NewsMaui and Sons Pichilemu Women's Pro

Maui and Sons Pichilemu Women's Pro começa com altas ondas no Chile

O QS 1500 Maui and Sons Pichilemu Women´s Pro by Royal Guard foi iniciado na sexta-feira de mar pesado, com séries de 6-8 pés bombando altas ondas para as meninas em Punta de Lobos, no Chile. A etapa que abre a nova "perna sul-americana" feminina da WSL South America, só começou na quinta chamada do dia, as 14h00, com a peruana Anali Gomez vencendo a primeira bateria. Mas, as chilenas se destacaram, fazendo os recordes da primeira fase. Pomare Tepano ganhou a maior nota - 9,0 - e Natalia Escobar fez o maior placar - 14,55 pontos - na bateria com a campeã mundial e defensora do título desta etapa, a peruana Sofia Mulanovich. A segunda fase, com a entrada das cabeças de chave, começa neste sábado e a primeira chamada foi marcada para as 9h00 no Chile.

Anali Gomez - Maui and Sons Pichilemu Women's Pro Anali Gomez WSL / Xabier Azcarate

A líder do ranking sul-americano da WSL South America, Anali Gomez, ganhou o confronto que abriu a quarta edição do Maui and Sons Pichilemu Women´s Pro, com 29 surfistas de oito países estreando na sexta-feira de grandes ondas em Punta de Lobos. A peruana foi a única a pegar cinco ondas e ganhou notas 5,75 e 4,50 nas duas melhores para vencer por 10,25 pontos. Em segundo lugar, passou Beatriz Mella com 6,40 e a outra chilena da bateria, Matilda Molina, foi eliminada sem conseguir surfar nenhuma onda nas difíceis condições do mar.

"Estou muito feliz por estar de volta aqui nesse grande evento e Punta de Lobos está bombando como eu nunca tinha visto", disse Anali Gomez. "Geralmente, no QS nós não temos a chance de competir em ondas como essas, grandes, pesadas, com correnteza forte. Eu sou do Peru e lá a gente surfa ondas pesadas assim, mas dificilmente encontramos essas condições nos eventos. Estou muito contente pela oportunidade de surfar uma onda de qualidade internacional assim, com apenas duas ou três pessoas no mar. E espero disputar muitas baterias ainda aqui no fim de semana".

Maui and Sons Pichilemu Women's Pro Maui and Sons Pichilemu Women's Pro WSL / Xabier Azcarate

Com a vitória, Anali Gomez agora fará uma disputa direta pelo título sul-americano já na segunda fase, com a vice-líder do ranking da WSL South America, Dominic Barona, cabeça de chave da primeira bateria junto com a chilena Trinidad Segura. A equatoriana venceu a primeira etapa do WSL Qualifying Series na América do Sul em Mar del Plata, na Argentina, e Anali ganhou a segunda em casa no Peru, derrotando a própria Dominic na final em San Bartolo.

MELHOR DO DIA - Na segunda bateria do dia, as surfistas do Chile começaram a brilhar nas ondas pesadas da sexta-feira em Punta de Lobos. Eram três enfrentando a jovem brasileira Maju Freitas, que ficou em último. Adela Recordon largou na frente surfando muito bem a primeira onda a entrar no critério excelente dos juízes, ganhando nota 8,25. Pomare Tepano começou com uma fraca de 2,25 pontos, mas pegou outra melhor para receber a maior nota do primeiro dia - 9,0 - e vencer a bateria, com Adela passando em segundo lugar.

Pomare Tepano - Maui and Sons Pichilemu Women's Pro Pomare Tepano WSL / Xabier Azcarate

"Uau, foi incrível e estou ainda sentindo muita adrenalina agora", disse Pomare Tepano. "Tem altas ondas, mas me senti muito nervosa porque não estava conseguindo pegar ondas. Até que apareceu essa onda que foi incrível, abriu bastante e eu consegui fazer minhas manobras. Foi muito boa a onda e estou bem contente com a nota (9,0)".

VITÓRIA BRASILEIRA - Depois de uma vitória peruana e uma chilena, deu Brasil na terceira bateria do dia, com a carioca Karol Ribeiro conseguindo o primeiro lugar com a nota 6,5 da única onda que surfou. Ela acabou somando o 0,35 da primeira que pegou e logo caiu, mas os 6,85 pontos foram suficientes para superar os 6,50 da peruana Mar del Solar, os 4,90 da chilena Josefina Vidueira e os 4,05 da outra brasileira que estreou nesta terceira bateria, Ruana Vidda Silva.

"As ondas estão muito boas, grandes, e é uma experiência incrível surfar essa onda", disse a jovem Karol Ribeiro. "Estou feliz por ter conseguido achar uma onda muito boa para vencer a bateria e vamos com tudo para a próxima fase. No início eu estava um pouco nervosa, porque não sou acostumada a surfar ondas tão grandes assim, mas consegui completar uma muito boa e estou muito feliz em passar para a próxima fase".

Sofia Mulanovich - Maui and Sons Pichilemu Women's Pro Sofia Mulanovich WSL / Xabier Azcarate

DEFENSORA DO TÍTULO - A defensora do título do Maui and Sons Pichilemu Women´s Pro e campeã mundial da World Surf League em 2004, Sofia Mulanovich, também estreou no primeiro dia, na quinta bateria. Apesar de todo o favoritismo da peruana, a chilena Natalia Escobar roubou a cena. Ela começou com uma onda fraca, mas a segunda abriu uma longa parede para manobrar forte e arrancar a segunda maior nota do dia, 8,40. Em seguida surfou outra onda boa que valeu 6,15 para fazer o maior placar da sexta-feira em Punta de Lobos.

A havaiana Brittany Penaroza surfou um belo tubo e estava passando em segundo lugar com notas 5,00 e 6,50, enquanto a peruana Sofia Mulanovich era a última colocada com apenas uma onda 4,25. Mas, a campeã mundial ainda pegou mais uma para mostrar a potência do seu surfe e manobrou forte para ganhar 7,30 e ficar com a segunda vaga por uma pequena diferença de 11,55 a 11,50 pontos da havaiana.

Natalia Escobar - Maui and Sons Pichilemu Women's Pro Natalia Escobar WSL / Xabier Azcarate

"As condições estão realmente melhores agora e me senti em casa com a onda, a maré e a correnteza aqui de Punta de Lobos", disse Natalia Escobar. "Foi uma bateria superdifícil contra a Sofia (Mulanovich), que é campeã mundial, então estou muito contente por ter conseguido vencer. Quando você vê um nome assim na sua bateria, a gente fica um pouco nervosa, mas acho que surfei bem, fiquei feliz com a minha performance e já estou na expectativa e ansiosa para competir na próxima fase".

MAIORIA CHILENA - Natalia Escobar conquistou a terceira s quatro vitórias chilenas nas oito baterias da primeira fase disputadas na sexta-feira. A primeira foi da dona da maior nota, Pomare Tepano. Depois, Delfina Samaniego ganhou a quarta bateria e Luna Vergara a sexta, logo após Natalia Escobar fazer o recorde de pontos do primeiro dia. Outras três chilenas classificaram-se em segundo lugar, porém oito foram eliminadas.

Delfina Samaniego - Maui and Sons Pichilemu Women's Pro Delfina Samaniego WSL / Xabier Azcarate

Já as peruanas, todas as quatro que competiram, avançaram para a segunda fase com duas vitórias. As quatro brasileiras inscritas no Maui and Sons Pichilemu Women´s Pro também entraram na primeira fase e só duas passaram. Entre as duas norte-americanas que estrearam, apenas uma seguiu adiante. Outros quatro países foram representados no primeiro dia e o Havaí e o Taiti já saíram da briga pelo título no Chile.

A única argentina passou em segundo lugar na sua bateria e a única surfista de Porto Rico, Havanna Cabrero, ganhou o último confronto do dia com apenas uma onda surfada. Suas duas adversárias não conseguiram surfar nenhuma até o último minuto, quando a norte-americana Kloee Openshaw pegou uma, caiu logo, mas se classificou em segundo com meio pontinho. A chilena Paulina Ochoa terminou em último com zero ponto, assim como a sua compatriota, Matilda Molina, na primeira bateria do dia.

Adela Recordon - Maui and Sons Pichilemu Women's Pro Adela Recordon WSL / Xabier Azcarate

SÁBADO ÀS 9H00 - As eliminatórias continuam neste sábado, com a segunda fase marcando a estreia das dezesseis cabeças de chave do Maui and Sons Pichilemu Women´s Pro, as mais bem colocadas no ranking do WSL Qualifying Series. A primeira chamada do dia será as 9h00 e as duas principais concorrentes ao título sul-americano da WSL South America, vão se enfrentar na primeira bateria, a líder Anali Gomez e a vice Dominic Barona, contra as chilenas Trinidad Segura e Adela Recordon.

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it