NewsRip Curl Pro Argentina

Rip Curl Pro Argentina define as quartas de final na sexta-feira

A sexta-feira amanheceu com boas ondas na Playa Grande de Mar del Plata para definir as quartas de final do QS 1500 masculino e do QS 1000 feminino no Rip Curl Pro Argentina. Foram realizadas duas rodadas dos homens e os brasileiros conquistaram sete das oito vagas disputadas para o sábado e só um argentino se classificou. Entre as meninas, as argentinas são maioria com quatro surfistas para tentar deixar o primeiro troféu da vitória em casa. Até agora, os brasileiros ganharam todas as cinco edições anteriores e a equatoriana Dominic Barona venceu a primeira etapa feminina do WSL Qualifying Series na Argentina em 2017.

Rip Curl Pro Argentina Rip Curl Pro Argentina WSL / @surfinglatino - Beto Oviedo

A campeã do QS 1000 Rip Curl Pro Argentina no ano passado, também defende a liderança do ranking sul-americano de 2018 da WSL South America em Mar del Plata, pois ela ganhou a primeira etapa deste ano no Peru. Dominic Barona disputou a primeira bateria feminina da sexta-feira, depois da terceira fase masculina que abriu o dia na Playa Grande.

A equatoriana confirmou a vitória na primeira classificatória para as quartas de final, com a nota 6,40 recebida em sua última onda. Na briga pela segundo vaga, a brasileira Julia Duarte despachou a norte-americana Nicole Fulford e a peruana Sol Aguirre, campeã sul-americana Pro Junior Sub-18 da WSL South America no ano passado. Dominic Barona agora vai reeditar a semifinal de 2017 em Mar del Plata com a mesma argentina Lucia Cosoleto.

Lucia Cosoleto - Rip Curl Pro Argentina Lucia Cosoleto WSL / @surfinglatino - Beto Oviedo

"Estou superfeliz em estar de volta aqui na Argentina, as pessoas aqui me tratam de uma forma incrível e agradeço a Deus por poder conhecer tantos lugares representando o meu país", disse Dominic Barona. "As ondas estavam melhores pela manhã, agora baixaram um pouco, mas as condições estão iguais para todas e é preciso trabalhar bem em ondas pequenas também para passar as baterias. O nível está fortíssimo e minha meta é ganhar o campeonato, mas sei que tem que ir seguindo bateria por bateria até chegar lá".

Sua próxima adversária, Lucia Cosoleto, passou em segundo lugar no confronto vencido por Camila Cassia, que fará uma quarta de final brasileira com Julia Duarte no sábado. Já a terceira bateria será argentina, entre Josefina Ané e Catalina Mercere, que conquistou a última vaga na bateria que a campeã mundial, Sofia Mulanovich, passou em primeiro lugar. A peruana vai fechar as quartas de final com sua grande amiga argentina, Ornella Pellizzari.

Catalina Mercere - Rip Curl Pro Argentina Catalina Mercere WSL / @surfinglatino - Beto Oviedo

ARGENTINA NAS SEMIFINAIS - Pelo menos, uma argentina já está garantida nas semifinais, a que vencer o duelo entre Josefina Ané e Catalina Mercere. Josefina já fez uma final em Mar del Plata numa etapa da categoria Pro Junior em 2016, que valia o título sul-americano Sub-18 e foi vencido pela brasileira Tainá Hinckel. Agora, ela tem a chance de conquistar a primeira vitória em etapas do QS na Playa Grande, onde sempre treina na Argentina.

"Essa onda daqui me encanta muito, pois é a onda onde treino todos os dias e que conheço muito bem", disse Josefina Ané. "Isso me deixa mais confiante para fazer as manobras e sei que agora é matar ou morrer. Espero que amanhã (sábado) eu consiga pegar boas ondas nas baterias para continuar avançando. Esse campeonato é incrível, parabéns aos organizadores e agradeço também todas as pessoas da Argentina que estão aqui. Vamos com tudo amanhã".

Wesley Santos - Rip Curl Pro Argentina Wesley Santos WSL / @surfinglatino - Beto Oviedo

RECORDES BATIDOS - Na categoria masculina, os brasileiros praticamente dizimaram os concorrentes de outros países e seguem firmes para manter a hegemonia verde-amarela de títulos na história do Rip Curl Pro Argentina. Dos oito classificados para as quartas de final, sete são do Brasil e a única exceção é o argentino Facundo Arreyes, que se classificou na bateria em que o grande ídolo do seu país, Leandro Usuna, foi eliminado da competição.

O campeão sul-americano da WSL South America em 2016, tinha sido o primeiro surfista a ultrapassar a barreira dos 16 pontos esse ano em Mar del Plata. Em sua primeira participação na sexta-feira, pela terceira fase, Leandro Usuna atingiu 16,15 pontos somando duas notas no critério excelente dos juízes, 8,15 e 8,00. No entanto, depois não achou boas ondas e ficou em último na segunda classificatória para as quartas de final, vencida por Facundo Arreyes na última onda, com o brasileiro Amando Lins avançando em segundo lugar.

Mateus Herdy - Rip Curl Pro Argentina Mateus Herdy WSL / @surfinglatino - Beto Oviedo

As marcas de Leandro Usuna foram batidas ainda na terceira fase, pelo jovem brasileiro Mateus Herdy, atual campeão sul-americano Pro Junior da WSL South America. O catarinense se tornou o recordista absoluto do Rip Curl Pro Argentina com a nota 9,5 que recebeu em sua melhor apresentação e os imbatíveis 16,50 pontos que totalizou. Depois, Mateus conseguiu a última vaga para as quartas de final no confronto que fechou a sexta-feira e foi vencido por um dos brasileiros que já assumiram a vice-liderança do ranking sul-americano, Wesley Santos.

QUARTAS DE FINAL - Já a primeira batalha quem ganhou foi o campeão da primeira edição do Rip Curl Pro Argentina em 2013, Jihad Khodr. O brasileiro também ultrapassou a barreira dos 16 pontos nas duas últimas ondas que surfou na sexta-feira na Playa Grande. Especialista em surfar ondas para a direita, como as da sua casa em Matinhos (PR), Jihad também mostrou a força do seu backside numa esquerda para receber nota 8,60 e vencer por 16,35 pontos.

Jihad Khodr - Rip Curl Pro Argentina Jihad Khodr WSL / @surfinglatino - Beto Oviedo

"O mar continua o mesmo, pequeno, e nós que temos que nos conectar com as ondas né", disse Jihad Khodr. "Eu fui feliz mais uma vez em passar mais uma bateria e espero ter um grande dia amanhã (sábado). Agora, as baterias serão homem a homem, que são mais tranquilas, então só tenho que agradecer a Deus por estar aqui fazendo um bom trabalho".

O paranaense é o único que pode conseguir um inédito bicampeonato no QS 1500 da Argentina esse ano. Seu oponente na disputa pela primeira vaga nas semifinais é o também brasileiro Amando Lins, que despachou um dos favoritos ao título no confronto seguinte, Leandro Usuna. A segunda quarta de final será entre o único argentino classificado para o sábado, Facundo Arreyes, e o paraibano José Francisco, que passou junto com Jihad Khodr.

Nahuel Rull - Rip Curl Pro Argentina Nahuel Rull WSL / @surfinglatino - Beto Oviedo

LIDERANÇA DO SUL-AMERICANO - Nas outras duas baterias, competem os dois surfistas que já assumiram a vice-liderança no ranking sul-americano da WSL South America em Mar del Plata. Um deles é Renan Peres, que vai enfrentar o recordista absoluto do Rip Curl Pro Argentina, Mateus Herdy. O outro é Wesley Santos, que fará o terceiro duelo brasileiro das quartas de final com Samuel Pupo. Renan e Wesley ficaram em quinto lugar na primeira etapa da WSL South America no Peru e o líder, o peruano Alonso Correa, não competiu na Argentina.

"Estou bem feliz por ter passado mais uma bateria e só tenho que agradecer todo mundo pela torcida", vibrou Wesley Santos. "Estou bem calmo, minha prancha está muito boa, estou bem confiante e só quero achar boas ondas para poder fazer o meu surfe, que está bem encaixado nessas ondas daqui. Amanhã é um novo dia e pretendo descansar bastante, comer bem e ficar tranquilo, porque vem aí as quartas de final. O jogo muda totalmente, mas estou bem focado e espero sair daqui com o título".

Martin Passeri - Rip Curl Pro Argentina Martin Passeri WSL / @surfinglatino - Beto Oviedo

Organizado pela XXL Sports, o Rip Curl Pro Argentina é um dos principais eventos do WSL Qualifying Series na América do Sul.

World Surf League
Download it for free on the App store. Download it for free on Google Play.
Download
Download