NewsDrug Aware Margaret River Pro

Havaiano conquista primeira vitória da carreira em Margaret River

Highlights: Drug Aware Margaret River Pro
2:24
Melhores momentos do último dia de competição.

O havaiano Sebastian Zietz, 28 anos, festejou sua primeira vitória da carreira no Drug Aware Margaret River Pro, encerrado na manhã do sábado na Austrália. Ele nunca havia chegado nem nas semifinais em etapas do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, mas passou pelo brasileiro Italo Ferreira (21 anos) e depois tirou a vice-liderança no ranking mundial do potiguar com o título conquistado na final com o australiano Julian Wilson (27). Zietz e Italo são os únicos com chances de brigar pela lycra amarela do Jeep WSL Leader do australiano Matt Wilkinson (27) no Oi Rio Pro, a etapa brasileira da World Surf League que será disputada entre os dias 10 e 21 de maio no Rio de Janeiro, com seu palco principal no Postinho da Barra da Tijuca, mas podendo acontecer também em Grumari se as ondas estiverem melhores.

"Estou muito feliz, porque vencer definitivamente era a meta que eu tinha há muito tempo", disse Sebastian Zietz, que saiu da elite dos top-34 no ano passado e está competindo substituindo os atletas contundidos. "Foi muito difícil sair do tour, me fez sentir muito mal, então fui pra casa surfar um monte de ondas para voltar ao ritmo. É incrível ganhar uma etapa do CT contra todos os tops e também estar no topo do ranking. Eu só quero dedicar essa vitória a minha família e a todos em casa. Obrigado a todos que me apoiaram e me ajudaram ao longo do caminho para eu chegar aqui hoje (sábado)".

Italo Ferreira during the semi final. Italo Ferreira WSL / Ed Sloane

Só que para tirar a liderança do campeão das duas primeiras etapas da temporada, que só perdeu a invencibilidade no último desafio da perna australiana, Sebastian Zietz e Italo Ferreira precisam vencer o Oi Rio Pro e Matt Wilkinson não passar nenhuma bateria no Brasil. No entanto, foi exatamente no Rio de Janeiro que o australiano conquistou seu melhor resultado no ano passado, perdendo só nas semifinais para o compatriota Bede Durbidge. A expectativa é de que, pela primeira vez no ano, a "seleção brasileira" estará completa para competir em casa, com o retorno de Filipe Toledo para defender o título conquistado no ano passado, diante de uma multidão que lotou as areias do Postinho no último dia.

O paulista de Ubatuba, que mora na Califórnia, Estados Unidos, se contundiu durante as semifinais da primeira etapa na Gold Coast e perdeu as duas seguintes, em Bells Beach e Margaret River, onde foi substituído pelo próprio Sebastian Zietz. O havaiano perdeu sua vaga na elite no ano passado e é o terceiro na lista dos quatro substitutos para os top-34 da temporada 2016. Os australianos Owen Wright e Bede Durbidge sofreram sérias lesões em Banzai Pipeline no Havaí e devem ficar de fora por toda a temporada, com os australianos Adam Melling e Stuart Kennedy entrando nas vagas deles. Mas, mesmo com a volta de Filipe Toledo, o havaiano também está garantido no Oi Rio Pro porque o australiano Taj Burrow anunciou sua aposentadoria e não vem ao Brasil.

Sebastian Zietz after winning the final. Sebastian Zietz WSL / Ed Sloane

Sebastian Zietz foi quem melhor aproveitou as chances que teve para competir na perna australiana e agora já entra na briga direta pelo título mundial da temporada com sua inédita vitória em Margaret River. O havaiano soube escolher as maiores e melhores ondas que entraram nas duas baterias que disputou no sábado de boas ondas de 6-8 pés em Main Break. A primeira foi contra o brasileiro Italo Ferreira, que vinha se destacando com a potência do seu backside criado nas direitas do Pontal de Baía Formosa (RN). Zietz começou forte com nota 7,17 e depois ganhou 9,10 com duas manobras explosivas de frontside para vencer por 16,27 a 13,17 pontos. O potiguar repetiu o terceiro lugar em sua segunda semifinal consecutiva na Austrália.

"Eu não consegui ir para a final, mas foi mais um bom resultado certamente", disse o estreante do ano em 2015, Italo Ferreira, que está apenas iniciando sua segunda temporada na divisão de elite da World Surf League. "Estou contente por fazer duas semifinais aqui na Austrália, por ter surfado bem em Bells Beach e aqui em Main Break, duas ondas muito difíceis. E agora vou com tudo para o Brasil para tentar conseguir outro bom resultado em casa, onde tenho um grande apoio dos brasileiros lá".

Joel Parkinson during the semi final. Joel Parkinson WSL / Ed Sloane

GRANDE FINAL - O havaiano nem quis sair do mar de tanta empolgação em fazer sua primeira final e ficou esperando por Julian Wilson, que tinha vencido a semifinal australiana com Joel Parkinson antes dele. Ficou pegando ondas enquanto isso, mas quando a bateria começou foi Julian Wilson quem largou na frente manobrando forte nas duas primeiras ondas que surfou, para tirar notas 8,67 e 7,67. Sebastian não tinha pegado nada ainda, mas entrou na briga atacando uma direita da série com uma rasgada incrível no crítico da onda, invertendo totalmente a direção da prancha para abrir um grande leque de água, emendou outra na junção e recebeu 9,10 dos juízes.

Apesar da boa qualidade das ondas, o maior problema no sábado eram os grandes intervalos entre as séries e uma longa calmaria deixou o havaiano preocupado. Só nos minutos finais entrou outra série que acabou decidindo o título do Drug Aware Margaret River Pro. Julian Wilson vem primeiro manobrando forte com velocidade até a perigosa bancada de coral de Main Break, para trocar o 7,67 da sua segunda onda por 8,00. Mas, Sebastian pega uma maior e arrisca tudo na primeira manobra, a onda abre para ele continuar atacando e arrancar 8,30 dos juízes, virando o placar para 17,40 a 16,67 pontos.

Julian Wilson during the semi final. Julian Wilson WSL / Ed Sloane

"Eu amo essa onda de Margaret River e a multidão que vem aqui ver o campeonato", disse Julian Wilson. "Foi uma boa final e parabéns ao Seabass (Sebastian Zietz) pela sua primeira vitória. Nós surfamos boas ondas na bateria, tiramos notas altas e estou feliz por conseguir fazer a final aqui. Em Bells Beach eu já tinha conquistado um resultado melhor do que no ano passado também, então estou ansioso para ver como será o restante da temporada. Quero continuar nesse ritmo e vou viajar mais confiante para o Brasil com este resultado".

RANKING JEEP WSL - A vitória em Margaret River valeu um prêmio de 100.000 dólares e 10.000 pontos no ranking para Sebastian Zietz. Julian Wilson ficou com 50.000 dólares e 8.000 pontos, com Italo Ferreira e Joel Parkinson recebendo 25.000 dólares e 6.500 pontos pelo terceiro lugar no Drug Aware Margaret River Pro. O havaiano saltou da 17.a para a segunda posição no ranking Jeep Leaderboard da World Surf League, o brasileiro subiu do quinto para o terceiro lugar, Parko foi do décimo para o quinto e Julian saiu da 19.a para a sétima colocação. Entre os dois australianos está uma das novidades na "seleção brasileira" deste ano, Caio Ibelli, em sexto lugar como o melhor estreante nas três etapas que abriram a temporada na Austrália.

The crowd during the final. Margaret River WSL / Ed Sloane

Depois vem o atual campeão mundial Adriano de Souza dividindo a 13.a posição com o também paulista Wiggolly Dantas e mais dois surfistas que já venceram o Oi Rio Pro na Barra da Tijuca como Mineirinho, o havaiano John John Florence e o taitiano Michel Bourez. O outro campeão mundial do Brasil, Gabriel Medina, está em 18.o junto com Filipe Toledo. E fora do grupo dos 22 que são mantidos na elite dos top-34 para a próximo ano, estão Miguel Pupo em 23.o lugar, Jadson André e Alejo Muniz em 28.o e o estreante Alex Ribeiro em 37.o. Todos estarão disputando mais 10.000 pontos no Oi Rio Pro, a partir de 10 de maio no Rio de Janeiro.

Sebastian Zietz
WSL / Kelly Cestari
1 of 4
Sebastian Zietz
WSL / Kelly Cestari
1 of 4
×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it