NewsMaui and Sons Arica Pro Tour

Peruanos são maioria nas finais do Maui and Sons Arica Pro Tour

A participação dos surfistas peruanos nos tubos de El Gringo é o destaque do QS 1500 Maui and Sons Arica Pro Tour esse ano no Chile. Eles conseguiram metade das vagas nas quartas de final no mar difícil da quinta-feira, com as ondas de 4-6 pés quebrando muito próximo da perigosa bancada de El Gringo. Tomas Tudela já passou para as semifinais derrotando o brasileiro Lucas Chianca. O australiano Dean Bowen também tirou o Chile da disputa do título ao eliminar Manuel Selman no último duelo do dia. Alonso Correa e Martin Jeri se enfrentam no primeiro confronto da sexta-feira e outro peruano, Alvaro Malpartida, vai fechar as quartas de final com o francês William Aliotti. Malpartida é o único que pode conseguir um inédito bicampeonato na etapa mais antiga do calendário 2016 da WSL South America no Chile.

Maui and Sons Arica Pro Tour Tomas Tudela WSL / Rodrigo Farias

A quinta-feira foi o dia mais longo de competição no QS 1500 Maui and Sons Arica Pro Tour. Foram disputadas as duas baterias que restavam para fechar a segunda fase, as quatro da terceira rodada e as duas primeiras das quartas de final. Entre os seis surfistas que chegaram no último dia para disputar o título de "Rei dos Tubos" de El Gringo, quatro são do Peru, um da Austrália e o único representante da França no "Desafio de Arica" esse ano.

A condição do mar já não era tão boa nos últimos confrontos da quinta-feira, com a maioria das ondas fechando rápido, sem abrir os tubos que são a principal característica de El Gringo. Mas, o peruano Tomas Tudela conseguiu sair de um muito bom logo no início da bateria contra o brasileiro Lucas Chianca e a nota 8,67 recebida foi decisiva para ele vencer a primeira quarta de final por uma pequena diferença de 11,67 a 11,53 pontos. Com a vitória, Tudela tirou o Brasil da disputa do título e o tube-rider Lucas Chumbinho terminou em quinto lugar no QS 1500 do Chile.

Maui and Sons Arica Pro Tour Lucas Chianca WSL / Pablo Jimenez

"Caramba, foi uma bateria muito intensa até o final", disse Tomas Tudela. "Tive sorte de pegar um bom tubo no início para começar com uma nota de oito pontos e depois eu só queria achar uma segunda nota boa para somar, mas não entrou mais nada de especial para mim e o Lucas (Chianca) quase conseguiu a virada no final. Esse já é o meu melhor resultado da carreira em um evento do QS (WSL Qualifying Series) e amanhã (sexta-feira) vou com tudo para tentar vencer o campeonato".

Na disputa seguinte, que acabou sendo a última do dia, os dois competidores só conseguiram surfar tubos rápidos. O melhor deles foi completado pelo chileno Manuel Selman e valeu nota 5,60. No entanto, faltou outra nota parecida para somar e o australiano Dean Bowen acabou vencendo a bateria por 8,50 a 7,73 com notas 4,67 e 3,83.

Maui and Sons Arica Pro Tour Dean Bowen WSL / Pablo Jimenez

Selman foi um dos quatro surfistas que chegaram no último dia do Maui and Sons Arica Pro Tour no ano passado, quando as semifinais foram canceladas devido as condições extremas e muito perigosas do mar em El Gringo. Ele era a última esperança do Chile para disputar o título esse ano, pois os outros ficaram na rodada anterior.

O campeão de 2011, Guillermo Satt, foi barrado junto com o brasileiro Jeronimo Vargas na dobradinha peruana de Martin Jeri com Alvaro Malpartida, que já fez duas finais em Arica. Ele perdeu a primeira edição do campeonato em 2009 para o seu compatriota Gabriel Villaran, mas venceu a decisão de 2013 contra o australiano Anthony Walsh. Foi Malpartida quem eliminou Guillermo Satt na disputa pela segunda vaga da bateria vencida por Martin Jeri.

Maui and Sons Arica Pro Tour Guillermo Satt WSL / Pablo Jimenez

"Foi muito legal vencer essa bateria com tantos surfistas de alto nível", disse Martin Jeri. "É sempre difícil competir contra seus amigos, mas você sempre quer vencer também. As ondas estão boas, tem uns tubos lindos, mas estão bem perigosas, quebrando bem perto das pedras com o fundo muito raso. Tive sorte de encontrar as melhores ondas da bateria e estou feliz por ter avançado para as quartas de final, pois terei mais uma oportunidade de surfar esses tubos incríveis aqui de El Gringo".

MELHOR TUBO - No confronto seguinte, que fechou a terceira fase, o francês William Aliotti surfou o melhor tubo da quinta-feira para ganhar nota 9,10 dos juízes e passar em primeiro com 13,50 pontos. E na briga pela última vaga para as quartas de final, o peruano Alonso Correa despachou mais dois chilenos, Leonardo Acevedo e Renato Aguirre.

Maui and Sons Arica Pro Tour William Aliotti WSL / Rodrigo Farias

"Estou muito feliz pela vitória, mas tomei uma vaca sinistra na minha primeira onda e fui rolando com a prancha até as pedras", contou William Aliotti. "As condições estão difíceis, então tentei ficar ativo para pegar o máximo de ondas possível, mas está bem complicado lá fora. O fundo está muito raso e não dá para ver bem, mas tem muita água se movendo. Estou contente por ter recebido outra nota alta (9,10) e espero que continue assim amanhã (sexta-feira) para mim".

O placar de 13,50 pontos de William Aliotti só ficou abaixo dos 13,60 conseguidos pelo brasileiro Lucas Chianca na abertura da terceira fase, quando o líder do ranking sul-americano da WSL South America, Leandro Usuna, acabou eliminado em nono lugar no Maui and Sons Arica Pro Tour pelo australiano Dean Bowen. Mesmo assim, o argentino permanece na dianteira da corrida pelo título de melhor surfista da América do Sul, pois o único que ainda o ameaçava, o brasileiro Marcos Correa, já havia perdido no confronto que fechou a segunda fase.

Maui and Sons Arica Pro Tour Leandro Usuna WSL / Pablo Jimenez

ÚLTIMO DIA - Nenhum surfista do Brasil e nem do Chile conseguiu classificação para o último dia do QS 1500 Maui and Sons Arica Pro Tour esse ano, enquanto o Peru ainda tem quatro concorrentes ao título da etapa mais desafiadora do WSL Qualifying Series na América do Sul. A terceira quarta de final vai abrir a sexta-feira decisiva já com um duelo peruano entre Alonso Correa e Martin Jeri. Outro peruano, Alvaro Malpartida, entra na bateria seguinte com o francês William Aliotti. E Tomas Tudela vai disputar a primeira vaga na grande final contra o australiano Dean Bowen.

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it