Maui and Sons Arica Pro Tour

Maui and Sons Arica Pro Tour tem mais um dia clássico no Chile

WSL South America

Em mais um dia de mar clássico, com ondas incríveis e tubos espetaculares de 8-10 pés em El Gringo, as principais estrelas do QS 1500 Maui and Sons Arica Pro Tour começaram a estrear em Ex-Isla Alacrán, no Chile. O líder do ranking sul-americano da WSL South America, Leandro Usuna, ganhou o confronto que abriu a quarta-feira e o atual campeão mundial Pro Junior da World Surf League, Lucas Silveira, passou junto com o argentino para a rodada classificatória para as quartas de final. Na quarta-feira também aconteceram as primeiras vitórias chilenas, mas o grande destaque do terceiro dia foi o brasileiro Lucas Chianca, que fez um novo recorde de 16,70 pontos para a etapa mais antiga e desafiadora do WSL Qualifying Series na América do Sul.

Maui and Sons Arica Pro Tour Leandro Usuna - WSL / Mauricio Lazo

"Essa é a minha terceira vez competindo aqui em Arica e eu gosto muito de ondas grandes com tubos como El Gringo, porque não tem nada parecido com isso na Argentina", disse Leandro Usuna, primeiro não brasileiro a liderar o ranking sul-americano da WSL South America. "Eu estava bem ansioso nesses últimos dias esperando para competir e a cada dia o mar ficava maior. Até passei algumas noites sem dormir por causa disso (risos). Mas, agora que passei a minha primeira bateria, não vou ficar me cobrando muito. Vou tentar ficar mais calmo e espero ir bem nesse campeonato".

O argentino só surfou duas ondas na bateria e foi preciso na escolha para ganhar notas 7,00 e 5,67 que foram suficientes para estrear com vitória no QS 1500 Maui and Sons Arica Pro Tour. Na briga pela segunda vaga para a terceira fase, o brasileiro Lucas Silveira superou os outros dois componentes por 7,94 pontos, contra 6,56 do peruano Sebastian Correa e apenas 1,67 do chileno Danilo Cerda. Leandro Usuna certamente vai aumentar a vantagem na ponta do ranking sul-americano da WSL South America, pois o vice-líder, Flavio Nakagima, do Brasil, foi eliminado no penúltimo confronto do dia.

Maui and Sons Arica Pro Tour Tomas Tudela - WSL / Rodrigo Farias

NOVO RECORDE - Na disputa seguinte, El Gringo parece ter acordado e bombou mais ondas para os quatro competidores. Eram três brasileiros com um argentino, Francisco Usuna, irmão do líder do ranking sul-americano, que terminou em último. Já os irmãos de Saquarema, a "Cidade do Surf" da Região dos Lagos do Rio de Janeiro, largaram na frente. Lucas Chianca surfou o primeiro tubaço do dia, que valeu nota 8,0. E o mais jovem, João, de apenas 15 anos de idade, começou em segundo lugar com 4,50.

Lucas Chianca, também conhecido por Chumbinho, fez a melhor apresentação da semana em El Gringo e surfou mais três tubos fantásticos para atingir 16,70 pontos com a nota 8,70 do último que fechou a bateria. Mas, ele já venceria com as notas 7,43 e 7,83 dos dois anteriores, que acabaram sendo descartados do resultado. Já João Chianca não conseguiu achar outra onda boa e acabou perdendo a disputa pela segunda vaga para o paraibano Samuel Igo.

Maui and Sons Arica Pro Tour Max Longhurst - WSL / Rodrigo Farias

"Eu gosto muito dessa onda aqui, sempre venho pra cá para treinar mesmo quando não tem campeonato e estava ansioso para competir", disse Lucas Chianca. "Eu consegui pegar boas ondas para vencer e fiquei um pouco triste porque o meu irmão perdeu, mas ele é novo ainda e terá outras chances. Nós chegamos aqui sete dias antes do campeonato começar e eu estava bem confortável para surfar nessas condições. Sei que as ondas vão baixar um pouco nos próximos dias, vai ficar mais difícil, mas estou confiante para a próxima fase e para conseguir um bom resultado nesse evento, que para mim é o melhor de todos no mundo".

VITÓRIAS CHILENAS - Na quarta-feira também aconteceram as primeiras vitórias chilenas no QS 1500 Maui and Sons Arica Pro Tour, pois na primeira fase apenas um se classificou e em segundo lugar na sua bateria. O tabu foi quebrado por Manuel Selman, um dos quatro surfistas que chegaram nas semifinais do ano passado, que acabaram sendo canceladas pelas condições extremas e muito perigosas do mar no último dia. Selman surfou o melhor tubo da bateria, que rendeu uma nota 8,50 e garantiu a vitória por 10,93 pontos. Destaque da terça-feira, o australiano Dean Bowen passou em segundo com 8,60, eliminando o argentino Nahuel Amalfitano com 8,50 e o norte-americano Nate Dorman com apenas 2,90 pontos.

Maui and Sons Arica Pro Tour Manuel Selman - WSL / Rodrigo Farias

"Estou muito contente por ter esse campeonato aqui e muito motivado por estar competindo mais uma vez em El Gringo, que é uma onda incrível", disse Manuel Selman. "Eu pretendo terminar entre os top-100 do ranking QS (WSL Qualifying Series) esse ano e quero muito ganhar esse campeonato. Já cheguei nas semifinais duas vezes, no ano passado não foi possível terminar o evento, então vou fazer de tudo para vencer esse ano. Essa onda é muito difícil de surfar, então quanto mais experiência você tiver aqui, mais confiança você vai sentir na água. Eu surfo aqui há tanto tempo e isso, sem dúvida, é uma vantagem a meu favor".

O campeão do Maui and Sons Arica Pro Tour em 2011, Guillermo Satt, também estreou com vitória no confronto que acabou sendo o último do dia, por causa da entrada do vento maral afetando a qualidade das ondas em El Gringo e deixando o mar muito perigoso para os atletas competirem. E a quarta-feira foi então encerrada com uma dobradinha chilena. Guillermo Satt só surfou duas ondas para vencer por 13,44 pontos e o veterano Renato Aguirre, de 44 anos de idade, ganhou a disputa pela segunda vaga do também chileno Nicolas Guajardo e do norte-americano Myles Laine-Toner.

Maui and Sons Arica Pro Tour Guillermo Satt - WSL / Rodrigo Farias

DESTAQUE PERUANO - Antes desta bateria, outro campeão nos tubos de El Gringo, o peruano Alvaro Malpartida em 2013, fez uma grande apresentação e foi quem chegou mais perto do recorde do brasileiro Lucas Chianca. Ele começou bem com nota 7,33 e surfou outro tubo melhor ainda para sacramentar a vitória com nota 8,83. Com ela, Malpartida totalizou 16,16 pontos e o chileno Leonardo Acevedo atingiu 12,53 para passar em segundo lugar. Os dois acabaram barrando o vice-líder do ranking sul-americano da WSL South America, o brasileiro Flavio Nakagima, além do peruano Joaquin Del Castillo, ambos com vitórias no QS esse ano.

"Foi uma bateria bem difícil para mim, porque não tinha muitas ondas. E no final, eu não estava com a prioridade (de escolha da próxima onda) e precisava de uma nota alta", contou Alvaro Malpartida. "Mas, ainda bem que entrou uma série grande e os três surfistas remaram em ondas que acabaram fechando, menos a quarta que sobrou pra mim e era perfeita. Todos os surfistas estão quebrando, então é um prazer estar competindo contra eles".

Maui and Sons Arica Pro Tour Dean Bowen - WSL / Rodrigo Farias

O peruano Alvaro Malpartida também foi vice-campeão na primeira edição do Maui and Sons Arica Pro Tour em 2009 e destacou a organização do evento esse ano: "Toda a equipe e organização do evento estão de parabéns. Eles estão cuidando muito bem da gente e principalmente da nossa segurança. Caso alguma coisa aconteça, tem toda uma equipe médica e os jet skies na água prontos para ajudar. Isso vale muito para nós, atletas, especialmente numa onda tão perigosa como El Gringo".

ENCONTRO DE CAMPEÕES - Com a combinação dos resultados da quarta-feira, os dois únicos surfistas que já venceram o Maui and Sons Arica Pro Tour e ainda estão vivos na competição, irão se enfrentar na terceira fase. Guillermo Satt e Alvaro Malpartida foram para a terceira bateria e vão disputar duas vagas para as quartas de final com os segundos colocados dos dois últimos confrontos da segunda fase. Essas baterias ficaram para abrir a quinta-feira, com a primeira chamada do dia marcada para as 7h30 em Ex-Isla Alacrán, no Chile.

Maui and Sons Arica Pro Tour Alvaro Malpartida - WSL / Pablo Jimenez

Somente as primeiras baterias desta rodada classificatória para as quartas de final já estão formadas. A batalha vai começar com o líder do ranking sul-americano, Leandro Usuna, da Argentina, enfrentando o novo recordista do Maui and Sons Arica Pro Tour, Lucas Chianca, do Brasil, e dois australianos, Dean Bowen e Max Longhurst. E a segunda bateria terá dois brasileiros, Lucas Silveira e Samuel Igo, contra o chileno Manuel Selman e o peruano Tomas Tudela.

O QS 1500 Maui and Sons Arica Pro Tour é a terceira etapa do WSL Qualifying Series realizada na América do Sul esse ano. A vitória no verdadeiro desafio numa das melhores e mais perigosas ondas do mundo vale um prêmio de 10.000 dólares, 1.500 pontos para o ranking mundial e 1.000 para o sul-americano da WSL South America. A primeira chamada da quinta-feira foi marcada para as 7h30 no Chile