Pantin Classic Galicia Pro

Silvana Lima chega as quartas de final do Pantin Classic Galicia Pro

WSL South America

As meninas voltaram a competir na sexta-feira de ondas de 2-3 pés na Playa de Pantin e a brasileira Silvana Lima passou as duas baterias que disputou para chegar nas quartas de final do QS 6000 Pantin Classic Galicia Pro na Espanha. A cearense foi a recordista do dia e vai enfrentar uma concorrente direta por vaga no CT pelo G-6 do WSL Qualifying Series, a americana Sage Erickson. Além de duas rodadas completas da categoria feminina, foram realizadas as oito baterias restantes da segunda fase masculina. Dos onze sul-americanos que competiram, apenas quatro se classificaram para a rodada dos 48 melhores do QS 6000 da Espanha, os brasileiros Deivid Silva, Ian Gouveia, Luel Felipe e o argentino Santiago Muniz.

Santiago Muniz (ARG) .Pantin16 Santiago Muniz - WSL / Laurent Masurel

Apesar das sete eliminações na sexta-feira, incluindo a do defensor do título do Pantin Classic Galicia Pro, Thiago Camarão, doze sul-americanos seguem na busca por mais uma vitória na principal etapa da World Surf League na Espanha. São dez brasileiros, um uruguaio e um argentino, o irmão mais jovem do top do CT, Alejo Muniz, que compete no Circuito Mundial representando o Brasil, pois eles moram em Santa Catarina desde crianças. Das doze baterias da terceira fase, apenas três não terão nenhum surfista da América do Sul disputando classificação para a rodada dos 24 melhores do campeonato.

A previsão é iniciar o sábado com as meninas e a primeira chamada para as quartas de final foi marcada para as 7h45 na Espanha, 2h45 da madrugada pelo fuso horário de Brasília. Para a terceira fase masculina, a primeira chamada será as 9h00 também na Playa de Pantin, 4h00 em Brasília. Dois brasileiros estão na primeira bateria, o baiano Marco Fernandez e o pernambucano Halley Batista, junto com o americano da elite do CT, Kanoa Igarashi, e o australiano Mitch Crews. O capixaba Krystian Kymerson entra na segunda com o australiano Dion Atkinson, o espanhol Hodei Collazo e o neozelandês Ricardo Christie.

Deivid Silva (BRA) .Pantin16 Deivid Silva - WSL / Laurent Masurel

Depois, tem o uruguaio Marco Giorgi na quarta bateria, os catarinenses Tomas Hermes e Willian Cardoso competem juntos na quinta, assim como o paulista Jessé Mendes e o cearense Michael Rodrigues na sétima. Já os classificados na sexta-feira foram distribuídos nas quatro últimas baterias da terceira fase. Na nona, o paulista Deivid Silva defende a quinta posição no WSL Qualifying Series contra o vice-líder do ranking, Ethan Ewing, da Austrália, além do português Miguel Blanco e o recordista de pontos do Pantin Classic Galicia Pro, Nelson Cloarec, da França. O argentino Santiago Muniz entra na décima bateria e os pernambucanos Luel Felipe e Ian Gouveia na 11.a e 12.a, respectivamente.

BRASIL NO G-10 - Além de Deivid Silva, apenas o baiano Bino Lopes está na lista dos dez surfistas indicados pelo WSL Qualifying Series para completar o grupo dos top-34 que disputa o título mundial da World Surf League. Ele é o sétimo do ranking e perdeu em sua estreia na Playa de Pantin, ficando em último na bateria vencida por Luel Felipe, com o costa-ricense Noe Mar McGonagle passando em segundo lugar para a terceira fase. Duas baterias da sexta-feira tiveram participação tripla da América do Sul e com apenas um se classificando em cada.

Silvana Lima (BRA) .Pantin16 Silvana Lima - WSL / Laurent Masurel

Na primeira do dia, eram três brasileiros e Deivid Silva confirmou o favoritismo, mas o francês Adrien Toyon acabou vencendo a disputa pela segunda vaga do paranaense Caetano Vargas e do cearense Heitor Alves. Na 21.a bateria, quinta a entrar no mar na sexta-feira, o fato se repetiu. Só que dessa vez, o australiano Cooper Chapman derrotou os três sul-americanos, com o pernambucano Ian Gouveia passando em segundo e o paulista David do Carmo e o argentino Leandro Usuna sendo eliminados da competição.

DEFENSORES DOS TÍTULOS - E a última participação da América do Sul na segunda fase também terminou com derrota. Campeão do Pantin Classic Galícia Pro no ano passado, o paulista Thiago Camarão chegou bem perto da classificação na sua última onda, mas a nota saiu 5,77 e ele não conseguiu tirar a segunda vaga do costa-ricense Carlos Munoz por uma pequena diferença de 12,40 a 12,34 pontos. Já o português Nic Von Rupp garantiu a vitória nas duas últimas ondas que surfou na bateria. Com as notas 7,50 e 6,03 recebidas, ele atingiu 13,53 pontos para pular para o primeiro lugar e o japonês Hiroto Ohhara terminou em último.

Sage Erickson (USA) .Pantin16 Sage Erickson - WSL / Laurent Masurel

Na categoria feminina, a defensora do título do Pantin Classic Galicia Pro, Chelsea Tuach, de Barbados, também foi barrada na sexta-feira. A vitória na Espanha foi decisiva para a sua entrada na elite das top-17 da World Surf League, mas dessa vez ela se despediu em 17.o lugar na Playa de Pantin, perdendo a sexta bateria do dia para a francesa Pauline Ado e a australiana Laura Enever. A brasileira Silvana Lima disputou a terceira e se classificou em segundo no confronto envolvendo três concorrentes diretas por vagas no G-6 do WSL Qualifying Series.

VAGAS NO G-6 - A cearense é a quinta colocada no ranking e barrou a vice-líder, Bronte Macaulay, pois a australiana não conseguiu completar nenhuma onda sequer e ficou em último com apenas 1,50 pontos. Silvana Lima computou duas notas na casa dos 4 pontos para passar em segundo lugar com 9,80 e Sage Erickson venceu por 12,66 pontos. A norte-americana está entre as top-17 esse ano, mas se encontra fora do grupo das dez primeiras colocadas no CT que são mantidas na elite e tenta confirmar sua permanência pelo ranking de acesso.

Carol Henrique (PRT) .Pantin16 Carol Henrique - WSL / Laurent Masurel

Nas oitavas de final, Sage Erickson despachou a portuguesa Carol Henrique por 11,33 a 9,90 e no duelo seguinte Silvana Lima surfou boas ondas, variando manobras fortes com velocidade para fazer o maior placar do dia entre as meninas. Com notas 7,83 e 8,10, a cearense totalizou 15,93 pontos contra apenas 9,50 da surfista de São Bartolomeu, Tessa Thyssen. Com as vitórias, Silvana e Sage voltarão a se enfrentar na segunda bateria das quartas de final.

"Estou muito feliz por passar para as quartas de final, pois eu preciso bastante de um bom resultado nesse evento para manter uma boa posição no ranking", disse Silvana Lima, que já venceu esta etapa de Pantin em 2014. "A bateria antes da nossa teve mais esquerdas, mas eu sabia que as direitas estavam melhores e fiquei focando nelas. Eu acho que a sorte estava do meu lado hoje (sexta-feira) para conseguir pegar aquelas duas ondas incríveis no final, minha prancha funcionou bem e tem um pessoal torcendo por mim aqui que também é ótimo".

Ella Williams (NZL) .Pantin16 Ella Williams - WSL / Laurent Masurel

A brasileira permanece em quinto no ranking e a americana já tirou a última vaga no G-6 da equatoriana Dominic Barona, mas precisa vencer para continuar na lista. Isto porque algumas surfistas que estão nas quartas de final, também estão bem próximas da zona de classificação para o CT 2017, como as francesas Justine Dupont e Pauline Ado, a australiana Macy Callaghan e a neozelandesa Paige Hareb.

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it