NewsJeep Pro San Bartolo Peru

Peruanas se destacam no Jeep Pro San Bartolo Peru

O QS 1000 Jeep Pro San Bartolo Peru apresentou para o mundo mais uma onda poderosa do seu litoral na volta do país andino ao calendário do WSL Qualifying Series. Com as grandes ondas que atingiram a costa peruana nesta semana, os organizadores do evento escolheram mudar a competição do palco principal nos molhes de San Bartolo, para as ondas desafiadoras de Peñascal. As previsões são de ficarem ainda maiores do que os 4-6 pés da quinta-feira, então o primeiro dia ficou só para as meninas e já foram definidas as finalistas. Os homens vão estrear no QS 1000 Rip Curl Pro San Bartolo Peru na sexta-feira, a partir das 7 horas em Peñascal, 9 horas em Brasília. Os dois eventos serão encerrados no sábado em San Bartolo.

Vania Torres - Jeep Pro San Bartolo Peru Vania Torres WSL / Mauricio Espinoza

Competindo em casa, as peruanas se destacaram no mar difícil para as meninas, com direitas enormes entrando sem parar com muita força e dificultando o posicionamento das surfistas no outside, que precisavam ficar remando o tempo todo. Elas fizeram os recordes do dia e Anali Gomez e Vania Torres se classificaram para decidir o título da segunda etapa da WSL South America, com a líder do ranking sul-americano, Dominic Barona, do Equador, e Bailey Nagy, do Havaí.

Elas tiveram que enfrentar as condições desafiadoras e perigosas do mar em Peñascal três vezes ao longo do dia, exigindo um ótimo preparo físico das atletas. As primeiras vagas foram conquistadas pelas surfistas mais experientes do campeonato, que já tem o título de campeã sul-americana da WSL South America no currículo, a peruana Anali Gomez e a equatoriana Dominic Barona. Cada uma delas conseguiu surfar uma onda boa na primeira semifinal, para superar a chilena Jessica Anderson e outra peruana, Daniela Rosas.

Dominic Barona - Jeep Pro San Bartolo Peru Dominic Barona WSL / Mauricio Espinoza

E na disputa pelas outras duas vagas na grande final, na 14.a e última bateria do dia, a peruana Vania Torres fez a melhor apresentação nas ondas de Peñascal e recebeu a maior nota da quinta-feira, 9,25. Com ela, totalizou 13,50 pontos e a havaiana Bailey Nagy passou em segundo com 12,20, superando os 10,50 da brasileira Tainá Hinckel e os apenas 3,65 da única onda surfada pela peruana Melanie Giunta.

Melanie Giunta tinha acabado de estabelecer novos recordes para o QS 1000 Jeep Pro San Bartolo Peru no confronto que fechou as quartas de final. Ela conseguiu encaixar uma série de manobras em duas ondas seguidas que valeram notas 8,75 e 8,00 para registrar imbatíveis 16,75 pontos de 20 possíveis. E a jovem brasileira Tainá Hinckel, campeã sul-americana Pro Junior da WSL South America no ano passado, também surfou bem e ganhou a última vaga para as semifinais somando 12,50 pontos, segundo maior placar do campeonato até ali.

Melanie Giunta - Jeep Pro San Bartolo Peru Melanie Giunta WSL / Mauricio Espinoza

Até então, as maiores notas recebidas pelas meninas nas ondas difíceis de surfar em Peñescal, eram o 7,75 da havaiana Bailey Nagy na terceira quarta de final e o 7,00 da peruana Daniela Rosas na primeira bateria desta segunda fase. Daniela igualou a nota 7,00 da chilena Jessica Anderson, a maior na rodada inicial de oito baterias, que reuniu as trinta surfistas de nove países que competiram no QS 1000 Jeep Pro San Bartolo Peru.

A maioria das inscritas era do Peru com dez surfistas e duas delas chegaram na grande final, Anali Gomez e Vania Torres. Já o maior pelotão estrangeiro era do Brasil, com seis participantes, contra cinco argentinas, três chilenas, duas havaianas, uma inglesa, uma taitiana, uma venezuelana e uma equatoriana, Dominic Barona, que venceu a primeira etapa da WSL South America na Argentina e já está em outra final no Peru. Ela defende a liderança do ranking sul-americano contra principalmente a peruana Anali Gomez, terceira colocada em Mar del Plata.

Bailey Nagy - Jeep Pro San Bartolo Peru Bailey Nagy WSL / Mauricio Espinoza

A vice-campeã do Rip Curl Pro Argentina foi Melanie Giunta, passando pela própria Anali Gomez nas semifinais em Mar del Plata. Agora, foi Melanie quem parou nas semifinais e Anali avançou para tentar sua primeira vitória em etapas do QS em San Bartolo. A recordista de títulos nesta praia é outra peruana, a campeã mundial Sofia Mulanovich, que venceu o primeiro QS em 2009 e o último em 2014, mas não está competindo esse ano.

RIP CURL PRO - Depois de um dia só para as meninas, a sexta-feira ficará para os homens disputarem as duas primeiras fases do QS 1000 Rip Curl Pro San Bartolo Peru. Os 64 participantes de onze países foram divididos em dezesseis baterias e a maioria é do Brasil, com 27 concorrentes ao título. O Peru tem o segundo maior número com vinte surfistas. Depois, tem o Chile com quatro, Estados Unidos com três, Austrália, Argentina e Havaí com dois cada e quatro nações estarão representadas por um surfista, França, Grécia, Equador e Costa Rica.

Karol Ribeiro - Jeep Pro San Bartolo Peru Karol Ribeiro WSL / Mauricio Espinoza

O cabeça de chave número 1 do Rip Curl Pro é o peruano Miguel Tudela, campeão da última etapa masculina do QS disputada em San Bartolo em 2012. Ele vai estrear logo na primeira bateria, junto com o também peruano Lucas Solar, o norte-americano Jacob Szekely e o brasileiro Felipe Oliveira. Os dois primeiros colocados de cada confronto, voltam a enfrentar o mar pesado de Peñascal na segunda fase.

×
×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it