NewsGrandstand Sports Clinic Women's Pro

Austrália e Havaí festejam vitórias no Surfest Newcastle

Duas finais entre Austrália e Havaí fecharam o Surfest Newcastle no domingo de ondas pequenas de 2-3 pés em Merewether Beach, na Austrália. Na decisão do QS 6000 Burton Automotive Pro, o australiano Mikey Wright bateu o havaiano Barron Mamiya com o maior placar da semana em Newcastle, 18,20 pontos. A festa da família Wright só não foi completa porque na final anterior, a havaiana Coco Ho conquistou sua segunda vitória nesta etapa derrotando a bicampeã mundial Tyler Wright. Já os brasileiros Jadson André e Willian Cardoso perderam nas quartas de final e ficaram em quinto lugar no primeiro QS 6000 do ano.

Podium at the 2018 Burton Automotive Pro Prize Giving WSL / Tom Bennett

O segundo já começa nesta segunda-feira em Sydney, que no ano passado também foi vencido por um brasileiro, como o Burton Automotive Pro encerrado neste domingo. Em Newcastle, a final foi verde-amarela, com o catarinense Yago Dora festejando o título contra o paulista Jessé Mendes. No entanto, o próprio Jessé chegou na final de novo em Sydney uma semana depois, para comemorar a vitória sobre o australiano Julian Wilson. Jessé já está em Manly Beach treinando para tentar o bicampeonato no QS 6000 Vissla Sydney Surf Pro.

Em Newcastle, os brasileiros chegaram em maioria nas oitavas de final disputadas no sábado, porém apenas o potiguar Jadson André e o catarinense Willian Cardoso passaram para o domingo decisivo do Burton Automotive Pro. No entanto, ambos foram derrotados nas quartas de final. Jadson foi a primeira vítima do campeão Mikey Wright no último dia e Willian perdeu o confronto seguinte para o norte-americano Evan Geiselman.

Willian Cardoso at the 2018 Burton Automotive Pro Willian Cardoso WSL / Tom Bennett

Jadson e Mikey começaram bem a bateria, com o brasileiro largando na frente com nota 8,5 contra 8,0 do australiano. No mar difícil do domingo, com poucas ondas boas entrando nas baterias, eles tiveram poucas oportunidades para surfar e a segunda nota computada pelo irmão mais jovem dos tops da elite, Owen e Tyler Wright, foi melhor. Ela valeu 7,87 contra 6,83 do potiguar, que acabou eliminado por uma pequena diferença de 15,87 a 15,33 pontos.

O duelo do novo top do CT, Willian Cardoso, com Evan Geiselman, também foi bem disputado, mas o californiano conseguiu uma melhor sintonia com as séries para pegar quatro ondas boas, duas delas com notas na casa dos 7 pontos. O brasileiro tentou a classificação até o fim e na última onda recebeu 6,73, só que o americano computou um 7,10 para vencer por 14,33 a 13,40 pontos.

Com os 2.650 pontos recebidos pelo quinto lugar em suas primeiras participações no WSL Qualifying Series 2018, Willian Cardoso e Jadson André começam a temporada em 12.o lugar no ranking que classifica dez surfistas para o World Surf League Championship Tour. Jadson perdeu sua vaga na elite dos top-34 no ano passado, enquanto Willian será uma das cinco novidades na "seleção brasileira" que vai disputar o título mundial esse ano.

Jadson Andre at the 2018 Burton Automotive Pro Jadson Andre WSL / Tom Bennett

Depois de acabarem com as chances do Brasil conquistar o segundo título consecutivo no Surfest Newcastle, Mikey Wright e Evan Geiselman se enfrentaram nas semifinais e o australiano levou a melhor por 14,86 a 13,06 pontos. O jovem havaiano Barron Mamiya, de apenas 17 anos de idade, já tinha vencido o australiano Stu Kennedy novamente usando as manobras aéreas para liquidar seus adversários nas ondas de Merewether Beach.

Na grande final, Mikey Wright continuou devastador, atacando as ondas com manobras potentes executadas com pressão e velocidade para computar notas 9,20 e 9,00. Com elas, aumentou de 18,07 para 18,20 pontos o recorde do cearense Michael Rodrigues na sexta-feira. O australiano deu um show e ainda descartou notas 8,67, 7,73 e 7,50. O havaiano também surfou bem e somou notas 8,17 e 8,00 no placar encerrado em 18,20 a 16,17 pontos. Com a vitória, Mikey Wright assumiu a liderança no ranking do WSL Qualifying Series e Barron Mamiya agora é o segundo colocado.

Mikey Wright at the 2018 Burton Automotive Pro Mikey Wright WSL / Tom Bennett

"O Burton Automotive Pro praticamente abre o ano, então, começar com uma vitória é fantástico para mim", disse Mikey Wright, cujo objetivo é se classificar para o CT, para se juntar aos irmãos Owen e Tyler. "O ano passado foi a minha primeira temporada completa no QS e aprendi muito, então este ano me sinto mais preparado e muito mais determinado. Foi muito bom fazer a final no mesmo evento que a minha irmã, Tyler. Pena que ela não ganhou, mas nos divertimos muito juntos e nunca mais esquecerei esse evento".

O havaiano Barron Mamiya também ficou feliz pelo resultado, que foi surpreendente até para ele mesmo, pois essa foi a primeira vez que ele participou de etapas importantes do WSL Qualifying Series fora da ilha de Oahu. O jovem surfista de 17 anos de idade mostrou uma boa variedade de manobras modernas e usou bastante os aéreos para potencializar suas notas durante toda a competição. Ele já tinha disputado duas provas no Havaí, ficando em quarto lugar na final do QS 1000 de Sunset Beach e em 33.o no QS 3000 de Pipeline.

Evan Geiselman at the 2018 Burton Automotive Pro Evan Geiselman WSL / Tom Bennett

"Se alguém me dissesse uma semana atrás, que eu estaria na final aqui, eu teria dito que ele estaria louco", disse Barron Mamiya. "Esta é a minha primeira vez competindo em um QS grande fora do Havaí, então pensei que só conseguiria passar uma ou duas baterias, mas foi dando tudo certo e estou muito feliz por ter feito a final. Adorei tudo aqui em Newcastle, as ondas estavam diferentes a cada dia e já estou ansioso para competir em Manly Beach. Quero buscar outro bom resultado lá".

VITÓRIA HAVAIANA - No QS 6000 Grandstand Sports Clinic Women´s Pro, a grande favorita ao título era a bicampeã mundial Tyler Wright, que vinha destruindo todas as oponentes que encontrou pelo caminho até a final. Mas, a bateria aconteceu numa hora ruim do mar, sem ondas com potencial para tirar notas altas. Com isso, a decisão foi definida em notas medianas e a havaiana Coco Ho confirmou a vitória com o 6,33 da sua melhor onda. Ela somou essa nota com 5,17 no placar encerrado em 11,50 a 11,34 pontos.

Coco Ho at the 2018 Burton Automotive Pro Coco Ho WSL / Tom Bennett

"Definitivamente, hoje (domingo) era o meu dia. As condições do mar estão muito difíceis, mas eu estava muito animada e confiante, então acho que isso me ajudou a vencer", disse Coco Ho. "Eu acho que o principal nessas condições é manter-se ocupada, indo em qualquer onda. Eu ganhei esse evento aqui em 2011, em ondas bem diferentes que as de hoje, mas estou feliz em poder vencer de novo depois de sete anos. Isso significa muito para mim e prova que ainda sou capaz de conseguir vitórias".

Apesar da derrota na final, a bicampeã mundial Tyler Wright gostou do resultado e do campeonato como um todo. "Estou feliz, pois é bom fazer a final de um evento importante assim, para ganhar confiança antes do CT começar. Estou muito feliz por ver o Mikey (Wright) na final, independentemente se ele ganhar ou perder, pois sei o quanto ele trabalhou e o quanto ele deseja entrar no CT, então vê-lo na final é incrível. Se ele ganhar esse evento, vai mostrar o quanto é importante o compromisso de trabalhar duro para conseguir resultados".

Tyler Wright Tyler Wright WSL / Paul Danovaro

Essa entrevista foi realizada antes da final masculina, ou seja, sem Tyler Wright saber se o seu irmão iria ser o campeão do Burton Automotive Pro, o que acabou acontecendo. Com a vitória no QS 6000 de Newcastle, a havaiana Coco Ho saltou da 36.a para a segunda posição no ranking do WSL Qualifying Series, que segue liderado pela norte-americana Caroline Marks, campeã do primeiro QS 6000 do ano nos Estados Unidos. A brasileira Silvana Lima é a sul-americana mais bem colocada, em 14.o lugar na classificação geral das sete etapas disputadas.

World Surf League
Download it for free on the App store. Download it for free on Google Play.
Download
Download