NewsVissla Sydney Surf Pro

Brazilian Storm dizima adversários no QS 6000 de Sydney

Os brasileiros se superaram mais uma vez no mar difícil de Manly Beach, com ondas pequenas e séries demoradas no sábado do QS 6000 Vissla Sydney Surf Pro na Austrália. Foi a primeira mostra do ano do "Brazilian Storm", termo que os próprios australianos criaram anos atrás para definir a invasão verde-amarela no Circuito Mundial. Dos oito classificados para as quartas de final que vão abrir o domingo decisivo, seis são do Brasil, o pernambucano Ian Gouveia, o cearense Michael Rodrigues, os paulistas Miguel Pupo e Deivid Silva, o catarinense Alejo Muniz e o paranaense Peterson Crisanto. E no feminino, a cearense Silvana Lima também passou para as quartas de final fazendo os recordes do dia entre as meninas, assim como Michael Rodrigues nas oitavas de final masculinas.

Michael Rodrigues progressed through Heat 4 of Round 5 at the Vissla Sydney Surf Pro. Michael Rodrigues WSL / Ethan Smith

Os australianos Matt Banting e Reef Heazlewood são os únicos que podem impedir um segundo título consecutivo do Brasil no QS 6000 de Sydney, que no ano passado terminou com vitória paulista de Jessé Mendes. Eles se classificaram nas únicas baterias das oitavas de final sem participação de brasileiros, que simplesmente dizimaram seus adversários nas outras. O massacre começou com Miguel Pupo ganhando o primeiro duelo direto com a Austrália do atual líder do ranking do WSL Qualifying Series, Mikey Wright.

O irmão mais jovem dos tops do CT, Owen e Tyler Wright, até dominou toda a bateria, mas no final Pupo achou boas ondas para mostrar o seu surfe no mar difícil de Manly Beach. Miguel aproveitou muito bem a última chance que teve para surfar e os juízes o premiaram com nota 8,0. Com ela, virou para 14,83 a 13,43 pontos o placar contra Mikey Wright e Pupo é o único brasileiro que pode assumir a liderança do ranking em Sydney, mas só ultrapassa o australiano se vencer o QS 6000 Vissla Sydney Surf Pro.

Miguel Pupo Progresses at the 2018 Vissla Sydney Surf Pro in Manly Miguel Pupo WSL / Tom Bennett

"O Mikey (Wright) é um excelente surfista, venceu o Surfest Newcastle semana passada, mas eu só tentei fazer o meu melhor e estou feliz por passar para as quartas de final", disse Miguel Pupo. "As ondas estão pequenas, mas bem divertidas e eu tentei até o fim achar algumas que abrissem mais a parede. Estou gostando de voltar a competir no QS, junto com jovens surfistas como o Mateus Herdy, o meu irmão, Samuel (Pupo), que só tem 17 anos. Eles me motivam a evoluir nos aéreos principalmente e fico feliz por estar viajando com meu irmão no Circuito esse ano".

Depois de despachar o número 1 do ranking, Miguel Pupo vai enfrentar outro australiano na primeira quarta de final do domingo, Reef Heazlewood, que derrotou o sul-africano Beyrick De Vries no segundo duelo do dia. Na terceira bateria, o catarinense Alejo Muniz também confirmou a vitória na última onda que surfou e valeu nota 7,33. O havaiano Keanu Asing tinha acabado de assumir a ponta com 6,67, mas foi derrotado no final por 13,66 a 11,60 pontos.

Wiggolly Dantas progressed through Heat 4 of Round 5 at the Vissla Sydney Surf Pro. Wiggolly Dantas WSL / Ethan Smith

DUELO BRASILEIRO - Na disputa seguinte, aconteceu o duelo brasileiro das oitavas de final e o cearense Michael Rodrigues usou os aéreos para superar o forte surfe de borda do paulista Wiggolly Dantas. Mostrando muita facilidade para voar e aterrisar com perfeição após um giro completo no ar, o novo top da elite do CT ganhou notas 8,93 e 8,83 para fazer os recordes do dia em Manly Beach com imbatíveis 17,76 pontos. O cearense agora terá outro confronto verde-amarelo nas quartas de final, com Alejo Muniz.

"Este lugar é como o Brasil para mim", disse Michael Rodrigues. "Ondas pequenas, muitos amigos na praia, então me sinto em casa aqui. Para mim, não importa o tamanho das ondas. Para alguns, fica mais difícil, mas eu acho superdivertido. Assim que vi as ondas hoje (sábado), eu sabia que estavam boas para os aéreos e estava confiante para arriscar as manobras, então estou feliz por ter conseguido surfar bem".

Beyrick De Vries at the 2018 Vissla Sydney Surf Pro in Manly Beyrick De Vries WSL / Tom Bennett

Na chave de baixo do QS 6000 de Sydney, que vai apontar o segundo finalista neste domingo, os brasileiros continuaram o verdadeiro massacre sobre os concorrentes de outros países. O paulista Deivid Silva já começou muito forte com nota 8,50 contra o italiano Leonardo Fioravanti. Depois, conseguiu um 6,77 na outra única onda que completou na bateria para ganhar fácil por 15,27 a 9,67 pontos. Deivid Silva fará o segundo duelo brasileiro das quartas de final com o pernambucano Ian Gouveia.

O filho do ídolo Fábio Gouveia e top do CT, também não deu qualquer chance para o taitiano Mihimana Braye, derrotando-o igualmente por uma larga vantagem de 13,43 a 8,84 pontos. Já o paranaense Peterson Crisanto teve mais trabalho para superar o havaiano Joshua Moniz. Os dois surfaram bem, cada um fez duas ondas boas e o brasileiro levou a melhor na soma das duas notas computadas. O havaiano ganhou a maior, 7,77, mas Petersinho somou 7,17 com 7,33 para vencer por 14,50 a 14,10 pontos.

Mikey Wright Mikey Wright WSL

Antes dessa última bateria do dia, o australiano Matt Banting tinha derrotado o francês Maxime Huscenot e será o adversário de Peterson Crisanto na disputa pela última vaga nas semifinais do QS 6000 Vissla Sydney Surf Pro no domingo. Com os resultados do sábado atualizados no ranking, três brasileiros entraram no grupo dos dez surfistas que o QS classifica para a elite dos top-34 do CT, Miguel Pupo em sétimo lugar e Michael Rodrigues e Alejo Muniz dividindo a nona posição, justamente os dois que irão se enfrentar nas quartas de final.

QS 6000 FEMININO - No sábado, os homens competiram depois das oitavas de final femininas. Entre as dezesseis meninas, a única brasileira era a cearense Silvana Lima e foi ela quem fez a melhor apresentação do dia no QS 6000 Sydney Women´s Surf Pro. A baixinha fez mais uma grande bateria contra a neozelandesa Ella Williams, com seu ataque manobrando forte nas ondinhas de Manly Beach. Ela já largou na frente com nota 8,17 e depois fez outra onda boa para ganhar 7,50 e se tornar a recordista absoluta do sábado com 15,67 pontos.

Silvana Lima Progresses at the 2018 Vissla Sydney Surf Pro in Manly Silvana Lima WSL / Tom Bennett

Nas quartas de final, Silvana Lima vai enfrentar outra surfista da Nova Zelândia, Paige Hareb, na segunda bateria do domingo, valendo a última vaga nas semifinais. Isto porque os dois primeiros duelos das quartas de final já foram disputados no sábado. As australianas Nikki Van Dijk e Keely Andrew derrotaram suas adversárias e irão se enfrentar na batalha pela primeira vaga na grande final do QS 6000 Sydney Women´s Surf Pro.

World Surf League
Download it for free on the App store. Download it for free on Google Play.
Download
Download