NewsLos Cabos Open of SurfSilvana Lima

Silvana Lima conquista o título do QS 6000 do México

Silvana Lima conquistou o título do QS 6000 Los Cabos Open of Surf, batendo a campeã do ano passado na grande final do sábado nas ondas de Zippers Beach, em San Jose del Cabo, no México. A brasileira vinha sendo a melhor surfista durante toda a semana e o favoritismo foi confirmado no último dia, contra as australianas Keely Andrew na semifinal e Bronte Macaulay na bateria decisiva. Com a vitória, Silvana saltou da 34.a para a segunda posição no WSL Qualifying Series, passando a manter sua vaga na elite das top-17 entre as seis indicadas pelo ranking de acesso.

2017 Los Cabos Open of Surf Champion Silvana Lima and runner-up Bronte Macaulay (AUS). Silvana Lima WSL / Andrew Nichols

As quatro surfistas que competiram no sábado, entraram na zona de classificação para o CT no México. A única que ainda estava fora era Silvana Lima, que precisava avançar para entrar na lista. E ela surfou duas baterias de forma impecável para, enfim, conseguir sua primeira vitória no Los Cabos Open of Surf. Silvana já havia chegado perto disso outras vezes. Em 2015, perdeu a decisão do título para a australiana Nikki Van Dijk. No ano passado, parou na semifinal contra a equatoriana Dominic Barona, vice-campeã na final com Bronte Macaulay.

"É um momento único que jamais esquecerei. Depois de chegar tão perto do título a cada ano, ganhar agora é um sonho se tornando realidade", disse Silvana Lima. "Estou muito feliz e quero agradecer a todos aqui pelo apoio incrível ao longo dos anos, essa vitória é para vocês. Obrigado a todos que ficaram me falando que esse era o meu ano, pois comecei a acreditar nisso cada vez mais. Isso me deu mais confiança e agora só quero aproveitar para curtir esse dia".

Silvana Lima (BRA) winning the Los Cabos Open of Surf. Silvana Lima WSL / Andrew Nichols

A cearense não está tendo uma boa temporada no seu retorno ao World Surf League Championship Tour e também estava fora do grupo das seis que se classificam pelo QS. Então, precisava de um bom resultado numa prova importante para manter sua vaga na elite pelo ranking de acesso. E Silvana surfou bem em todas as baterias que disputou durante a semana do Los Cabos Open of Surfing. No último dia, não deu chances para as duas australianas que enfrentou, ambas na mesma situação que ela, fora das top-10 do CT e do G-6 do QS.

Na semifinal contra Keely Andrew, já destruiu sua primeira onda com manobras potentes para largar na frente com nota 8,17. Depois, surfou outra melhor ainda para ganhar 8,77 e atingir imbatíveis 16,94 pontos, contra 15,27 da australiana que chegou a igualar sua maior nota. Na grande final, Silvana também começou forte com 7,67, contra 6,50 da defensora do título. Ela preferiu esperar por uma segunda onda boa, enquanto Macaulay arriscava mais, tentando aumentar sua pontuação. Só que Silvana acerta de novo na escolha e pega outra boa onda para ganhar 8,17 dos juízes, nota que confirma a vitória por 15,84 a 11,50 pontos.

Bronte Macaulay (AUS) earning runner-up at the Los Cabos Open of Surf. Bronte Macaulay WSL / Andrew Nichols

"A Bronte (Macaulay) é uma surfista incrível e foi ótimo disputar essa final com ela", disse Silvana Lima. "Acho que essa foi a primeira vez que eu não fico nervosa numa final. Eu só pensava em surfar o meu melhor, era tudo o que eu precisava fazer. Eu vim para esse campeonato com o objetivo de vencer aqui, então estou muito feliz por ter dado tudo certo".

Apesar do vice-campeonato, Bronte Macaulay também ficou feliz por ter decidido o título do Los Cabos Open of Surf pelo segundo ano consecutivo. Além dela, apenas Silvana Lima chegou em duas finais no México e agora conseguiu sua primeira vitória. No ano passado, a cearense foi a campeã do WSL Qualifying Series e a australiana a vice-campeã. Com os 4.500 pontos recebidos pelo segundo lugar, Bronte Macaulay subiu de vigésimo para terceiro no ranking, novamente uma posição abaixo de Silvana Lima.

"A Silvana (Lima) realmente era a melhor surfista neste evento, vinha fazendo várias baterias boas, então eu sabia que seria difícil de ganhar dela aqui", disse Bronte Macaulay. "Embora tenha sido um bom resultado para somar no QS, fiquei um pouco desapontada com o meu surfe hoje (sábado). Tinham boas ondas, bem definidas, boas para fazer manobras e foi um bom campeonato. Agora vou passar um tempo em casa, antes de voltar a competir no QS e CT".

Keely Andrew (AUS) earning runner-up in her Semifinal heat at the Los Cabos Open of Surf. Keely Andrew WSL / Andrew Nichols

Essa foi a segunda final consecutiva de Bronte Macaulay contra uma surfista da América do Sul no QS 6000 do México. No ano passado, ela ganhou da equatoriana Dominic Barona, que tinha derrotado Silvana Lima nas semifinais. A decisão de 2016 foi reeditada nas quartas de final que fecharam a sexta-feira em Zippers Beach e Dominic Barona perdeu de novo para a australiana, dessa vez terminando em quinto lugar no Los Cabos Open of Surf. Mesmo assim, a equatoriana ganhou trinta posições no WSL Qualifying Series, subindo de 51 para 21 no ranking.

QS NO PERU - Dominic Barona agora se prepara para defender a liderança no ranking da WSL South America, que define a campeã sul-americana da temporada. Ela venceu a primeira etapa na Argentina e a segunda marca a volta de San Bartolo e do Peru ao WSL Qualifying Series feminino, depois da vitória da peruana Sofia Mulanovich em 2014. O retorno será no Jeep Pro San Bartolo Peru com uma etapa do QS 1000 masculina e feminina nos dias 12 a 15 de julho. As inscrições estão abertas no sistema online do www.wslsouthamerica.com

Earning her first appearance into a Women's QS Final, Dominic Barona (ECU) was brought to tears of joy coming out of the water. Dominic Barona WSL / Marenelmar

Além de Silvana Lima e Dominic Barona, mais onze surfistas da América do Sul foram ao México competir no QS 6000 Los Cabos Open of Surf. A peruana Anali Gomez ficou em 37.o lugar, a um passo da rodada classificatória para as oitavas de final. Mais duas peruanas perderam na fase anterior, com Melanie Giunta terminando em 49.o lugar e Leilani Aguirre em 61.o, empatada com a atual campeã sul-americana da WSL South America, a brasileira Nathalie Martins.

Barradas na segunda fase, a chilena Lorena Fica e as argentinas Josefina Ane e Lucia Cosoleto, ficaram em 73.o lugar. Outras quatro não passaram das suas estreias na primeira fase. A argentina Evelyn Gontier e as brasileiras Yanca Costa e Julia Camargo, acabaram em terceiro lugar nas suas baterias e em 97.o no campeonato. Já a carioca Karol Ribeiro foi a última colocada na sua e terminou em 109.o lugar na quarta edição do QS 6000 do México.

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it