NewsAzores Airlines Pro

Ian Gouveia vence QS 6000 dos Açores e entra no G-10 do CT 2017

Highlights: Gouveia e Dupont vencem nos Açores
3:40
Confira oque aconteceu de melhor no último dia em Portugal

O pernambucano Ian Gouveia, 23 anos, é o terceiro brasileiro a entrar na lista provisória dos dez surfistas que o WSL Qualifying Series classifica para completar a elite dos top-34 da World Surf League. Neste sábado (10), ele conquistou a principal vitória da sua carreira no QS 6000 Azores Airlines Pro nas Ilhas Açores, em Portugal. A final nas ondas de 4-5 pés da Praia de Monte Verde, na Ilha São Miguel, foi contra o havaiano Ezekiel Lau, 22. E no QS 1500 feminino, a vencedora foi a francesa Justine Dupont, 25, na decisão do título com a havaiana Brisa Hennessy, de apenas 16 anos de idade.

Justine Dupont (FRA) and Ian Gouveia (BRA) .Acores16 Justine Dupont (FRA) and Ian Gouveia (BRA) WSL / Laurent Masurel

"Estou muito feliz por ter conseguido manter um bom ritmo de competição nessas duas últimas semanas aqui na Europa e, depois daquela final em Pantin (ficando em quarto lugar na Espanha), honestamente, eu não ficaria satisfeito com qualquer outra coisa que não fosse a vitória aqui", disse Ian Gouveia. "Estou sentindo uma sensação incrível agora. Esta é a maior vitória da minha carreira e certamente vai mudar a minha temporada. Estou acostumado a lutar para ficar entre os top-100 do ranking e agora vou batalhar pela qualificação para o CT e isso é incrível, era tudo o que eu queria".

Com os 6.000 pontos da vitória em Portugal, Ian Gouveia saltou da 35.a para a nona posição no ranking do WSL Qualifying Series, ficando entre o paulista Deivid Silva na oitava colocação e o baiano Bino Lopes em décimo lugar. O pernambucano, que atualmente mora na Praia de Maresias, em São Sebastião, litoral norte de São Paulo, faturou 25.000 dólares de prêmio no Azores Airlines Pro e acabou tirando do G-10 outro brasileiro, o catarinense Tomas Hermes.

Ian Gouveia (BRA) .Acores16 Ian Gouveia WSL / Laurent Masurel

Ian Gouveia já tinha decidido o título da outra etapa do QS 6000 da "perna europeia", encerrada domingo passado na Espanha, mas ficou em quarto lugar no Pantin Classic Galicia Pro. Outros dois brasileiros disputaram a bateria final, mas todos foram derrotados pelo norte-americano Kanoa Igarashi, com o cearense Michael Rodrigues ficando em segundo lugar e em terceiro o próprio Tomas Hermes, que não foi bem nas Ilhas Açores.

CAMINHO DA VITÓRIA - No sábado decisivo do QS 6000, o filho mais jovem do grande ídolo do surfe brasileiro, Fábio Gouveia, começou o caminho da vitória no Azores Airlines Pro ganhando, por 12,97 a 8,26 pontos, o duelo verde-amarelo com o catarinense Yago Dora pelas quartas de final. Depois, também surfou a melhor onda da bateria para passar pelo sul-africano Michael February por 13,13 a 12,00 na semifinal. E na grande final, repetiu a dose, computando outra nota na casa dos 7 pontos para conquistar o título por 12,53 pontos. Durante a semana, Ian mostrou um surfe de borda muito forte e também usou os aéreos para superar os adversários que enfrentou nas ondas da Praia de Monte Verde.

Ezekiel Lau (HAW) .Acores16 Ezekiel Lau WSL / Laurent Masurel

"Eu tentei ficar no meu jogo e capitalizar ao máximo as oportunidades que tive para surfar nas baterias", contou Ian Gouveia. "Se tivesse uma seção boa para mandar um aéreo grande na final, certamente eu teria feito, mas as condições estavam mais para manobras de borda mesmo e foi divertido também. Meu objetivo agora é tentar manter esse ritmo, buscar um bom resultado em Cascais (que vai sediar um QS 10000 no fim do mês em Portugal) para ver o que vai acontecer no restante da temporada. Eu quero agradecer a minha família e amigos que sempre me apoiaram e a todos aqui também, pois nós somos uma grande família e é ótimo tê-los comigo".

Mesmo perdendo a final, o havaiano Ezekiel Lau festejou o vice-campeonato, pois subiu do décimo para o sexto lugar no ranking com os 4.500 pontos recebidos em Portugal. Ele só conseguiu surfar uma onda boa na bateria decisiva, que valeu nota 7,33, tendo que somar 1,77 para totalizar apenas 9,10 pontos. Seu grande momento nas Ilhas Açores foi quando barrou o líder do WSL Qualifying Series nas semifinais, Leonardo Fioravanti, italiano que deixou o brasileiro Lucas Silveira em quinto lugar nas quartas de final.

Lucas Silveira (BRA) .Acores16 Lucas Silveira WSL / Laurent Masurel

"Estou feliz pelo resultado. Eu fiz um bom evento, ganhei boas baterias, fiquei amarradão em chegar na final e parabéns ao Ian (Gouveia), pois ele surfou muito bem aqui", disse Ezekiel Lau. "Eu estava buscando outro bom resultado para somar com o terceiro lugar no QS 10000 da África do Sul e consegui isso aqui, então foi bom. Infelizmente, eu cometi um pequeno erro tático na final, mas vou aprender com ele. Agora é seguir em frente e tentar ser melhor na próxima".

Apesar da derrota na primeira rodada do sábado na Praia de Monte Verde, o atual campeão mundial Pro Junior da World Surf League, Lucas Silveira, ganhou várias posições no ranking, indo da 83.a para a 45.a colocação. O catarinense Yago Dora, que também marcou 2.650 pontos com o quinto lugar nas Ilhas Açores, foi outro que subiu bastante, de 96 para 47. E a grande surpresa desta etapa, o jovem paulista Samuel Pupo, que só parou no campeão Ian Gouveia nas oitavas de final e ficou em nono lugar, saltou de 122 para 77 no ranking.

Justine Dupont (FRA) .Acores16 Justine Dupont WSL / Laurent Masurel

QS 1500 FEMININO - No sábado também foi encerrado o QS 1500 feminino do Azores Airlines Pro e a campeã foi Justine Dupont. A expectativa era toda para uma final francesa nas Ilhas Açores, mas a jovem havaiana Brisa Hennessy de apenas 16 anos de idade, surpreendeu a grande favorita ao título em Portugal, Pauline Ado, nas semifinais. Mesmo com o terceiro lugar, Pauline entrou no grupo das seis surfistas que o QS feminino indica para a elite das top-17 da World Surf League.

Ela se manteve em nono lugar, mas foi beneficiada pelos resultados do CT de Trestles, na Califórnia, onde a australiana Nikki Van Dijk entrou na lista das dez primeiras colocadas que são mantidas para o ano que vem. Ela lidera o ranking do QS e passou a dispensar a vaga do ranking de acesso, que no momento ficou para Pauline Ado. Com a vitória no QS 1500 Azores Airlines Pro, Justine Dupont assumiu a décima posição e está na porta de entrada do G-6.

Brissa Hennessy (HAW) .Acores16 Brisa Hennessy WSL / Laurent Masurel

A nova relação das seis surfistas que estão se classificando para o CT de 2017, após a etapa de Portugal nas Ilhas Açores, é encabeçada pelas australianas Bronte Macaulay e Keely Andrew, com a brasileira Silvana Lima em terceiro seguida por outra australiana, Laura Enever, além da havaiana Coco Ho e agora com a francesa Pauline Ado fechando a lista.

PRÓXIMAS ETAPAS - Nesta semana, acontece outra etapa do QS 1500 para as meninas na Europa, com o Roxy Pro Casablanca começando na terça-feira em Marrocos. Ela será realizada junto com uma prova masculina do QS 1500 nas mesmas ondas de Anfaplace, em Casablanca. Para os homens, a expectativa fica mesmo para o terceiro QS 10000 do ano, o Cascais Billabong Pro na Praia de Carcavelos, que vai fechar a "perna europeia" do WSL Qualifying Series de 24 de setembro a 2 de outubro novamente em Portugal.

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it