NewsHuanchaco Repalsa Longboard Pro

Maui and Sons Arica Pro sobe para QS 3000 e Peru volta a sediar etapas do QS e Longboard em julho

A WSL South America vai promover quatro eventos no próximo mês e o principal deles é o já tradicional Maui and Sons Arica Pro Tour nos dias 17 a 23 de julho no Chile, que subiu o seu status de QS 1500 para QS 3000 esse ano. Os outros serão no Peru, que não sediava uma prova do WSL Qualifying Series desde 2014 e vai realizar dois eventos combinados de nível QS 1000 em San Bartolo, o Rip Curl Pro San Bartolo Peru para os homens e o Jeep Pro San Bartolo Peru para as mulheres. E fechando o mês, de 27 a 29 de julho, o Huanchaco Repalsa Longboard Pro Peru volta a definir os campeões sul-americanos nos pranchões, como acontecia desde 2010 até 2015.

Tomas Tudela - Maui and Sons Arica Pro Tour Tomas Tudela, Maui and Sons Arica Pro. WSL / Rodrigo Farias

Esta série de eventos da WSL South America no mês de julho começa com o retorno do Peru e de San Bartolo ao calendário do WSL Qualifying Series. Como quando estreou no Circuito Mundial em 2009, serão duas provas do QS 1000 combinadas entre masculino e feminino nos dias 13 a 15 de julho, o Rip Curl Pro San Bartolo Peru com premiação de 7.500 dólares para os homens, e o Jeep Pro San Bartolo Peru oferecendo 3.750 dólares para as mulheres.

Ambas valerão 1.000 pontos para o ranking mundial do WSL Qualifying Series e para o da WSL South America, que define os campeões sul-americanos da temporada. Os primeiros a festejarem vitórias em San Bartolo foram o venezuelano Rafael Pereira e a peruana Sofia Mulanovich, que em 2014 também conquistou o último título de um QS no Peru, no Rip Curl Girls Pro. Em 2012, foi realizada a última etapa masculina e o campeão foi o peruano Miguel Tudela.

Sofia Mulanovich -  Rip Curl Women's Pro San Bartolo 2014 Sofia Mulanovich - PER WSL / Maga Villalobos

QS 3000 EM ARICA - As duas etapas de San Bartolo terminam no sábado, dia 15 de julho, e o prazo do Maui and Sons Arica Pro Tour já começa na segunda-feira (17) e vai até o domingo (23) no Chile. O Desafio de Arica nas grandes ondas de El Gringo, também iniciou sua história em 2009 e só não foi realizado no ano seguinte. Retornou em 2011, com Guillermo Satt conquistando o único título chileno em casa e, desde então, não saiu mais do calendário. A participação de surfistas de outros continentes foi aumentando a cada edição, graças a qualidade "world class" dos tubos de El Gringo, tornando-se um torneio de grande prestígio na região e bastante procurado pelos melhores tuberiders do mundo.

Em 2015, as condições do mar ficaram tão perigosas no último dia, com ondas enormes em toda a costa de Arica, que as finais tiveram que ser canceladas. A marca Maui and Sons passou a patrocinar o evento em 2012 e para esse ano aumentou a premiação para 75.000 dólares, elevando o status do torneio de QS 1500 para QS 3000. Isso deve atrair mais surfistas de ponta do ranking mundial vindos de outros continentes, pela importância que ganhou no WSL Qualifying Series. No ano passado, aconteceu a segunda decisão sem nenhum sul-americano disputando o título e William Allioti derrotou o australiano Dean Bowen, levando o caneco de campeão do Maui and Sons Arica Pro Tour para a França.

Piccolo Clemente at the Huanchaco Repalsa Longboard Pro presented by Claro and Samsung. Piccolo Clemente WSL / Susu Nasser

HUANCHACO - Depois do QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour no Chile, a sétima edição do Huanchaco Repalsa Longboard Pro fecha o mês de julho da WSL South America, com grandes estrelas mundiais da modalidade voltando a competir em Huanchaco, nos dias 27 a 29 na Meca do Longboard Sul-americano, no norte do Peru. O evento vinha sendo realizado desde 2010, sempre decidindo os campeões sul-americanos de Longboard da WSL South America e formando a equipe para representar o continente na disputa pelo título mundial da World Surf League.

Foi no Huanchaco Repalsa Longboard Pro que surgiu o maior nome do Peru na categoria, Piccolo Clemente, que acabou sagrando-se bicampeão mundial da WSL em 2013 e 2015. Ele só não decidiu o título nas ondas de El Elio uma vez e conquistou três vitórias em casa. O peruano e a brasileira Atalanta Batista festejaram o bicampeonato sul-americano consecutivo em 2014 e 2015, ganhando as duas últimas edições do evento. Para Piccolo Clemente, foi o seu terceiro título, pois também venceu a etapa de 2011 em Huanchaco.

Atalanta Batista (BRA) winner of the women's 2015 Huanchaco Repalsa Pro. Atalanta Batista (BRA) WSL / Susu Nasser

Este campeonato estava previsto para acontecer no mês de abril deste ano, porém foi transferido para o final de julho por conta das inundações provocadas pelas chuvas torrenciais que se abateram sobre a região norte do Peru nos meses de março e abril, causando uma grande devastação e a decretação de estado de emergência por parte do governo peruano.

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it