NewsSouth AmericaItalo Ferreira

Italo Ferreira está fora do restante da perna australiana

O potiguar Italo Ferreira, que tirou a primeira nota 10 do ano no World Surf League Championship Tour 2017, está fora das outras duas etapas da "perna australiana". Ele já estava escalado na 11.a bateria do Drug Aware Margaret River Pro, que começa em 29 de março, porém na última quarta-feira (22) torceu o tornozelo direito na volta de um aéreo de backside na praia de Duranbah, na Gold Coast. Após fazer uma ressonância magnética na Austrália, foi constatada uma lesão sem fratura que requer cuidado, então ele vai voltar ao Brasil nos próximos dias para fazer novos exames e iniciar o tratamento, visando se recuperar a tempo de disputar a etapa brasileira da World Surf League nos dias 09 a 20 de maio em Saquarema (RJ).

Italo Ferreira Italo volta para o Brasil para iniciar tratamento. WSL / WSL South America

O manager de Italo Ferreira, Luiz Henrique Campos, mais conhecido por Pinga, divulgou um comunicado oficializando o cancelamento da sua participação nas etapas de Margaret River e também de Bells Beach, onde o potiguar de Baia Formosa já conquistou bons resultados, chegando nas semifinais das duas provas no ano passado.

"Como todos estão sabendo, na última quarta-feira, o Ítalo (Ferreira) sofreu uma lesão no tornozelo direito. Depois de termos realizado todos os exames e conversado com os médicos, ficou decidido que ele retorna ao Brasil nos próximos dias para já dar início aos procedimentos de recuperação. Ele fica de fora das próximas etapas da perna australiana e iremos trabalhar para que a recuperação seja rápida e completa. Vale dizer que ele está bem e tranquilo. Agradecemos a todos pelas mensagens de apoio e força", escreveu Luiz "Pinga" Campos.

JESSÉ MENDES - Com a saída de Italo Ferreira do Drug Aware Margaret River Pro, a World Surf League vai anunciar o seu substituto e as baterias da primeira fase já divulgadas serão modificadas. Para compensar a baixa de última hora do surfista de Baía Formosa, que fez grandes apresentações nas ondas de Snapper Rocks durante o Quiksilver Pro Gold Coast, o atual líder no ranking do WSL Qualifying Series, Jessé Mendes, ganhou o convite da WSL para competir nas ondas de "power" havaiano de M-River. Antes da contusão do potiguar-voador, o guarujaense estava escalado para estrear junto com o campeão mundial Gabriel Medina na quinta bateria, completada pelo norte-americano Kanoa Igarashi.

Jesse Mendes placed third in semifinal heat 1 of the Quik Pro Gold Coast trials. Jessé Mendes WSL / Ed Sloane

Jessé Mendes ficou muito perto da classificação para o CT no ano passado e é o quarto na lista para substituir os tops da elite nas etapas de 2017. Dessa vez, ele entrou como convidado pela grande campanha que fez na "perna australiana" do WSL Qualifying Series. Jessé foi finalista nas duas provas mais importantes da temporada até agora, as únicas com status QS 6000. Em Newcastle, perdeu a decisão brasileira para o catarinense Yago Dora, mas em Sydney faturou o título e assumiu a liderança no ranking que classifica dez surfistas para o seleto grupo dos top-34 que disputa o título mundial da World Surf League.

Com a entrada de Jessé Mendes e a baixa de Italo Ferreira, o Brasil permanecerá com nove representantes em Margaret River, assim como foi na Gold Coast com a "seleção" brasileira completa. Gabriel Medina foi o melhor no Quiksilver Pro e começa a temporada dividindo o terceiro lugar com o atual campeão mundial, John John Florence, que perdeu a lycra amarela do Jeep WSL Leader para o vencedor da primeira etapa, Owen Wright. Italo Ferreira parou no havaiano nas quartas de final e ficou em quinto lugar.

Adriano de Souza during Round Three. Adriano de Souza WSL / Ed Sloane

O número 1 da World Surf League em 2015, Adriano de Souza, que venceu essa etapa de Margaret River no mesmo ano, ocupa a nona posição no primeiro ranking de 2017. Mais quatro brasileiros iniciaram a temporada em 13.o lugar, os também paulistas Caio Ibelli e Miguel Pupo, o potiguar Jadson André o pernambucano Ian Gouveia, a novidade da "seleção brasileira" esse ano. Já os paulistas Filipe Toledo e Wiggolly Dantas não venceram nenhuma bateria na Gold Coast e ocupam a 25.a posição.

No World Surf League Women´s Championship Tour, a cearense Silvana Lima também passou em branco na primeira etapa, sendo eliminada na bateria que a norte-americana Lakey Peterson tirou a primeira nota 10 da temporada 2017 na Gold Coast. Silvana está escalada na primeira bateria do Drug Aware Margaret River Pro, junto com a francesa Johanne Defay e a havaiana Malia Manuel. Assim como no masculino, esta rodada inicial é classificatória e as vencedoras das baterias avançam direto para a terceira fase, mas as perdedoras terão uma segunda chance de continuar na disputa do título do segundo desafio do ano na Austrália.

×
×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it