Oi Rio Pro

Oi Rio Pro 2016 deve começar nesta terça-feira na Praia de Grumari

WSL South America

The new structures for the Oi Rio Pro at Postinho, taking shape Saturday, May 7. Postinho - Barra da Tijuca - WSL

A semana começou com boas ondas na Praia de Grumari e o Oi Rio Pro apresentado por Corona deve ser iniciado no primeiro dia do prazo da etapa brasileira do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour no Rio de Janeiro. As estrelas da elite mundial surfaram em Grumari na segunda-feira e também no Postinho da Barra da Tijuca, que tinha boas ondas e continua como uma das sedes do evento, com a arena funcionando todos os dias com atividades dos patrocinadores para o público e telões na praia com a transmissão ao vivo da competição pelo www.worldsurfleague.com.

Marco Fernandez (BRA) martinique surf pro 2016 Marco Fernandez (BRA) - WSL / Poullenot/Aquashot

A primeira chamada da terça-feira está marcada para as 7h00 para as duas categorias, a masculina e a feminina, com qualquer uma delas podendo abrir o primeiro dia em Grumari. Na segunda-feira, dezesseis convidados da Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro (FESERJ) disputaram a última vaga para o Oi Rio Pro 2016. A maioria era de surfistas do estado, mas ela ficou com o baiano Marco Fernandez, que na bateria final derrotou os cariocas Leonardo Neves (2.o lugar), Simão Romão (3.o) e Jeronimo Vargas (4.o).

No momento, ele é um dos dez surfistas que estão se classificando para a grupo dos top-34 do CT pelo ranking do WSL Qualifying Series e foi escalado na quinta bateria do Oi Rio Pro, encabeçada pelo australiano Matt Wilkinson, que lidera a corrida do título mundial com duas vitórias nas primeiras etapas da temporada na Austrália. Além dele, Marco Fernandez também vai enfrentar o potiguar Jadson André, um dos dez brasileiros da divisão de elite da World Surf League.

Grumari, several days before the waiting period for the 2016 Oi Rio Pro. Grumari - WSL / Marinho Santiago/Click Marinho

Já o carioca Lucas Silveira, convocado para substituir Kelly Slater, que cancelou a sua participação no Oi Rio Pro no domingo, completou a sexta bateria, do atual campeão mundial Adriano de Souza e do havaiano Keanu Asing. Se o quarto desafio do Samsung Galaxy WSL Championship Tour começar pelo masculino, a primeira bateria do dia já terá o defensor do título da etapa brasileira, Filipe Toledo, estreando contra o norte-americano Kanoa Igarashi e o havaiano Dusty Payne. E o campeão mundial Gabriel Medina já entra na segunda com o australiano Stu Kennedy e o italiano Leonardo Fioravanti.

COLETIVA DE IMPRENSA - Adriano de Souza, Gabriel Medina, Filipe Toledo, Matt Wilkinson e ainda o brasileiro mais bem colocado no ranking deste ano, Italo Ferreira, a líder do feminino e atual campeã do Oi Rio Pro, Courtney Conlogue, e a atual campeã mundial, Carissa Moore, estiveram na mesa da coletiva de imprensa no Royalty Hotel Barra para atender aos jornalistas na segunda-feira. Eles falaram sobre as expectativas para a etapa brasileira na capital carioca.

Adriano de Souza answers questions at the press conference. Adriano de Souza - WSL / Kelly Cestari

Adriano de Souza falou sobre o título mundial conquistado no ano passado, coroado com uma inédita vitória brasileira no Pipeline Masters numa final brasileira igualmente inédita com Gabriel Medina: "Eu fiquei dez anos no Circuito Mundial olhando pra cima né (risos). Minha vida inteira fiquei entre os top-10, top-5, e sempre tive essa meta de ser campeão do mundo. E esse ano está sendo o oposto, uma coisa nova na minha vida, de defender um título mundial. Não comecei tão bem na Austrália como eu gostaria, mas com os novos nomes na ponta do ranking, como o Matt (Wilkinson), o Sebastian (Zietz), faz com que hoje eu tenha um target, uma meta a ser traçada e pretendo usar esse campeonato aqui do Rio como uma alavanca para retomar os bons resultados novamente".

O campeão mundial Gabriel Medina falou sobre a "seleção brasileira" deste ano com dez surfistas entre os 34 melhores do mundo e também sobre a onda de Grumari. "Eu fico feliz de fazer parte desse time. Temos dez atletas no Tour com todos surfando superbem, tendo bons resultados e é irado ver o Brasil onde está hoje. Eu estou confiante para esta etapa, gosto de estar aqui no Rio, me sinto em casa, então quero tentar um bom resultado aqui. Eu nunca tinha surfado em Grumari, mas peguei umas ondas lá esses dias e deu pra ver que elas são um pouco cheias. Hoje (segunda-feira), tava grande o mar, é uma onda pesada, gorda e tem que ter sorte para pegar uma onda mais cavada. Vai ser uma onda difícil de competir, mas todos que estão aqui no Tour estão preparados para surfar em qualquer condição".

Gabriel Medina answers questions at the press conference. Gabriel Medina - WSL / Kelly Cestari

Filipe Toledo também comentou sobre a onda de Grumari e do seu retorno às competições, depois da contusão sofrida na semifinal da primeira etapa na Gold Coast, Austrália. Filipinho só voltou a surfar na semana passada em Ubatuba (SP), mas já fez uns treinos no Postinho da Barra e está confiante em buscar o bicampeonato no Oi Rio Pro apresentado por Corona.

"Estou feliz por estar de volta ao Rio de Janeiro. Minha recuperação foi muito boa. Fui em dois médicos para ter opiniões diferentes e ambos falaram que eu ia levar uns dois meses pra ficar 100%, mas já me recuperei bastante. Fiz o meu primeiro surfe em Ubatuba semana passada e foi muito bom, me senti uma criança de 12 anos surfando o dia inteiro na praia. Estou bem confiante e feliz em estar de volta para defender o título aqui no Rio. Eu acho Grumari uma opção muito boa, será um desafio para nós mesmos, de mostrar nosso melhor dentro d´água em condições diferentes e acho bom o evento começar lá. Vai ser desafiador para todos nós.".

Filipe Toledo answers questions at the press conference. Filipe Toledo - WSL / Kelly Cestari

O "Melhor Estreante do Ano" em 2015, Italo Ferreira, hoje o brasileiro mais bem colocado no ranking mundial, em terceiro lugar, abaixo apenas do havaiano Sebastian Zietz e do líder Matt Wilkinson, falou sobre o seu surgimento meteórico e sobre as metas para a temporada, pois já é um dos concorrentes ao título mundial do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, após as duas semifinais consecutivas na "perna australiana".

"Aconteceu tudo muito rápido para mim. Praticamente ninguém me conhecia e do nada "bum", explodiu, Italo Ferreira. Mas, isso foi muita dedicação, muito trabalho, perseverança, estou correndo atrás do meu sonho e isso faz ser quem eu sou hoje em dia. Só estou tentando melhorar meus resultados esse ano e o ano passado já foi incrível para mim. Fiquei bem próximo de disputar o título mundial na última etapa. Fiz uma final em Portugal com esse cara aqui do meu lado (Filipe Toledo), que se eu tivesse vencido poderia estar na briga, se ele não tivesse feito um dez pra vencer. Mas mereceu, é um cara incrível. Agora eu consegui ter um bom início de ano na Austrália e espero manter este ritmo até o fim".

Italo Ferreira answers questions at the press conference. Italo Ferreira - WSL / Kelly Cestari

O australiano Matt Wilkinson, que nos últimos anos vinha brigando para permanecer na divisão de elite da World Surf League, pode ser considerado como uma surpresa na liderança do ranking neste início de ano. Ele falou sobre isso: "Realmente não sei o motivo (risos). Mas, eu tenho trabalhado duro e, obviamente, tenho tido sorte também. Eu estou me sentindo muito bem agora. Acho que, meio que descobri uma maneira de ganhar desses caras de vez em quando (apontando para o Adriano de Souza e Gabriel Medina). Não sei. Tem sido um ano incrível para mim e espero manter este ritmo. Esse ano, sinto que o meu surfe e o meu jeito de competir amadureceram. Eu só quero tomar as decisões certas nos momentos certos e vamos ver como tudo vai terminar no fim do ano".

A atual líder do ranking feminino e defensora do título do Oi Rio Pro, Courtney Conlogue, e a tricampeã mundial Carissa Moore, também falaram para os jornalistas na concorrida coletiva de imprensa da segunda-feira no Royalty Hotel Barra. "Eu acho que a motivação vem do final do ano passado", disse a norte-americana Courtney Conlogue. "As meninas estão surfando demais, então eu sei que preciso ficar afiada e mostrar o meu melhor. Estou ansiosa para iniciar o Oi Rio Pro e vamos ver como vai finalizar".

Courtney Conlogue answers questions at the press conference. Courtney Conlogue - WSL / Kelly Cestari

"Tem sido realmente um início de ano incrível", disse a havaiana Carissa Moore. "Estou impressionada com o nível das meninas e como elas estão competindo. Como a Courtney falou, estamos pegando altas ondas nesta temporada. Já cheguei nas semifinais três vezes e ver as meninas como a Courtney e a Tyler Wright indo tão bem, me deixa mais empolgada. Estou muito feliz em estar aqui no Rio mais uma vez e quero tentar surfar bem para conseguir um bom resultado neste evento".

O prazo do Oi Rio Pro 2016 apresentado pela Corona começa nesta terça-feira e vai até 21 de maio no Rio de Janeiro. Nos primeiros dias, a etapa brasileira da World Surf League vai acontecer na Praia de Grumari, pois a estrutura principal construída no Postinho da Barra da Tijuca teve toda sua base condenada pela série de ressacas que atingiram a orla carioca nas últimas semanas. Mas, a arena do Postinho com atividades dos patrocinadores do evento para o público vai funcionar todos os dias, inclusive com telões na praia passando a transmissão ao vivo do evento.

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it