Hang Loose Pro Contest 30 Anos

Praia da Joaquina lotada para a estreia das estrelas do Hang Loose Pro Contest 30 Anos

WSL South America

Highlights: Hang Loose Pro Contest 30 Anos - Day 03
Good conditions made for a long day of high action in Joaquina Beach.

Mais um dia para relembrar o campeonato inesquecível de 1986, com a Praia da Joaquina ficando igualmente lotada com trânsito parado desde a Lagoa da Conceição na quarta-feira e muita gente seguindo a pé para assistir a estreia das principais estrelas do Hang Loose Pro Contest 30 Anos em Florianópolis. O campeão Gabriel Medina centralizou as atenções e não decepcionou a torcida, arriscou os aéreos e surfou boas ondas para vencer a bateria que abriu a segunda fase. E o jovem catarinense Mateus Herdy, vencedor da triagem da Associação de Surf da Joaquina (ASJ), confirmou uma dobradinha brasileira sobre o indonesiano Oney Anwar e o sul-africano Slade Prestwich nas direitas e esquerdas de 3-4 pés na Joaquina.

Gabriel Medina - Hang Loose Pro Contest 30 Anos Gabriel Medina - WSL / Daniel Smorigo

"É uma sensação incrível ter tanto apoio da torcida aqui. O surfe não para de crescer, agora temos dois campeões mundiais e um monte de surfistas talentosos, então por isso que vem tanta gente prestigiar", disse Gabriel Medina. "É demais ver tantas pessoas nos assistindo. Eu gosto muito de surfar aqui na Joaquina. Tenho vitórias aqui, na Praia Mole e na Vila (Imbituba), mas o que eu mais gosto é da ‘vibe' do pessoal aqui. Os fãs são apaixonados pelo esporte e esse campeonato é especial. Meu pai me contou que foi o primeiro campeonato grande no Brasil que trouxe vários nomes de peso, como o Occy (Mark Occhilupo) e o Tom Carroll, então é muito legal fazer parte dessa história".

O jovem Mateus Herdy, de apenas 16 anos de idade, também ficou impressionado com a enorme torcida que lotou a praia na quarta-feira. "Nunca vi tanta gente em um campeonato aqui na Joaquina. Realmente, o Medina atrai muita gente, porque é claro que todo mundo veio aqui pra ver ele. Para mim, foi uma experiência fenomenal. Toda bateria é difícil, mas quando você está com um campeão mundial, a pressão é muito maior. Então, eu tentei focar no meu surfe e deu tudo certo".

Yago Dora - Hang Loose Pro Contest 30 Anos Yago Dora - WSL / Daniel Smorigo

Se na quarta-feira a praia lotou para ver principalmente Gabriel Medina em ação na Praia da Joaquina, na quinta-feira os dois campeões mundiais vão se apresentar em baterias seguidas. Adriano de Souza mora em Florianópolis e vai fechar a segunda fase no quarto confronto do dia, estreando no Hang Loose Pro Contest 30 Anos contra o taitiano Mihimana Braye, o norte-americano Parker Coffin e o neozelandês Ricardo Christie. E Medina entra na seguinte, abrindo a última rodada de baterias formadas por quatro competidores, junto com outro top do CT, Wiggolly Dantas, o também paulista Thiago Camarão e o australiano Soli Bailey.

GARANTIDOS NO CT 2017 - Wiggolly Dantas passou em segundo lugar no confronto vencido pelo vice-líder do WSL Qualifying Series, Connor O´Leary. O australiano ficou muito perto de conseguir sua vaga na elite no ano passado, mas agora já está garantido entre os top-34 que vão disputar o título mundial de 2017, com os 19.775 pontos que ele já tem no ranking.

Hiroto Ohhara - Hang Loose Pro Contest 30 Anos Hiroto Ohhara - WSL / Daniel Smorigo

"Eu acho que todos que correm o circuito procuram conseguir uma consistência nos resultados. No ano passado, eu tive alguns resultados bons, mas nenhuma vitória importante como esse ano (QS 10000 de Ballito na África do Sul)", disse Connor O´Leary. "A bateria que venci agora foi difícil. Eu estava com a prioridade (de escolha da próxima onda), mas deixei o Wiggolly (Dantas) pegar aquela onda que tirou um 6,83 e na minha cabeça pensei que, se ele for para o primeiro lugar vou precisar de quatro e pouco. Aí tive a sorte de pegar uma onda boa e tentei surfar o melhor que pude para tirar uma nota alta, então fiquei feliz por conseguir".

VITÓRIA CATARINENSE - Diferente do australiano, que foi o primeiro a subir os recordes do campeonato na quarta-feira, para nota 8,60 e 15,10 pontos, o número 3 do ranking, Joan Duru, da França, outra novidade já confirmada para o CT 2017, não achou as ondas na bateria anterior e ficou em último contra três brasileiros. Na briga pelas duas vagas para a terceira fase, o catarinense Luan Wood e o paulista Thiago Camarão deixaram o capixaba Krystian Kymerson em 33.o lugar no Hang Loose Pro Contest 30 Anos.

Connor O'leary - Hang Loose Pro Contest 30 Anos Connor O'leary - WSL / Daniel Smorigo

"É um prazer imenso competir em casa. Sou catarinense de Floripa mesmo, então tenho uma torcida grande aqui", disse Luan Wood, que conquistou a primeira vitória catarinense na quarta-feira. "Fico muito orgulhoso de estar representando a minha cidade e espero continuar vencendo as baterias. As condições do mar estão parecidas com as de ontem (terça-feira), tem boas ondas e estou feliz por ter passado em primeiro na bateria".

TOPS DA ELITE - Além de Medina, outra estrela do CT que brilhou na quarta-feira de praia lotada na Joaquina foi o mais jovem integrante da elite, Kanoa Igarashi, 19 anos. O norte-americano mostrou um surfe moderno para fazer novos recordes no QS 6000 de Florianópolis. A melhor onda foi a última que ele surfou e valeu nota 8,83, para totalizar 15,93 pontos. Dois brasileiros ficaram disputando a segunda vaga da bateria e o paulista Victor Bernardo superou o local da Joaquina, Ronaldo Silveira, por 10,34 a 8,64 pontos.

Jesse Mendes - Hang Loose Pro Contest 30 Anos Jesse Mendes - WSL / Daniel Smorigo

"Estou muito feliz por estar no Brasil de novo", disse Kanoa Igarashi, que no ano passado venceu uma etapa do QS 6000 na Bahia, resultado que garantiu sua classificação para o CT 2016. "Eu gosto muito de competir aqui, as pessoas são bem animadas e tem o melhor açaí do mundo. Estou com um grupo de apoio que está me ajudando muito, como o Jake Paterson, Stephen Bell, Tom Whitaker, além dos meus parceiros de surfe. Como sou muito jovem (19), é muito legal receber tanta informação de pessoas tão experientes".

Além de Gabriel Medina, Wiggolly Dantas e Kanoa Igarashi, outros tops da elite mundial da World Surf League que avançaram para a terceira fase do Hang Loose Pro Contest 30 Anos na quarta-feira foram os brasileiros Miguel Pupo, Jadson André, Alejo Muniz e Alex Ribeiro, os australianos Jack Freestone e Davey Cathels e o havaiano Keanu Asing, campeão do CT da França esse ano batendo Medina na final. Apenas dois ainda não estrearam no QS 6000 de Santa Catarina, o australiano Ryan Callinan e o atual campeão mundial Adriano de Souza.

Ian Gouveia - Hang Loose Pro Contest 30 Anos Ian Gouveia - WSL / Daniel Smorigo

VAGAS NO G-10 - Na quarta-feira também competiram a maioria dos surfistas que estão na briga direta pelas dez vagas do Qualifying Series para a elite dos top-34 da World Surf League. A expectativa era maior para os brasileiros que estão no G-10 no momento. O primeiro a entrar no mar foi Jessé Mendes, que ocupa a última posição na lista e se classificou em segundo lugar na bateria vencida pelo australiano Mitch Crews.

Depois, o quinto do ranking, Ian Gouveia, da equipe Hang Loose, também passou em segundo, mas foi no sufoco, graças a uma interferência de remada do francês Jorgann Couzinet, da Ilha Reunião, no minuto final da bateria. Ele então caiu para último e o pernambucano Ian Gouveia ganhou a segunda vaga de presente em outra vitória australiana, de Mitch Coleborn.

Hang Loose Pro Contest 30 Anos Hang Loose Pro Contest 30 Anos - WSL / Daniel Smorigo

"Eu fiquei bem calmo no final da bateria. Eu sabia que só teria uma oportunidade pra conseguir a nota e entrou um monte de ondas, mas acabei pegando uma errada e ainda bem que o Jorgann (Couzinet) fez um erro e avancei em segundo lugar", disse Ian Gouveia. "Hoje (quarta-feira) foi um dia incrível e ver tanta gente nos apoiando. Normalmente, a gente viaja pelo mundo inteiro e é muito bom competir em casa, junto com a família e amigos. É um campeonato importante e se eu conseguir me classificar para o CT aqui será incrível para mim e para o meu patrocinador (Hang Loose) também".

A bateria do número 6 do QS, Bino Lopes, começou em seguida e também foi decidida no último minuto. O baiano também estava perdendo, mas conseguiu uma segunda nota na casa dos 7 pontos massacrando uma onda com várias manobras para pular do terceiro para o primeiro lugar. Com isso, o francês Tristan Guilbaud passou em segundo e o neozelandês Billy Stairmand acabou eliminado junto com o paulista Flavio Nakagima, que estava na briga pelo título de campeão sul-americano da WSL South America.

Hang Loose Pro Contest 30 anos Hang Loose Pro Contest 30 anos - WSL / Daniel Smorigo

"Rapaz, pressão é uma coisa que a gente sente em todo campeonato, mas aqui foi demais", disse Bino Lopes. "E não é porque estou perto da classificação (para o CT) que estou sentindo mais pressão. Eu sempre entro em todos os campeonatos para vencer, sem me preocupar se vou ganhar ou não, então só foco na minha bateria e no que preciso fazer. Eu me sinto muito bem aqui, já competi muitas vezes na Joaca, tenho vários amigos em Floripa e isso me dá uma força extra para me dar bem no campeonato. Espero que dê tudo certo nos próximos dias".

Bino Lopes e Ian Gouveia agora vão se enfrentar no oitavo confronto da terceira fase, na primeira bateria 100% brasileira do Hang Loose Pro Contest 30 Anos, contra dois tops da elite atual do CT, os paulistas Miguel Pupo e Alex Ribeiro. Outras duas terão três brasileiros contra um estrangeiro. A primeira, com Gabriel Medina, Wiggolly Dantas e Thiago Camarão enfrentando o australiano Soli Bailey. E a quarta, com os catarinenses Tomas Hermes e Willian Cardoso e o paulista Victor Bernardo, contra o japonês Shun Murakami.

Kanoa Igarashi - Hang Loose Pro Contest 30 Anos Kanoa Igarashi - WSL / Daniel Smorigo

RECORDISTA ABSOLUTO - A programação era realizar vinte baterias na quarta-feira, como no primeiro dia. No entanto, as condições do mar estavam boas, com esquerdas e direitas abrindo as paredes para várias manobras na Praia da Joaquina, que foi decidido realizar mais quatro. E logo na primeira delas, o catarinense Yago Dora pegou uma direita da série para executar uma série de batidas e rasgadas e ainda completou um aéreo incrível para ganhar a maior nota na Joaquina, 9,0. Depois, ainda conseguiu um 7,83 para se tornar o recordista absoluto do Hang Loose Pro Contest 30 Anos com 16,83 pontos de 20 possíveis. O potiguar Jadson André da elite do CT passou em segundo, eliminando o taitiano Mateia Hiquily e o australiano Kalani Ball.

"A onda (da nota 9,0) nem parecia muito boa quando entrei nela, mas ela ficou mais vertical no inside e decidi arriscar um aéreo, depois emparedou de novo e conseguir fazer mais umas batidas forte pra finalizar", contou Yago Dora, que ocupa a 26.a posição no QS e pode entrar no G-10 com um bom resultado no Brasil. "Depois de viajar pelo mundo inteiro durante o ano, não tem nada melhor do que competir em casa, junto com todos os amigos e família. Está todo mundo se divertindo aqui e espero conseguir um bom resultado para subir mais no ranking".

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it