NewsMEO Rip Curl Pro Portugal

Brasileiros perdem e havaiano se aproxima do título mundial

Highlights: Supertubos em Portugal
1:40
Finalmente os supertubos apareceram e os atletas deram um show.

O havaiano John John Florence deu mais um passo para confirmar o título mundial no Meo Rip Curl Pro Portugal, na segunda-feira de séries pesadas de 6-10 pés em Supertubos. Ele já tira Gabriel Medina da briga se passar pelo americano Kolohe Andino nas semifinais e só não será campeão antecipado se a final for contra Jordy Smith. O sul-africano surfou o primeiro tubaço nota 10 do ano em Supertubos e leva a decisão do título para o Havaí se vencer a etapa portuguesa do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, nesta terça-feira em Peniche.

John John Florence during the Quarterfinals of the Rip Curl Pro Portugal. John John Florence WSL / Kelly Cestari

O tubo foi a manobra do dia na segunda-feira de grandes ondas em Supertubos, mas as condições variaram bastante a cada bateria. Os brasileiros Adriano de Souza e Miguel Pupo competiram numa hora ruim do mar, não acharam grandes tubos e foram eliminados pelos norte-americanos Kolohe Andino e Conner Coffin, respectivamente. Os dois tiraram o Brasil da etapa que no ano passado foi encerrada com uma final verde-amarela entre Filipe Toledo e Italo Ferreira em Supertubos.

A segunda-feira começou com as três baterias restantes da quinta fase pela manhã. Depois, o evento parou e foram realizadas várias chamadas durante o dia para tentar fazer as quartas de final, esperando uma melhor combinação da maré e do vento, porque as séries continuavam entrando em Supertubos. A primeira bateria só começou as 15h00, mas o mar estava difícil ainda, com a maioria das ondas fechando rapidamente. O americano Kolohe Andino teve mais sorte de pegar algumas abrindo no início e ainda achou um tubaço nota 9,67 para vencer por 17,34 pontos. O campeão mundial Adriano de Souza só conseguiu surfar suas primeiras ondas nos 3 minutos finais e não teve como buscar a classificação para as semifinais.

Kolohe Andino during the Quarterfinals of the Meo of the Rip Curl Pro Portugal. Kolohe Andino WSL / Kelly Cestari

"Eu estava apenas tentando relaxar e ficar calmo, mas era difícil isso porque eu tive que ficar o dia todo ligado e pronto pra competir a cada chamada, pois a minha bateria era a primeira", contou Kolohe Andino, a esperança de Gabriel Medina para ainda ter chance de brigar pelo título mundial no Havaí. "Eu estou procurando não me preocupar com outras pessoas, apenas comigo mesmo. Eu me sinto mais confiante assim, me preocupando apenas comigo e confiando nas minhas habilidades".

O havaiano John John Florence entrou na bateria seguinte e os tubos apareceram para ele tirar notas 9,30 e 7,60 contra o australiano Julian Wilson. John John deu mais um passo importante para garantir o seu primeiro troféu de campeão mundial da World Surf League por antecipação em Portugal. O havaiano acaba com as chances de Gabriel Medina se chegar na final do Meo Rip Curl Pro, ou seja, se passar pelo norte-americano Kolohe Andino nas semifinais. E o título já poderá até ser confirmado se Jordy Smith perder a bateria seguinte, pois o sul-africano é o único que ainda consegue levar a decisão para o Havaí com uma vitória em Portugal.

Julian WIlson during the Quarterfinals of the Rip Curl Pro Portugal. Julian Wilson WSL / Kelly Cestari

"Esta manhã, eu e o Conner (Coffin) remamos lá para fora no escuro ainda e a primeira coisa que vimos foram algumas séries grandes, fechando tudo", disse John John Florence. "Ficamos esperando e já dava pra ver que as direitas eram as ondas do dia e felizmente eu consegui pegar um tubo limpo na bateria. Quando o mar está assim, você tem que surfar como num ‘free-surf', porque até as ondas pequenas podem ficar maiores do que você pensaria".

O californiano Conner Coffin competiu logo após a vitória de John John Florence e teve mais sorte na bateria fraca de ondas contra o brasileiro Miguel Pupo. Aliás, ele só pegou as duas que são computadas e Pupo só surfou ondas ruins, com o placar ficando em 12,66 a 5,94 pontos. Os dois foram os únicos que entraram no grupo dos 22 primeiros colocados no ranking que são mantidos na elite dos top-34 do CT nesta etapa. Com a vitória, Conner Coffin agora ultrapassa Miguel Pupo e tira a 19.a posição de outro brasileiro, Wiggolly Dantas.

Jordy Smith duringt the Quarterfinals of the Rip Curl Pro Portugal. Jordy Smith WSL / Kelly Cestari

VITÓRIA NOTA 10 - De volta à parte de cima da tabela, a última bateria do dia começou com Sebastian Zietz surfando um tubaço e ainda mandando um aéreo incrível na finalização da onda, que valeu nota 9,23. O havaiano ajudaria bastante o compatriota John John Florence se vencesse, pois enfrentava um concorrente dele na disputa do título mundial, Jordy Smith. O sul-africano ficou um tempão sem achar nada de ondas, até pegar um bom tubo que rendeu nota 7,40 para entrar na briga.

Ele continuou precisando de uma boa onda para reverter o resultado, enquanto Sebastian Zietz não conseguia aumentar a vantagem. O havaiano tinha a prioridade de escolha da próxima onda, aí Jordy Smith ameaçou entrar numa para ele ir e ficou com a de trás, que era maior e melhor. Ela entrou cavernosa com o sul-africano já dropando num tubaço incrível, a direita foi abrindo a boca e ele passando por dentro com velocidade para sair limpo, erguendo os braços na comemoração. Não demorou e saiu a primeira nota 10 unânime dos juízes no Meo Rip Curl Pro Portugal para virar o resultado para 17,40 a 13,56 pontos.

Sebastian Zietz during the Quarterfinals of the Rip Curl Pro Portugal. Sebastian Zietz WSL / Kelly Cestari

"Foi uma onda realmente incrível", vibrou Jordy Smith. "Eu tive poucas oportunidades na bateria, fui numa esquerda antes e não sai, era grande mas sem qualquer saída, então eu senti que cedo ou tarde uma ia abrir a porta do tubo para mim. Eu não surfava um tubo assim há muito tempo e é uma sensação incrível, especialmente sendo num campeonato e quando você mais precisa de nota".

TÍTULO MUNDIAL - A única chance de Jordy Smith ainda continuar vivo na briga do título mundial agora é vencer o Meo Rip Curl Pro Portugal. A final pode até ser contra o número 1 do Jeep WSL Leader, John John Florence, que o sul-africano leva a decisão para o Billabong Pipe Masters com a vitória em Supertubos. E para Gabriel Medina poder tentar o bicampeonato mundial em Banzai Pipeline, a única possibilidade é John John Florence perder para Kolohe Andino, pois o havaiano tira o brasileiro da briga se passar para a grande final em Portugal.

Adriano De Souza
WSL / Kelly Cestari
1 of 2
Adriano De Souza
WSL / Kelly Cestari
1 of 2
×
×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it