NewsMaui and Sons Arica Pro Tour

Maui and Sons Arica Pro define os oito finalistas no Chile

Maui and Sons Arica Pro Tour Maui and Sons Arica Pro Tour WSL / Pablo Jimenez

O mar baixou um pouco na sexta-feira, mas El Gringo continuou bombando lindos tubos de 3-5 pés para definir os oito classificados para as quartas de final do QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour by Cerveza Corona & Canon no Chile. O campeonato começou com 85 surfistas de 14 países e o título será disputado por representantes de quatro nações. Os norte-americanos são maioria e vão duelar com os sul-americanos nas baterias que abrirão o sábado na Isla El Alacrán. Jordy Collins está na primeira com o brasileiro Thiago Camarao, Skip McCullough na segunda com o peruano Alvaro Malpartida e Cam Richards na terceira com o chileno Manuel Selman. Já a última vaga para as semifinais será disputada pelo brasileiro Hizunome Bettero e o peruano Tomas Tudela.

Manuel Selman - Maui and Sons Arica Pro Tour Manuel Selman WSL / Pablo Jimenez

Os primeiros a conquistar classificação para as quartas de final na última rodada de confrontos formados por quatro competidores, foram Thiago Camarão e Alvaro Malpartida. Eles derrotaram o último australiano, Jack Robinson, além de outro brasileiro, Marcos Correa. Com os resultados da sexta-feira, ninguém mais ameaça a liderança de Thiago Camarão no ranking sul-americano da WSL South America. Isso porque o vice-líder, Jeronimo Vargas, foi barrado no primeiro confronto do dia e os que passaram para as quartas de final, não conseguem mais ultrapassar os 1.420 pontos que Camarão já totaliza no ranking regional.

"Não foi uma bateria fácil, pois tinham poucas ondas e eu fiquei focado em pegar a primeira onda boa para tirar uma nota alta", disse Thiago Camarão. "Quando aquela onda entrou, eu estava bem posicionado e consegui o que eu queria, uma nota boa (6,67). Estou amarradão em passar para as quartas de final e muito motivado para competir amanhã (sábado) de novo aqui nesse lugar incrível, com altas ondas".

Hizunome Bettero - Maui and Sons Arica Pro Tour Hizunome Bettero WSL / Rodrigo Farias Moreno

Enquanto Camarão já está tranquilo na liderança da disputa pelo título de melhor surfista da América do Sul na temporada 2017, o peruano Alvaro Malpartida segue na busca por um feito inédito na história do campeonato mais antigo do calendário da WSL South America, realizado desde 2009 nos tubos de El Gringo. Ele ganhou o Desafio de Arica em 2013 e é o único que ainda pode conseguir o primeiro bicampeonato na etapa chilena do WSL Qualifying Series.

E é atrás dos 3.000 pontos no ranking mundial, que surfistas de vários continentes foram ao Chile. Entre os oito finalistas, apenas Alvaro Malpartida e os brasileiros Thiago Camarão e Hizunomê Bettero, pontuam no ranking sul-americano da WSL South America. Os norte-americanos, o chileno Manuel Selman e o peruano Tomas Tudela, são filiados na WSL North America e no Chile só estão marcando pontos no ranking do WSL Qualifying Series.

Cam Richards - Maui and Sons Arica Pro Tour Cam Richards WSL / Pablo Jimenez

DESTAQUES DO DIA - O californiano Skip McCullough foi um dos destaques da sexta-feira. Na segunda classificatória para as quartas de final, ele achou os tubos nas difíceis condições do mar com ondas menores em El Gringo, para computar notas 8,23 e 7,77 no maior placar do dia, 16,00 pontos. Nessa bateria, Jordy Collins também pegou boas ondas para completar uma dobradinha norte-americana sobre o peruano Martin Jeri e o francês Marc Lacomare.

"Nossa, estou muito feliz com essa vitória", vibrou Skip McCullough. "É difícil conseguir pegar dois tubos bons aqui em El Gringo e com vento maral então, é quase impossível. Mas, milagres acontecem e peguei os dois melhores tubos da bateria. Esse lugar tinha que ter uma etapa do CT, não entendo porque não tem. Então, esse evento deveria ser um QS 10000, porque tem altas ondas. Para estar no CT, é preciso saber surfar ondas assim, de qualidade internacional".

Tomas Tudela - Maui and Sons Arica Pro Tour Tomas Tudela WSL / Pablo Jimenez

No terceiro confronto da quarta fase, deu Estados Unidos de novo com Cam Richards passando em primeiro lugar e o brasileiro Hizunomê Bettero em segundo. Os dois eliminaram o português Nic von Rupp e o atual campeão sul-americano da WSL South America, Leandro Usuna, da Argentina. Na terceira bateria disputada na sexta-feira, Hizunomê surfou um tubo incrível que valeu a maior nota do dia, 8,93, superando o 8,73 que Leandro Usuna tinha conseguido no confronto anterior. O brasileiro vai enfrentar o peruano Tomas Tudela no último duelo das quartas de final no sábado em El Gringo.

"Estou muito feliz em estar aqui no Chile. É a minha primeira vez e estou adorando essas ondas", disse Hizunomê Bettero. "Eu sempre assisti os campeonatos pela internet e agora que virou QS 3000 eu decidi vir conhecer esse paraíso. Me lembra as ondas do Havaí, bem tubulares e perigosas, quebrando em cima das pedras. Certamente vale a pena o risco e o perigo é recompensado quando você pega um bom tubo".

Jordy Collins - Maui and Sons Arica Pro Tour Jordy Collins WSL / Pablo Jimenez

Outro destaque foi Manuel Selman, único chileno a passar para as quartas de final do QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour. Na última bateria do dia, as condições já estavam bem deterioradas pela ação do vento maral afetando a formação dos tubos em El Gringo. Mas, em sua primeira participação na sexta-feira, Selman passeou por dentro de uma boa onda para tirar nota 7,50 e fazer o maior placar do dia até ali. Os 14,17 pontos que totalizou, só foram ultrapassados pelos 16,00 do norte-americano Skip McCullough na quarta fase.

"Eu tive que pensar rápido nessa bateria, pois as condições do mar mudavam a todo momento", disse Manuel Selman. "Eu estava com notas baixas, mas senti que entrei em sintonia com o mar e consegui pegar uma onda da série para tirar o 7,5 que me garantiu a vitória. Eu não sinto pressão por ser o último chileno no campeonato. Só penso em melhorar, surfar bem cada bateria, para chegar na final, o que ainda não consegui aqui".

Robson Santos - Maui and Sons Arica Pro Tour Robson Santos WSL / Pablo Jimenez

Manuel Selman enfrentou três peruanos no último confronto do dia, vencido por Tomas Tudela. Foi a bateria mais fraca de ondas da sexta-feira e Tudela garantiu o primeiro lugar com a nota 5,60 da sua última onda, totalizando 7,80 pontos. O chileno passou em segundo com 6,93, superando por pouco os 6,40 de Cristobal de Col, com Lucca Mesinas ficando em quarto com apenas 4,80 nas duas notas computadas.

"Foi uma bateria bem complicada, contra três dos meus melhores amigos", destacou Tomas Tudela. "Não tinham muitas ondas, então qualquer um poderia ganhar. Eu só tentei fazer o meu melhor e estou feliz por ter passado em primeiro lugar. O nível do evento está ficando cada vez mais alto e espero que as ondas continuem bombando no fim de semana".

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it