NewsMaui and Sons Arica Pro Tour

Peruano e norte-americanos brilham no QS 3000 do Chile

O indesejado vento maral que acaba com a forma√ß√£o dos tubos em El Gringo, entrou mais cedo na quarta-feira e o QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour by Cerveza Corona & Canon teve que ser paralisado ap√≥s a oitava das doze baterias programadas para o segundo dia no Chile. Foram realizadas as cinco que restavam para fechar a primeira fase e mais tr√™s da segunda, com os norte-americanos se sobressaindo com tr√™s vit√≥rias e seis classifica√ß√Ķes. Mas, o grande destaque do dia foi o peruano Alvaro Malpartida, que se tornou o recordista absoluto do campeonato com nota 8,67 e 15,17 pontos. Foi no pen√ļltimo confronto do dia e o evento parou quando o brasileiro Thiago Camar√£o ia come√ßar a defender a lideran√ßa do ranking sul-americano da WSL South America. A sua estreia em Arica ficou para as 7h00 da quinta-feira no Chile, 8h00 no fuso hor√°rio de Bras√≠lia.

Alvaro Malpartida - Maui and Sons Arica Pro Tour Alvaro Malpartida WSL / Rodrigo Farias Moreno

"Eu adoro vir aqui para Arica e acho que essa onda de El Gringo é uma das cinco melhores do mundo, certamente", disse Alvaro Malpartida, que já fez duas finais no Chile, em 2009 e 2013. "Eu amo o perigo de surfar aqui e especialmente esses tubos incríveis. Eu tenho muito respeito por essa onda, mas muito amor também. Acho que é necessário construir uma relação com ela e com o tempo ela pode mostrar o seu lado mágico para você".

O peruano brilhou na bateria que tinha dois surfistas que já venceram o Desafio de Arica nos tubos de El Gringo. Ele e o defensor do título, William Aliotti, que no ano passado derrotou o australiano Dean Bowen com nota 10 na bateria final. Alvaro Malpartida fez a parte dele e venceu com o maior placar do QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour. Já o francês, acabou eliminado pelo brasileiro João Chianca, que totalizou 10,76 pontos para passar em segundo lugar para a terceira fase. William Aliotti só conseguiu somar 5,16 nas duas ondas computadas e terminou em terceiro lugar, com outro brasileiro, Thiago Guimarães, em quarto.

Skip McCullough - Maui and Sons Arica Pro Tour Skip McCullough WSL / Rodrigo Farias Moreno

Um total de 27 surfistas de oito países competiu nas oito baterias disputadas na quarta-feira. E assim como na terça-feira, a participação norte-americana nas grandes ondas do mar difícil de El Gringo, foi a melhor pelo segundo dia consecutivo. Dos sete que tentaram classificação, apenas um foi eliminado e três deles saíram da água em primeiro lugar, Cam Richards na primeira fase e Skip McCullough e Jordy Collins nos confrontos da rodada de estreia dos cabeças de chave do Maui and Sons Arica Pro Tour.

Skip McGullough só surfou duas ondas na bateria que abriu a segunda fase, mas o tubaço que completou na sua estreia em El Gringo valeu a maior nota do dia até ali - 7,33. Ela acabou garantindo a vitória por 10,16 pontos. Na briga pela segunda vaga para a terceira fase, Lucas Silveira superou o também brasileiro Raoni Monteiro e o havaiano Danny Fuller, por apenas 5,77 pontos.

Danny Fuller - Maui and Sons Arica Pro Tour Danny Fuller WSL / Pablo Jimenez

"Caramba, aquele foi o melhor tubo que já peguei aqui em El Gringo", disse Skip McCullough, que tem parentes da sua família no Peru. "Foi a primeira vez que eu consegui pegar um tubo para a esquerda desde que eu cheguei. Fazem três dias que estou procurando por eles e esse foi o primeiro que achei, então acho que o sangue sul-americano nas minhas veias me ajudou dessa vez (risos)".

E para sacramentar o dom√≠nio norte-americano na quarta-feira, Jordy Collins fechou o dia com a terceira vit√≥ria ianque. Mas, foi nessa bateria que eles sofreram a √ļnica baixa, pois Dylan Christensen ficou em √ļltimo e Peterson Crisanto avan√ßou em segundo lugar. O n√ļmero de brasileiros que competiu foi o mesmo dos Estados Unidos, no entanto apenas quatro passaram e tr√™s perderam. A √ļnica vit√≥ria verde-amarela foi conquistada por Kim Matheus no primeiro confronto do dia, contra o chileno Cristobal Montecinos e o peruano Adrian Garcia.

Chris Ward - Maui and Sons Arica Pro Tour Chris Ward WSL / Rodrigo Farias Moreno

"Eu estava bem nervoso, porque é a minha primeira vez competindo aqui em Arica e nem surfei antes da minha bateria", disse Kim Matheus. "Mas, eu acho que fui bem. Peguei um tubinho e depois mais uma onda para garantir o primeiro lugar e estou muito feliz por ter começado bem o campeonato. Eu usei uma prancha um pouco maior e isso ajudou para entrar nas ondas. Espero que continue assim nas próximas".

Na segunda bateria realizada na quarta-feira, Braiden Maither tamb√©m conquistou a √ļnica vit√≥ria e classifica√ß√£o havaiana, surfando o primeiro tuba√ßo do dia, que valeu nota 7,0. O argentino Martin Passeri passou em segundo lugar junto com ele para a segunda fase. Os outros dois havaianos que competiram no segundo dia, foram derrotados por seus advers√°rios. Braiden ter√° um duro desafio em sua pr√≥xima participa√ß√£o, pois foi para a 13.a bateria, encabe√ßada por dois europeus, o ex-top da elite do CT, o espanhol Aritz Aranburu, e o portugu√™s Nic Von Rupp. Al√©m deles, ainda tem o famoso big-rider americano, Chris Ward.

El Gringo - Maui and Sons Arica Pro Tour El Gringo - Arica, Chile WSL / Pablo Jimenez

"Está bem divertido o mar e parece muito com uma onda pertinho de casa no Havaí, até a entrada e saída pelas pedras é igual", comparou Braiden Maither. "Eu não sei porque não trouxe pranchas maiores para cá, deveria, mas estou acostumado surfar com pranchas menores em ondas pesadas como essa , para ter mais agilidade dentro do tubo. Ainda bem que não estava tão grande como ontem (terça-feira) e deu tudo certo".

Na lista dos surfistas que saíram do mar festejando vitórias nos tubos e El Gringo na quarta-feira, além dos três norte-americanos, do peruano Alvaro Malpartida, do brasileiro Kim Matheus e do havaiano Braiden Maither, estão o chileno Leon Landea e o australiano David Vlug, que foram os melhores nos confrontos que fecharam a primeira fase.

Leon Landea - Maui and Sons Arica Pro Tour Leon Landea WSL / Rodrigo Farias Moreno

Em seguida, foi iniciada a rodada de estreia dos cabeças de chave e eles continuarão se apresentando na quinta-feira. Na primeira bateria do dia, as 7h00, estreia o líder do ranking sul-americano da WSL South America, Thiago Camarão, contra o também brasileiro Yagê Araujo, o argentino Nahuel Amalfitano e o chileno Ale Diaz.

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it