloane
1 of 3
The lineup
WSL / Ed Sloane
1 of 3
×
×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it