NewsEDP Billabong Pro Ericeira

Líderes barrados na abertura do QS 10000 de Portugal

Os campeões mundiais Gabriel Medina e Adriano de Souza são as principais atrações da última etapa com pontuação máxima do WSL Qualifying Series, antes das finais da temporada no Havaí. Os brasileiros são maioria no QS 10000 EDP Billabong Pro Ericeira, com 29 surfistas entre os 112 participantes de dezoito países que foram competir no point break de direitas de Ribeira D´Ilhas, em Ericeira, Portugal.

Quatorze estrearam nas quinze baterias disputadas na segunda-feira e metade avançou, com quatro já passando para a terceira fase, o paulista Deivid Silva defendendo vaga na lista dos dez que sobem para o CT, o catarinense Yago Dora, o capixaba Rafael Teixeira e o baiano Bino Lopes, que despachou o líder do ranking, Seth Moniz. Antes do havaiano, já havia caído o vice-líder, o paranaense Peterson Crisanto.

Marco Giorgi (URY) during Round 1 of EDP Billabong Pro Ericeira 2018 Marco Giorgi WSL / Damien Poullenot

O uruguaio Marco Giorgi também já chegou na terceira rodada, avançando em segundo lugar nas duas baterias que disputou na segunda-feira. A estreia foi na primeira vitória brasileira do dia, de Rafael Teixeira. A segunda veio em seguida, com o paulista Marcos Correa na dobradinha completada pelo pernambucano Luel Felipe, sobre o australiano Harley Ross e o catarinense Yuri Gonçalves neste terceiro confronto da primeira fase.

Depois veio uma eliminação dupla, do paulista Samuel Pupo e do único argentino no QS 10000 de Portugal, Santiago Muniz. Mas, o peruano Alonso Correa ganhou a bateria seguinte e o carioca Lucas Silveira passou em segundo na última participação sul-americana na primeira fase. Os únicos que voltaram ao mar para competir nas sete baterias da segunda fase que fecharam a segunda-feira, foram os primeiros que se classificaram, Rafael Teixeira e Marco Giorgi.

Rafael Teixeira (BRA) during Round 1 of EDP Billabong Pro Ericeira 2018 Rafael Teixeira WSL / Damien Poullenot

O uruguaio passou em segundo de novo na bateria que o peruano Lucca Mesinas foi eliminado. E o capixaba completou a segunda dobradinha brasileira do dia, vencida por um dos oito titulares da "seleção brasileira" do CT 2018 no EDP Billabong Pro Ericeira, Yago Dora. Gabriel Medina é o cabeça de chave da 12.a, a quinta a entrar no mar na terça-feira em Portugal. Adriano de Souza entra oito depois, na vigésima. Tem também o cearense Michael Rodrigues na primeira do dia, a oitava da segunda fase, o paulista Jessé Mendes na 15.a e os catarinenses Tomas Hermes na 16.a e Willian Cardoso na 24.a e última.

Yago Dora já está na segunda da terceira fase, enquanto o pernambucano Ian Gouveia perdeu na segunda-feira, antes da estreia do catarinense. Foram duas baterias seguidas com brasileiros disputando classificação. Na do Yago, Rafael Teixeira passou junto com ele superando o paulista Victor Bernardo e o japonês Hiroto Ohhara. Na do Ian, outro capixaba foi eliminado, Krystian Kymerson, pelo neozelandês Ricardo Christie e o sul-africano Dylan Lightfoot.

Yago Dora (BRA) during Round 2 of EDP Billabong Pro Ericeira 2018 Yago Dora WSL / Damien Poullenot

LÍDERES BARRADOS - Outra baixa importante do Brasil no primeiro dia aconteceu em mais uma participação dupla, com dois integrantes do grupo dos dez que se classificam para a elite dos top-34 da WSL. Precisando sair da incômoda penúltima posição na lista, o paulista Deivid Silva achou boas ondas para passar em primeiro lugar. Mas, o paranaense Peterson Crisanto, vice-líder do ranking, ficou em último. O líder é o havaiano Seth Moniz e ele também perdeu na bateria que fechou a segunda-feira e foi vencida pelo baiano Bino Lopes.

Mais uma derrota inesperada foi a do Alex Ribeiro, que chegou em Portugal na porta de entrada do G-10, em segundo na fila, atrás de outro paulista, Thiago Camarão. Ele vinha de vitória na etapa passada da "perna europeia" em Marrocos, mas não conseguiu superar o taitiano Mihimana Braye e o francês Joan Duru e já caiu duas posições no ranking só no primeiro dia. Camarão é um dos quinze brasileiros que ainda vão estrear na segunda rodada do EDP Billabong Pro Ericeira, na terça-feira em Ribeira D´Ilhas.

Deivid Silva (BRA) during Round 2 of EDP Billabong Pro Ericeira 2018 Deivid Silva WSL / Damien Poullenot

G-10 DO QS - Entre eles, dois que defendem vagas no G-10, o potiguar Jadson André em quinto no ranking e o catarinense Alejo Muniz em sexto. Alejo estreia na 14.a bateria com o nono colocado, Evan Geiselman, o também norte-americano Ian Crane e o sul-africano David Van Zul. E Jadson entra na 23.a e penúltima, junto com o peruano Tomas Tudela, o australiano Jack Freestone e o havaiano Tanner Hendrickson.

Com a queda prematura dos líderes do ranking, Seth Moniz e Peterson Crisanto, eles podem assumir a ponta em Portugal. Outros fortes concorrentes são o japonês Kanoa Igarashi em terceiro lugar e o californiano Griffin Colapinto em quarto, que foi um dos destaques da segunda-feira em Ribeira D´Ilhas. Ele será um dos adversários de Deivid Silva e Rafael Teixeira na primeira bateria da terceira fase.

Alonso Correa (PER) during Round 1 of EDP Billabong Pro Ericeira 2018 Alonso Correa WSL / Damien Poullenot

O resultado em um evento com status QS 10000 é tão importante, que a vitória pode valer uma vaga direta no G-10 até para quem está disputando sua primeira etapa do WSL Qualifying Series no ano, como Gabriel Medina. Isto porque o último da lista no momento, o australiano Reef Heazlewood, tem 9.780 pontos nos cinco resultados computados, menos do que os 10.000 do título em Portugal. O paulista Deivid Silva é o penúltimo com 10.250 e depois só tem mais duas etapas desse nível, as da Tríplice Coroa Havaiana em Haleiwa e Sunset Beach.

World Surf League
Download it for free on the App store. Download it for free on Google Play.
Download
Download