NewsMartinique Surf Pro

Bino Lopes é vice-campeão do QS 3000 de Martinica

Highlights: Christie vence Bino na final
2:40
Em uma bateria de notas altas, o neozelandês vence o brasileiro.

O baiano Bino Lopes ficou perto da segunda vitória brasileira seguida no WSL Qualifying Series, perdendo por pouco a decisão do título do QS 3000 Martinique Surf Pro, encerrado sexta-feira no Caribe nas direitas de Basse-Pointe. O neozelandês Ricardo Christie venceu por 16,66 a 15,57 pontos e entrou na lista dos dez que se classificam para o CT. Bino Lopes subiu para o 12.o lugar no ranking que no momento está indicando até o 11.o colocado, mesma posição que terminou no ano passado, na porta de entrada da elite dos top-34 da World Surf League. Na próxima terça-feira, começa a primeira etapa da WSL South America em 2017, o Rip Curl Pro Argentina com o tradicional QS 1500 masculino e um inédito QS 1000 feminino em Mar del Plata.

Ricardo Christie (NZL) winning  Martinique surf Pro 2017 Finalistas em Basse-Pointe WSL / Poullenot/Aquashot

"É lógico que eu queria ganhar, mas o Ricardo (Christie) é um ótimo surfista e mereceu a vitória", reconheceu Bino Lopes. "Em uma bateria como essa, você não pode cometer erros e eu fiz um, então foi um resultado justo. Estou feliz porque melhorei o meu último resultado aqui e quero continuar seguindo passo a passo o caminho para o meu objetivo final. E já estou pronto para o próximo desafio".

A 15.a etapa do WSL Qualifying Series foi vencida pelo paulista Hizunomê Bettero no último fim de semana na Califórnia, Estados Undiso. E a 16.a terminou na sexta-feira em boas ondas de 3-4 pés no pointbreak de direitas de Basse-Pointe. Só foram realizadas três baterias e Bino Lopes disputou a primeira semifinal do dia, despachando o costa-ricense Noe Mar McGonagle por 14,77 a 11,27 pontos com as notas 7,17 e 7,60 das melhores ondas que surfou na bateria. O neozelandês Ricardo Christie fez uma disputa mais eletrizante contra o australiano Soli Bailey. Eles ganharam as maiores notas da sexta-feira e o campeão garantiu a vitória com o 8,73 recebido na última onda, fechando o placar em 17,23 a 16,17 pontos.

Bino Lopes (BRA)  Placed 2nd in Final of the Martinique surf Pro 2017 Bino Lopes WSL / Poullenot/Aquashot

Na grande final também entraram boas ondas para os dois competidores e Bino Lopes largou na frente, manobrando forte nas direitas de Basse-Point para tirar nota 8,50 dos juízes. O neozelandês falhou nas primeiras tentativas, mas entrou na briga com o 8,83 que ganhou atacando uma onda com muita potência. Ele ainda surfou mais duas seguidas que valeram 7,83 e 7,03, enquanto o máximo que o brasileiro conseguiu foi 7,07 para atingir 15,67 pontos, contra os 16,66 que garantiram a vitória de Ricardo Christie no QS 3000 Martinique Surf Pro.

O campeonato inteiro foi disputado em excelentes condições de ondas na paradisíaca Ilha Martinica. O segundo QS 3000 do ano começou no sábado passado com 111 surfistas, 26 deles da América do Sul, sendo dezessete do Brasil, sete do Peru e dois da Argentina. Vários se destacaram nas ondas perfeitas do Caribe e onze passaram pela rodada de estreia dos cabeças de chave, chegando na fase dos 32 melhores que fechou a segunda-feira em Basse-Pointe.

Ricardo Christie (NZL) Placed 1st  in Semis Two at Martinique surf Pro 2017 Ricardo Christie WSL / Poullenot/Aquashot

Na segunda bateria, eram três disputando duas vagas e os mais jovens, Yuri Gonçalves e Lucas Silveira, superaram o ex-top do CT, Alejo Muniz, junto com o japonês Hiroto Arai. O peruano Miguel Tudela passou em segundo na disputa seguinte, assim como o baiano Bino Lopes na quarta bateria e o capixaba Rafael Teixeira na quinta. Bino ganhou a briga pela segunda vaga do argentino Santiago Muniz e Rafael avançou na que Deivid Silva ficou em último. Depois, outro paulista, Victor Bernardo, e o peruano Adrian Garcia, perderam juntos na sexta bateria. E mais um paulista, Robson Santos, ficou em último na penúltima da segunda-feira.

Depois o mar baixou e as ondas só voltaram a bombar na quinta-feira em Basse-Pointe para rolar as fases decisivas. Três sul-americanos disputaram as duas primeiras vagas para as quartas de final e Bino Lopes começou o penúltimo dia com vitória, porém o catarinense Yuri Gonçalves e o peruano Miguel Tudela foram eliminados pelo francês Marc Lacomare na disputa pelo segundo lugar. O carioca Lucas Silveira também perdeu na segunda bateria, mas o capixaba Rafael Teixeira ganhou a última bateria formada por quatro competidores.

Rafael Teixeira (BRA)  Placed 1st in Heat 4 of Round Five at Martinique Surf Pro 2017 Rafael Teixeira WSL / Poullenot/Aquashot

BRASIL NO QS - As quartas de final foram iniciadas em seguida, com Bino Lopes despachando o havaiano Tanner Hendrickson. Já Rafael Texeira foi barrado pelo neozelandês Ricardo Christie, terminando em quinto lugar no QS 3000 Martinique Surf Pro. O baiano saiu do 59.o para o 12.o lugar no ranking com os 2.250 pontos do vice-campeonato e o capixaba subiu para a 15.a posição, também se aproximando bastante do G-10 do WSL Qualifying Series com os 1.260 pontos do bom resultado na Ilha Martinica.

Mesmo não participando desta 16.a etapa, o paulista Jessé Mendes permaneceu em primeiro lugar no ranking, mas o catarinense Yago Dora perdeu a segunda colocação para o francês Jorgann Couzinet, da Ilha Reunião, que somou 600 pontos com o 17.o lugar no Caribe. O catarinense Alejo Muniz também ficou em 17.o e passou a ser o nono no ranking. O paulista Alex Ribeiro não competiu e caiu para o 11.o lugar, mas ainda está fechando o G-10 porque o australiano Julian Wilson é o oitavo e dispensa a vaga do ranking de acesso por estar entre os top-22 do CT que ficam na elite.

Miguel Tudela (PER)  Placed 3rd  in Heat 1 of Round Five  at Martinique Surf Pro 2017 Miguel Tudela WSL / Poullenot/Aquashot

PRÓXIMAS ETAPAS: Neste fim de semana está sendo encerrada outra etapa do WSL Qualifying Series, o QS 1000 Nelson Mandela Bay Surf Pro na África do Sul. E nesta semana serão disputadas mais cinco provas pelo mundo. O QS 1500 Rip Curl Pro Argentina abre o calendário da WSL South America em Mar del Plata na mesma terça-feira, dia 11, que começa o QS 3000 Barbados Surf Pro no Caribe. Também vão rolar três etapas do QS 1000, sendo uma na Costa de Caparica em Portugal, em East London na África do Sul e em Krui na Indonésia.

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it