NewsReef Pro Penascal PeruDominic Barona

Peruanos fazem a festa em casa no Reef Pro Peñascal Peru

O Reef Paris Peñascal Pro terminou em festa peruana, com os donos da casa vencendo as duas finais do domingo nas ondas pesadas de Peñascal, em San Bartolo, no Peru. Cristobal derrotou o brasileiro Lucas Silveira na decisão da etapa do QS 1500, logo após Melanie Giunta ganhar a final peruana com Anali Gomez no QS 1000 feminino.

Highlights: Finais em Peñascal
Catch all the action coming out of Reef Pro Peñascal Peru at San Bartolo.

Melanie vinha de vitória na semana passada no São Chico ECO Festival no Brasil e está viva na disputa pelo troféu de campeã sul-americana de 2018 com a equatoriana Dominic Barona. A batalha pelos dois títulos continua nas três etapas que fecham a temporada da WSL South America esse ano.

A próxima é o Itacaré Surf Music, com um evento do QS 1000 masculino e feminino para todos competirem nas ondas da Praia da Tiririca, nesta semana em Itacaré, na Bahia. Depois, os homens seguem para o litoral norte de São Paulo, onde o QS 3000 Red Nose São Sebastião Pro decide o título sul-americano masculino do dia 31 de outubro a 4 de novembro na Praia de Maresias. E para as mulheres, a última etapa será no Chile, o QS 1500 Maui and Sons Pichilemu Pro, nos dias 2 a 4 de novembro nas grandes ondas de Punta del Lobos.

No Reef Paris Peñascal Pro, os líderes do ranking da WSL South America se encontraram na rodada classificatória para as quartas de final. O número 1 é o peruano Alonso Correa, que tinha vencido a outra etapa realizada no mesmo balneário de San Bartolo. Ele venceu esta bateria e o também peruano Cristobal de Col avançou em segundo lugar, ambos eliminando o ainda vice-líder do ranking, o paulista Wesley Santos.

Cristobal De Col and Melanie Giunta - Reef Pro Peñascal Peru Cristobal De Col and Melanie Giunta WSL / Sergio Roncal – Media Pro

Alonso Correa foi barrado depois por outro brasileiro, o pernambucano Luel Felipe, na disputa pela primeira vaga nas semifinais. Cristobal de Col derrotou o chileno Guillermo Satt no duelo seguinte e também passou por Luel Felipe no que definiu o primeiro finalista do QS 1500 Reef Paris Peñascal Pro.

Na outra chave, o brasileiro Lucas Silveira tirou o outro único peruano que estava nas quartas de final, Gabriel Vargas, antes de conquistar a segunda vaga na grande final contra o chileno Manuel Selman. Estas baterias fecharam o sábado em Peñascal e só a decisão do título ficou para o domingo.

As condições do mar estavam mais difíceis e a disputa foi acirrada, mas Cristobal de Col ficou mais ativo dentro d´água, pegou mais ondas e conseguiu as maiores notas: 6,67 e 6,53. Com elas, festejou sua primeira vitória em etapas do WSL Qualifying Series no Peru por 13,20 pontos, contra 11,47 do carioca Lucas Silveira com nota 6,0 na melhor onda.

Cristobal De Col - Reef Pro Peñascal Peru Cristobal De Col WSL / Sergio Roncal – Media Pro

FINAL PERUANA - Na decisão do QS 1000 feminino no Reef Paris Peñascal Pro, a jovem Melanie Giunta não deu qualquer chance para a experiente Anali Gomez, única tricampeã sul-americana na história deste título na WSL South America. Enquanto Melanie encontrou duas ondas boas seguidas para ganhar notas 6,17 e 7,50, Anali não achou nada para surfar e foi derrotada por uma larga vantagem de 13,67 a 4,70 pontos. Cristobal de Col e Melanie Giunta (Foto: Sergio Roncal - Media Pro)

Até a semana passada, Melanie nunca tinha vencido uma etapa do WSL Qualifying Series. Ela quebrou o tabu no Brasil, festejando sua primeira vitória na final do QS 1500 São Chico ECO Festival com a brasileira Monik Santos em São Francisco do Sul, Santa Catarina. E já ganhou a segunda neste domingo, impedindo que Dominic Barona garantisse o título sul-americano por antecipação no Peru. A equatoriana tinha perdido nas semifinais para Anali Gomez e poderia ser campeã se Melanie não vencesse o Reef Paris Peñascal Pro.

Dominic Barona - Neutrox Weekend Dominic Barona WSL / Fabriciano Junior/Neutrox

TÍTULO SUL-AMERICANO - A peruana ainda tem chance, mas precisa ganhar as duas últimas etapas e Dominic Barona não chegar em nenhuma final com ela. Os rankings regionais da World Surf League computam apenas os cinco melhores resultados e ela está somando três vitórias, um segundo lugar e um terceiro, que tem que trocar por outro segundo para garantir seu segundo título de campeã sul-americana.

Mas, ele pode ser confirmado também se Melanie Giunta não ganhar o Itacaré Surf Music nessa semana na Bahia. A equatoriana é a única que participou de todas as sete etapas femininas promovidas pela WSL South America esse ano e tem mais duas ainda somente para as meninas, todas valendo pontos também para o WSL Qualifying Series no próprio continente. Dominic Barona já está descartando os dois piores dela, jogando fora até um terceiro lugar de uma das seis semifinais que chegou esse ano.

Melanie Giunta - São Chico Eco Festival Melanie Giunta WSL / Marcio David

Melanie Giunta está somando todos, pois só participou de cinco das sete etapas completadas no Reef Paris Peñascal Pro. Ela ganhou duas seguidas, depois de ficar em quinto lugar nas outras três, sempre perdendo nas quartas de final. A peruana já brigou pelo título sul-americano no ano passado e ficou em terceiro no ranking, abaixo somente da equatoriana e de Anali Gomez com o inédito tricampeonato na história da WSL South America. Melanie tenta o primeiro dela de novo esse ano e a única chance é vencer mais duas etapas seguidas, como conseguiu agora no São Chico ECO Festival no Brasil e no Reef Paris Peñascal Pro no Peru.

World Surf League
Download it for free on the App store. Download it for free on Google Play.
Download
Download