NewsMartinique Surf ProBino Lopes

Peruano Miguel Tudela fica em terceiro no QS da Martinica

O peruano Miguel Tudela foi o melhor sul-americano no QS 3000 Martinique Surf Pro, encerrado no sábado de boas ondas em Basse Point, na Ilha Martinica. Ele só perdeu na semifinal que o italiano Leonardo Fioravanti fez a melhor apresentação da etapa caribenha do WSL Qualifying Series. Depois de bater todos os recordes, ele também surfou as melhores ondas na final contra o norte-americano Nat Young para vencer o campeonato. Muitos surfistas que competiram no Caribe, estão voltando para América do Sul para participar do QS 1500 Rip Curl Pro Argentina, que começa na terça-feira em Mar del Plata.

Miguel Tudela (PER) during Quarterfinals of the Martinique Surf Pro 2018 Miguel Tudela WSL / Damien Poullenot

Com os 3.000 pontos da vitória na Ilha Martinica, Leonardo Fioravanti entrou na lista provisória dos dez surfistas que sobem para o grupo dos top-34, que disputa o título mundial no World Surf League Championship Tour. Já Miguel Tudela, ganhou 1.680 pontos pela terceira colocação e subiu do 27.o para o 15.o lugar no ranking, melhor posição de um surfista do Peru na história do WSL Qualifying Series, iniciada em 1992 com a divisão do Circuito Mundial.

Duas semanas atrás, Miguel Tudela tinha somado 750 pontos em casa na Copa Triathlon Sport Reef Pro, quando tentava o tricampeonato consecutivo em San Bartolo, Mas, ele perdeu a final peruana para Alonso Correa, que largou na frente na corrida pelo título sul-americano da WSL South America e vai defender a liderança do ranking no Rip Curl Pro Argentina em Mar del Plata. Já Miguel Tudela agora é o quarto na fila de entrada para o G-10, atrás apenas do havaiano Joshua Moniz e do australiano Stu Kennedy, que saíram da lista na Martinica, e do francês Maxime Huscenot.

Jadson Andre (BRA) during Quarterfinals of the Martinique Surf Pro 2018 Jadson Andre WSL / Damien Poullenot

Além de Leonardo Fioravanti, o potiguar Jadson André foi o outro único surfista a ingressar no G-10 no QS 3000 do Caribe. Ele foi um dos três brasileiros que ficaram nas quartas de final que abriram o sábado em Basse Point. O brasileiro e o italiano perderam suas vagas na elite do CT no ano passado e agora começam a aparecer entre os dez indicados pelo ranking de acesso. O potiguar já havia subido da 14.a para a décima posição quando se classificou para as quartas de final na sexta-feira e no último dia foi ultrapassado pelo campeão na Martinica.

BRASIL NO G-10 - Com os 3.000 pontos da vitória, o italiano saltou do 29.o para o sétimo lugar e tirou o havaiano Joshua Moniz da lista. Com isso, Jadson André caiu para a 11.a posição e está fechando o G-10, porque o líder do QS vai garantindo seu nome para o CT 2019 entre os 22 do ranking principal da World Surf League. O australiano Mikey Wright competiu como convidado na etapa de abertura da temporada na Gold Coast e divide a nona posição no Jeep Leaderboard com os campeões mundiais Mick Fanning e Adriano de Souza, além de Kanoa Igarashi. Com isso, dispensa a vaga pelo ranking de acesso no momento.

Miguel Pupo (BRA) during Quarterfinals of the Martinique Surf Pro 2018 Miguel Pupo WSL / Damien Poullenot

Com a entrada do potiguar Jadson André, o Brasil agora detém quatro das dez vagas na lista provisória do G-10, após a 17.a etapa encerrada neste sábado na Ilha Martinica. Finalistas no QS 6000 de Sydney, na Austrália, o paulista Deivid Silva, que conquistou o título, já ocupava a vice-liderança e o catarinense Alejo Muniz estava em quarto no ranking. Os dois perderam na sexta-feira em Basse Point. O outro é o paulista Miguel Pupo, que chegou no Caribe em sétimo lugar e subiu para a quinta colocação quando passou para as quartas de final.

QUARTAS DE FINAL - Pupo foi barrado na primeira bateria do sábado na Martinica, pelo taitiano Mihimana Braye, por um baixo placar de 10,77 a 9,43 pontos. Jadson André entrou no duelo seguinte e também foi batido pelo americano Nat Young em outra disputa fraca de ondas. No confronto de ex-tops do CT, o californiano levou a melhor por 13,43 a 9,66 pontos.

Depois, o peruano Miguel Tudela conquistou a única vitória sul-americana do último dia, contra o português Miguel Blanco, por 11,23 a 9,97. Na última quarta de final, o baiano Bino Lopes chegou a superar o placar do peruano e de todos os brasileiros, mas Leonardo Fioravanti surfou melhor ainda para vencer por 14,66 a 12,70 pontos. Depois, o italiano fez os recordes do QS 3000 Martinique Surf Pro - nota 9,43 e 18,00 pontos - contra Miguel Tudela na briga pela última vaga na grande final.

Bino Lopes (BRA) during Quarterfinals of the Martinique Surf Pro 2018 Bino Lopes WSL / Damien Poullenot

DECISÃO DO TÍTULO - Na decisão do título, Leonardo Fioravanti também mostrou muita paciência para escolher as melhores ondas da bateria e não desperdiçou nenhuma chance de mostrar o seu surfe moderno, com manobras progressivas nas ondas de Basse Point. Ele só pegou três ondas, recebendo nota 7,83 na primeira, 7,10 na segunda e 9,00 na terceira, para sacramentar a vitória por 16,83 a 13,00 pontos. Com o vice-campeonato, o norte-americano Nat Young ganhou 140 posições no ranking, saindo do 171.o para o 31.o lugar.

Já quem mais subiu na tabela de classificação foi o português Miguel Blanco, que chegou no Caribe na 218.a colocação e foi para a 65.a com o quinto lugar na Ilha Martinica. Ele perdeu para o peruano Miguel Tudela nas quartas de final, ficando empatado com os brasileiros Miguel Pupo, Jadson André e Bino Lopes. Bino também deu um salto no ranking, do 75.o para o 36.o lugar, assim como o também baiano Marco Fernandez, que somou 840 pontos pelo 13.o lugar no evento e subiu da 92.a para a 49.a posição.

Podium at Martinique Surf Pro, 2018 Pódio no Martinique Surf Pro WSL / Damien Poullenot

RIP CURL PRO ARGENTINA - Muitos surfistas que estavam competindo no Caribe, agora retornam para a América do Sul para disputar o já tradicional Rip Curl Pro Argentina em Mar del Plata. A sexta edição do evento na Playa Grande começa nesta terça-feira e tem até o Domingo de Páscoa para definir os campeões das etapas do QS 1500 masculino e do QS 1000 feminino, que serão realizadas nesta semana. Até agora, todas as cinco edições foram vencidas pelos brasileiros e o paulista Thiago Camarão ganhou a do ano passado, com a equatoriana Dominic Barona conquistando o primeiro título feminino em Mar del Plata.

World Surf League
Download it for free on the App store. Download it for free on Google Play.
Download
Download