NewsFiji Women's Pro

Francesa Johanne Defay é a nova campeã do Fiji Women´s Pro

Fiji Highlights: Johanne Defay vence
1:35
Melhores momentos do último dia de competição.

A francesa Johanne Defay conquistou sua segunda vitória em etapas do Samsung Galaxy World Surf League Champioship Tour batendo a tricampeã mundial Carissa Moore nas ondas fantásticas de 6-8 pés da terça-feira em Cloudbreak, na ilha de Tavarua, em Fiji. No caminho até a decisão do Fiji Women´s Pro, Defay barrou a número 1 do Jeep WSL Leader, Courtney Conlogue, antes da semifinal contra a sensação do evento, a havaiana Bethany Hamilton. Com a vitória, Johanne subiu da sétima para a quarta colocação no ranking e ganhou novo ânimo para defender o seu título de campeã do próximo desafio do CT feminino, Vans US Open of Surfing em julho na Califórnia, Estados Unidos. Depois das meninas, será a vez dos homens competirem em Fiji, a partir do próximo domingo, 5 de junho, ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

Carissa Moore during the final. Carissa Moore WSL / Ed Sloane

"Eu nunca tinha vencido uma bateria da Carissa (Moore) antes", destacou Johanne Defay. "Ela é uma surfista incrível e vinha tirando notas acima de 9 nos tubos que surfou em cada bateria que disputou hoje (terça-feira) aqui. Foi uma loucura ganhar dela nessas ondas fantásticas e estou muito feliz. Quero dedicar essa vitória para a minha família, porque eles ficaram acordados a noite toda assistindo o campeonato".

No ano passado, Johanne Defay também fez bonito nas ondas de Cloudbreak, passando pela mesma Courtney Conlogue nas quartas de final, mas acabou perdendo para a sul-africana Bianca Buitendag nas semifinais. Mas, ela saiu de Fiji para festejar a primeira vitória da sua carreira na divisão de elite da World Surf League na etapa seguinte, a Vans US Open of Surfing no famoso píer de Huntington Beach, que vai sediar a sexta parada da corrida pelo título mundial feminino nos dias 25 a 31 de julho na Califórnia, Estados Unidos.

Bianca Buitendag during the semi final. Bianca Buitendag WSL / Ed Sloane

"As ondas aqui em Fiji estavam fantásticas para nós este ano e estamos todas muito felizes por isso", disse Johanne Defay. "Todas as meninas estavam arrebentando, mas eu senti que não estava sendo muito inteligente nas baterias que antecederam a final. Eu só estava conseguindo pegar boas ondas no fim para avançar, então eu queria começar forte na final".

Na decisão do título, Carissa Moore não conseguiu reeditar as grandes apresentações que a levaram até a final. A havaiana tirou a segunda nota máxima do Fiji Women´s Pro esse ano na bateria contra a dona do único 10 até ali, a australiana Laura Enever. Nesta bateria, Carissa totalizou incríveis 19,03 pontos de 20 possíveis e repetiu a dose contra a sul-africana Bianca Buitendag nas semifinais, quando atingiu 19,04 com notas 9,77 e 9,27 também em tubos incríveis.

Laura Enever finished equal fifth. Laura Enever WSL / Kelly Cestari

Mas, na grande final foi Johanne Defay quem pegou as melhores ondas da bateria para faturar o prêmio máximo de 60 mil dólares com notas 8,70 e 8,40. A maior recebida pela havaiana foi 6,67, que somou com o 4,03 da sua última onda para totalizar apenas 10,70 pontos, contra 17,10 da francesa. Esta foi a primeira final das duas competidoras esse ano e Carissa Moore se manteve em terceiro lugar no ranking, abaixo da australiana Tyler Wright e da americana Courtney Conlogue, que recuperou a lycra amarela do Jeep WSL Leader nas Ilhas Fiji.

"Foi um evento realmente incrível e estou muito feliz pela maneira que todas as meninas surfaram aqui em Fiji esse ano", disse Carissa Moore. "Para mim, foi um pouco decepcionante não ter conseguido manter o mesmo ritmo das outras baterias que eu competi hoje (terça-feira), mas parabéns a Johanne (Defay), porque ela pegou as melhores ondas da final e mereceu a vitória. Fiji tem sido um evento desafiador para mim e quero agradecer ao meu treinador, C. J. Hobgood, por ter conseguido surfar bem melhor dessa vez".

Bethany Hamilton during the semi final. Bethany Hamilton WSL / Ed Sloane

Mesmo parando nas semifinais, outra havaiana surpreendeu no Fiji Women´s Pro, Bethany Hamilton, convidada da World Surf League para esta etapa. Ela brilhou na segunda-feira ao barrar a ex-líder do ranking, Tyler Wright, na segunda fase. Depois, também derrotou a hexacampeã mundial Stephanie Gilmore na primeira rodada classificatória para as quartas de final. Esta foi a sexta participação em etapas do CT da surfista que perdeu o braço esquerdo num ataque de tubarão em 2003 e o terceiro lugar foi o melhor resultado da sua carreira.

"Estar aqui competindo no Fiji Pro foi a realização de um sonho e estou muito feliz da forma como foi", disse Bethany Hamilton. "As meninas do Championship Tour estão surfando num nível incrível e tenho muito respeito por todas elas. Eu consegui um resultado surpreendente aqui e sou muito grata pelo apoio do meu marido, da família e de todos os meus fãs que torceram por mim. Foi realmente uma experiência incrível para mim".

Sally Fitzgibbons on her way to winning her Round Three heat. Sally Fitzgibbons WSL / Ed Sloane

A havaiana dividiu o terceiro lugar no Fiji Women´s Pro com a vice-campeã desta etapa no ano passado, Bianca Buitendag. No último dia, a sul-africana conseguiu vingar a derrota sofrida na final de 2015 para Sally Fitzgibbons, despachando a australiana nas quartas de final. No entanto, não teve o que fazer na semifinal contra a havaiana Carissa Moore, que fez o maior placar do campeonato - 19,04 pontos - para conquistar a segunda vaga na grande final.

"Temos que aprender com as melhores, como a Carissa (Moore), que foi impecável nessa bateria", reconheceu Bianca Buitendag. "A forma como ela se aproxima do lip da onda é muito mais comprometido e crítico do que eu poderia fazer. Definitivamente, eu preciso passar mais tempo surfando em esquerdas, pois não faço isso frequentemente. Há muito o que aprender com todas essas meninas e estou muito feliz por fazer parte deste grupo".

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it