Billabong Pipe Masters

Taitiano Michel Bourez é o campeão do Billabong Pipe Masters

WSL South America

Backdoor Barrel Fest
Melhores momentos do festival de tubos no Backdoor.

O taitiano Michel Bourez, 30 anos, é o novo campeão do Billabong Pipe Masters, surfando lindos tubos nas direitas do Backdoor na segunda-feira de boas ondas de 4-6 pés para fechar a temporada 2016 do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour no Havaí. A final foi contra um estreante em Pipeline, o mais jovem da elite com 19 anos, Kanoa Igarashi, norte-americano que passou pelo mestre Kelly Slater com um tubaço nas semifinais e por Jordy Smith, que tirou o segundo lugar de Gabriel Medina no ranking. Já o único tubo perfeito que mereceu nota 10 dos juízes foi surfado por Filipe Toledo e não foi suficiente para vencer o campeão Michel Bourez na segunda rodada classificatória para as quartas de final.

Michel Bourez and Kanoa Igarashi the Billabong Pipe Masters winner and runner-up. Michel Bourez e Kanoa Igarashi - WSL / Kelly Cestari

O taitiano depois barrou o campeão mundial John John Florence, que fechou o ano do seu primeiro título colecionando mais um troféu da Tríplice Coroa Havaiana. Ainda teve trabalho para superar Kolohe Andino nas semifinais. Se o norte-americano passasse para a final, tiraria mais uma posição de Gabriel Medina no ranking, mas perdeu e permaneceu em quarto lugar, com o australiano Matt Wilkinson fechando o seleto grupo dos top-5 do Jeep WSL Ranking.

Com a vitória no Billabong Pipe Masters, Michel Bourez saltou da 13.a para a sexta posição. Na bateria que decidiu o título, não entraram os tubos que rolaram durante o dia e o taitiano faturou os 100.000 dólares por um baixo placar de 7,53 a 6,17 pontos. Nada parecido com o que os finalistas já haviam feito nas direitas do Backdoor. O campeão ganhou do havaiano John John Florence por 17,20 pontos de 20 possíveis. Duas baterias depois, Kanoa Igarashi atingiu 18,03 contra Jordy Smith, quase repetindo a nota 10 de Filipe Toledo num tubo sensacional no Backdoor.

Michel Bourez wins quarterfinal 2 of the billabong pipe masters Michel Bourez - WSL / tony heff

Michel Bourez tem 30 anos de idade, compete em Pipeline desde 2009 e foi semifinalista uma vez, perdendo para o campeão de 2011, Kieren Perrow, hoje comissário da World Surf League, que integra a comissão técnica nas etapas que definem o campeão mundial. Esta foi a terceira vitória do taitiano em oito temporadas no CT. As outras foram em 2014, em Margaret River na Austrália e a última no Brasil, ganhando a bateria final no Rio de Janeiro do mesmo Kolohe Andino que derrotou na semifinal em Pipeline.

Já Kanoa Igarashi é o mais jovem dos top-34 com 19 anos e estreou no maior palco do esporte já fazendo final no Billabong Pipe Masters. E chegou a sua primeira decisão de título passando por grandes estrelas bem mais experientes. Derrotou o mestre Kelly Slater duas vezes na segunda-feira, a última depois de barrar Jordy Smith com um tubo quase nota 10 nas quartas de final, com a média ficando em 9,93. Com ele, atingiu 18,03 pontos, quase batendo o recorde do sul-africano na fase anterior, 18,10 contra o americano Nat Young.

Kanoa Igarashi winning Heat 4 of Round Four of the Billabong Pipe Masters at Pipeine, Oahu, Hawaii. Kanoa Igarashi - WSL / Kelly Cestari

Kanoa era o rei do 13.o lugar no ano, sempre ganhando uma bateria e perdendo na terceira fase em nove das dez etapas antes da final no Havaí. Ele estava fora do grupo dos 22 primeiros que são mantidos no CT para o próximo ano e tinha confirmado sua permanência pelo WSL Qualifying Series, com a vitória no QS 6000 Hang Loose Pro Contest 30 Anos na Praia da Joaquina, em Florianópolis (SC). No ano passado, Kanoa também confirmou sua entrada no CT no Brasil, ganhando o QS 6000 de Itacaré, na Bahia, que saiu do calendário esse ano.

SUBSTITUTOS DO CT 2017 - Agora, Kanoa Igarashi retribuiu com seu resultado no Billabong Pipe Masters, deixando dois brasileiros como substitutos do QS para o Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, o baiano Bino Lopes e o paulista Jessé Mendes. Ele era o quinto no G-10 do ranking de acesso, agora entrou no grupo dos 22 que ficam na elite e tirou o também californiano Nat Young do CT 2017. Mas, a vaga do QS ficou para o seu amigo, o havaiano Ezekiel Lau, que tinha terminado em 11.o no ranking por apenas 50 pontos.

Kolohe Andino winning Quarter Final Heat 1 of the Billabong Pipe Masters at Pipeine, Oahu, Hawaii. Kolohe Andino - WSL / Damien Poullenot

Bino Lopes só saiu do G-10 do QS na Triplice Coroa Havaiana e agora é o segundo "alternate" para substituir os tops em 2017. O primeiro é o 23.o do ranking do CT, Nat Young. No entanto, se Mick Fanning, que ficou em 17.o lugar, realmente abandonar o Circuito Mundial como se comenta, ele entra em seu lugar e o primeiro substituto passa a ser o havaiano Keanu Asing. O segundo é Bino Lopes e o terceiro seria outro havaiano, Dusty Payne, 27.o no ranking do CT, pois Jeremy Flores em 25.o e Jadson André em 26.o se classificaram pelo QS. O quarto é Jessé Mendes.

BRASIL NO CT 2017 - A seleção brasileira no CT 2017 terá nove surfistas, um a menos do que esse ano. Isso porque saíram dois da elite, o catarinense Alejo Muniz e o paulista Alex Ribeiro, entrando apenas uma novidade pelo WSL Qualifying Series, o pernambucano Ian Gouveia. Os oito que continuam no grupo dos top-34 da World Surf League são os campeões mundiais Gabriel Medina e Adriano de Souza, os também paulistas Filipe Toledo, Caio Ibelli, Wiggolly Dantas e Miguel Pupo, e os potiguares Italo Ferreira e Jadson André, único que garantiu sua permanência pelo QS e não entre 22 mantidos pelo CT.

Jordy Smith winning Heat 4 of Round Five of the Billabong Pipe Masters at Pipeine, Oahu, Hawaii. Jordy Smith - WSL / Damien Poullenot

No último dia do Billabong Pipe Masters, Miguel Pupo ainda estava ameaçado de sair da elite, mas a confirmação da sua vaga veio quando Jordy Smith derrotou Nat Young na quinta fase. Foi um dos melhores duelos do último dia. O americano liderava a bateria com duas notas excelentes, acima de 8. Mas, o sul-africano reagiu de forma fulminante, surfando dois tubos incríveis nos minutos finais para vencer de virada por 18,10 a 16,17 pontos. Nat Young ficou desolado e depois saiu do G-22, caindo para o 23.o lugar quando Kanoa Igarashi passou para as semifinais derrotando o próprio Jordy Smith.

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it