NewsMaui and Sons Arica Pro Tour

Início do QS 3000 Maui and Sons Pro é adiado no Chile

A segunda-feira amanheceu com o vento maral afetando a formação dos tubos em El Gringo e o início do QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour by Cerveza Corona & Canon foi adiado para as 7h00 da terça-feira no Chile, 8h00 no fuso horário de Brasília. A decisão foi anunciada na segunda chamada do dia, as 9h30, pois as condições do vento não mudaram. O Chile foi atingido por uma nevasca que há muitos anos não acontecia e algumas partes do país entraram em estado de alerta, não no litoral de Arica, onde nesta semana está sendo realizada a etapa mais antiga da América do Sul no calendário do WSL Qualifying Series.

Vitor Mendes - Maui and Sons Arica Pro Tour Vitor Mendes WSL / Rodrigo Farias Moreno

"As condições hoje (segunda-feira) estão bem difíceis, vento maral e não está aquele tipo de Arica com tubos para competir", disse o experiente ex-top do CT, Raoni Monteiro, brasileiro que está escalado na segunda bateria do Maui and Sons Arica Pro Tour. "Até tem umas ondas abrindo, mas está meio ‘stormy' e eu acho que temos tempo para esperar por melhores condições. A previsão é de amanhã (terça-feira) o mar ficar melhor, a onda vai estar rodando os tubos e é isso o que a gente quer pegar e que os juízes querem ver. Então, foi acertada a decisão da comissão técnica, junto com os competidores, de adiar o campeonato hoje".

Alguns surfistas tiveram dificuldades para chegar em Arica e três acabaram cancelando suas participações no QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour, o australiano Brent Dorrington e os irmãos havaianos Makai e Landon McNamara. Com isso, algumas baterias divulgadas no domingo sofreram alterações. Como ainda não havia conseguido chegar no local do campeonato, o norte-americano Chris Ward, um dos melhores big-riders do mundo, foi realocado da segunda para a 14.a bateria da primeira fase, na vaga de Landon McNamara.

Leandro Usuna - Maui and Sons Arica Pro Tour Leandro Usuna WSL / Rodrigo Farias Moreno

Já os outros dois faziam parte da lista dos 32 cabeças de chave que só estreiam na segunda e última rodada de dezesseis baterias, em que foram divididos os 86 participantes de quatorze países. Dois surfistas que estavam na primeira fase ocuparam os seus lugares. Um deles, o defensor do título do Maui and Sons Arica Pro Tour, William Aliotti, da França, que agora encabeça a segunda bateria da segunda fase com o brasileiro Thiago Guimarães. O outro é o brasileiro Samuel Igo, que foi para a quinta, do australiano Jack Robinson.

Os brasileiros são maioria entre os concorrentes ao título do QS 3000 do Chile, com 22 surfistas, doze deles entrando na primeira fase e dez na lista dos cabeças do chave. O segundo maior pelotão é o do Peru, com treze participantes, seguido pelos Estados Unidos com doze, Chile com onze, Havaí com sete, Austrália e Argentina com seis cada um, França com três e seis nações serão representadas por um competidor, Espanha, Portugal, Grécia, Uruguai, Equador e Costa Rica.

Cristian Merello - Maui and Sons Arica Pro Tour Cristian Merello WSL / Rodrigo Farias Moreno

TÍTULO SUL-AMERICANO - A vitória no QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour vale 3.000 pontos para o WSL Qualifying Series e 1.000 pontos para o ranking regional da WSL South America, que define o campeão sul-americano da temporada. No ano passado, pela primeira vez na história, um argentino quebrou a hegemonia brasileira ao conquistar o título sul-americano, Leandro Usuña, que encabeça a 12.a bateria da segunda fase. A World Surf League premia os campeões regionais com a garantia de participação nas principais do WSL Qualifying Series no próximo ano, com status QS 10000 e QS 6000.

No Chile, dois surfistas vão defender a liderança no ranking da WSL South America. O brasileiro Thiago Camarão, campeão do QS 1500 Rip Curl Pro Argentina em Mar del Plata, é um dos cabeças de chave da quarta bateria da segunda fase. E na sexta, estreia o peruano Miguel Tudela, que passou a dividir o primeiro lugar com a vitória no QS 1000 Rip Curl Pro San Bartolo, encerrado no sábado no Peru. Camarão não participou desta etapa.

Maui and Sons Arica Pro Tour Maui and Sons Arica Pro Tour WSL / Mauricio Lazo

CAMPEÕES NO CHILE - Outros destaques entre os participantes são os quatro surfistas que já venceram o Desafio de Arica nos tubos de El Gringo e podem conquistar um inédito bicampeonato na oitava edição do Maui and Sons Arica Pro Tour. Campeão em 2013, o peruano Alvaro Malpartida foi escalado na primeira bateria do campeonato esse ano, junto com o havaiano Danny Fuller e o brasileiro Wesley Leite. O também peruano Gabriel Villaran, vencedor da primeira edição em 2009, também entra na primeira fase, na 12.a bateria.

Os outros dois fazem parte da lista dos cabeças de chave que irão estrear na segunda rodada da competição. O atual campeão, William Aliotti, até estava na primeira fase também, porém ganhou uma vaga de cabeça de chave na segunda bateria. E Guillermo Satt, que em 2011 conquistou a única vitória chilena no Maui and Sons Arica Pro Tour, está na nona bateria junto com o brasileiro Hizunomê Bettero.

Maui and Sons Arica Pro Tour Maui and Sons Arica Pro Tour WSL / Mauricio Lazo
×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it