Oi Rio Pro

Oi Rio Pro 2016 tem três brasileiros nas quartas de final

WSL South America

Highlights: brasileiros avançam
Condições difíceis no Oi Rio Pro 2016

Confirmando as previsões, a quarta-feira amanheceu com condições desafiadoras para os melhores surfistas do mundo competirem no Postinho da Barra da Tijuca. Em séries pesadas, forte correnteza, chuva, frio, foram disputadas dezenove baterias em ondas com mais de 2 metros de altura desde as 7h05 até as 16h50, quando já estava escurecendo na capital carioca. O campeão mundial Gabriel Medina comandou o espetáculo mais uma vez no Oi Rio Pro apresentado por Corona no Rio de Janeiro. Ele tirou sua segunda nota 10 nas ondas do Postinho e ampliou para 18,10 o recorde de pontos do dia, que estava com outro campeão mundial, Adriano de Souza. Além deles, o também paulista Miguel Pupo foi o terceiro brasileiro classificado para as quartas de final. A etapa brasileira da World Surf League será encerrada nesta quinta-feira, com a primeira chamada as 6h30 no Postinho da Barra da Tijuca.

Medina apronta novamente
Com mais um aéreo alucinante, Gabriel tira outra nota 10

"É legal surfar numa bateria com muitas ondas e foi demais tirar aquela nota 10", disse Gabriel Medina. "Foi uma bateria bem divertida e peguei muitas ondas mesmo porque não estava fácil achar a certa. Então eu tive que procurar, mas tinha ondas suficientes para todos e hoje (quarta-feira) o dia foi demais, com mar bem difícil, condições desafiadoras, mas sempre entrando algumas ondas boas nas baterias. Estou feliz pela vitória, pela segunda nota 10 e vou continuar tentando o meu melhor para ir avançando na competição".

Metade dos doze surfistas que passaram para as duas rodadas classificatórias para as quartas de final era do Brasil e os campeões mundiais Adriano de Souza e Gabriel Medina fizeram os recordes do dia na quarta fase. Medina primeiro ganhou o duelo com o convidado Deivid Silva que fechou a terceira fase e depois fez outra apresentação fenomenal contra o taitiano Michel Bourez e o australiano Jack Freestone. Os adversários foram meros expectadores de luxo do show do campeão mundial. Medina foi em várias ondas e na primeira boa tirou nota 8,10. Depois, pegou uma direita da série, voou num aéreo de backside muito alto, aterrissou e já emendou uma batida na junção para ganhar a sua segunda nota 10 nas ondas do Postinho.

Adriano de Souza winning in Round 4. Adriano de Souza - WSL / Daniel Smorigo

Duas baterias antes, o atual campeão mundial Adriano de Souza já havia brilhado nas difíceis condições do mar na quarta-feira, atingindo 17,73 pontos com a nota 9,17 da melhor apresentação do dia até ali. Assim como contra Medina, os oponentes de Mineirinho não tiveram qualquer chance e perderam por "combination", com o australiano Davey Cathels só conseguindo 8,64 pontos e Caio Ibelli ficando em último com 4,57 apenas. Adriano foi o primeiro brasileiro a se classificar para as quartas de final do Oi Rio Pro 2016. Ele já tinha começado bem o dia, vingando a derrota na estreia para o campeão mundial Pro Junior, Lucas Silveira, eliminando o carioca na terceira fase.

"Hoje (quarta-feira) foi um dia incrível", destacou Adriano de Souza. "Eu tenho treinado forte desde janeiro e agora estou sentindo os benefícios de todo o esforço. Estou muito feliz por ter vencido essa bateria e passado direto para as quartas de final. Amanhã (quinta-feira) vai ser o dia final do evento e já estou ansioso para competir e ver como vai estar o mar. Estou num ritmo bom, mas preciso manter a calma. Isso será importante nesse último dia e eu quero chegar na final mais uma vez aqui no Rio de Janeiro".

Miguel Pupo winning in Round 4. Miguel Pupo - WSL / Daniel Smorigo

PARTICIPAÇÃO DUPLA - Logo após Mineirinho e Caio Ibelli competirem juntos, começou outra bateria com participação dupla do Brasil valendo uma vaga para as quartas de final. Miguel Pupo surfou bem para superar o potiguar Italo Ferreira por uma pequena diferença de 12,73 a 12,50 pontos. O australiano Adam Melling não acompanhou o ritmo dos brasileiros e terminou em último com 10,90, com ele e Italo tendo que encarar uma rodada extra nas condições desafiadoras do mar, exigindo um bom preparo físico dos competidores no Postinho da Barra.

"Eu só busquei ficar bem ativo e pegar várias ondas, mas não consegui duas notas altas como gostaria", disse Miguel Pupo. "Eu nem pensei nos meus oponentes, só mesmo em achar boas ondas e surfar bem, fazer uma linha bonita. Eu estou muito feliz em passar para as quartas de final pela primeira vez esse ano e já é o meu melhor resultado na etapa do Brasil. Estou me sentindo confiante, tenho treinado bastante, surfando muito e agora é só questão de achar as ondas certas nas baterias".

Caio Ibelli winning in Round 3. Caio Ibelli - WSL / Daniel Smorigo

DERROTAS BRASILEIRAS - Após as vitórias de Adriano de Souza e Miguel Pupo, veio o espetáculo de Gabriel Medina e em seguida foi iniciada a quinta fase para definir as últimas vagas para as quartas de final. Na primeira bateria, Caio Ibelli até tentou a virada nos minutos finais como quando derrotou a fera John John Florence em duas etapas seguidas da "perna australiana" da World Surf League. Só que dessa vez não conseguiu a nota que precisava e John John avançou para fazer um duelo havaiano na abertura das quartas de final com Dusty Payne, que derrotou os dois na quarta fase.

"Estou amarradão por ter passado para as quartas de final", disse John John Florence, que comentou sobre a recente rivalidade com Caio Ibelli. "Eu venci ele na primeira fase e achei que não valia, mas essa agora sim, numa fase eliminatória importante para mim. Na Austrália, ele ganhou de mim nos últimos segundos duas vezes e foi muito frustrante, então agora foi um tipo de vingança. Hoje (quarta-feira) foi um dia que as ondas estavam difíceis, tinha que ter sorte também e espero manter esse ritmo amanhã".

Italo Ferreira placed second in Round 5. Italo Ferreira - WSL / Daniel Smorigo

Depois, mais dois brasileiros até então apontados como favoritos para vencer o Oi Rio Pro 2016 apresentado por Corona, foram eliminados em nono lugar, marcando 4.000 pontos no ranking da World Surf League e recebendo 12.750 dólares de prêmio. Com uma onda bem surfada nos minutos finais que valeu nota 8,60, o australiano Davey Cathels virou para 15,67 a 14,87 pontos o placar contra o defensor do título da etapa brasileira, Filipe Toledo. E na disputa seguinte, o também australiano Jack Freestone garantiu a permanência de Matt Wilkinson na liderança do ranking ao barrar o potiguar Italo Ferreira por 16,43 a 10,10 pontos.

NOVO VICE-LÍDER - Mesmo assim, Italo sai do Brasil na vice-liderança da corrida pelo título mundial da temporada, pois já havia ultrapassado o havaiano Sebastian Zietz, eliminado na terceira fase por outro australiano, Adam Melling. O único que poderia tirar a segunda posição no ranking do potiguar era o paulista Caio Ibelli, que também perdeu em nono lugar como ele e no momento é o quarto colocado na classificação geral das quatro primeiras etapas do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour 2016.

Jack Freestone winning in Round 5. Jack Freestone - WSL / Daniel Smorigo

Agora três surfistas podem tirar a terceira posição do havaiano Sebastian Zietz com a vitória no Oi Rio Pro nesta quinta-feira no Postinho da Barra. Dois deles são os campeões mundiais Adriano de Souza e Gabriel Medina e o outro é o taitiano Michel Bourez, que vai disputar a primeira bateria do último dia com Adam Melling. Este confronto foi transferido da quarta-feira porque já estava escurecendo no Rio de Janeiro. A primeira chamada para eles é as 6h30 na arena do Postinho da Barra.