Oi Rio Pro

Filipe Toledo vai inaugurar o Oi Rio Pro 2016 no Rio de Janeiro

WSL South America

A World Surf League já divulgou as baterias das primeiras fases masculina e feminina do Oi Rio Pro 2016 apresentado por Corona e o defensor do título da etapa brasileira do Samsung Galaxy WSL Championship Tour foi escalado para abrir o campeonato, que começa em 10 de maio com prazo até o dia 21 para ser encerrado no Rio de Janeiro. Filipe Toledo vai enfrentar o norte-americano Conner Coffin e o australiano Adam Melling na sua volta da contusão sofrida no primeiro desafio da temporada na Gold Coast, Austrália. No ano passado, ele enlouqueceu a multidão que lotou as areias do Postinho da Barra da Tijuca, com os seus aéreos liquidando os adversários que encontrou pelo caminho até a vitória na capital carioca.

"Não foi nada fácil ficar só assistindo os eventos da perna australiana, principalmente porque deu altas ondas e eu já tinha saído com um bom resultado (terceiro lugar) na Gold Coast. Mas, são ossos do ofício", disse o ubatubense Filipe Toledo, que mora na Califórnia (EUA), onde ficou tratando da contusão sofrida nas semifinais do evento que abriu a temporada 2016 na Gold Coast e que o tirou das duas etapas que fecharam a perna australiana em Bells Beach e Margaret River.

Filipe Toledo launches for a perfect 10 in the Final. Filipe Toledo - WSL

"Eu tive uma lesão na cartilagem que envolve a cabeça do fêmur e também no músculo da coxa", explica Filipe Toledo. "É uma lesão delicada que requer bastante atenção, caso contrário, só cirurgia. Estou tratando diariamente com o doutor Mark Kozuki, fisioterapeuta e osteopata. Ele já me conhece desde que lesionei meu tornozelo no ano passado, então fica mais fácil".

Apesar de ter ficado de fora de duas etapas, Filipe mostra confiança para tentar o bicampeonato no Oi Rio Pro. "Estou uns 90% bom e quero chegar ao Rio 110% preparado fisicamente e tecnicamente. Me sinto bastante confiante e espero poder defender meu título com todas as minhas forças, pois vencer em casa tem um gosto especial. Eu nunca tinha visto nada igual no surfe em toda minha vida e imagino como como vai estar esse ano. Nós contamos com toda torcida possível na areia, pois ela fez toda diferença no ano passado".

The beach was packed for the final day at the Oi Rio Pro. Multidão na praia - WSL / WSL/Salem

O Oi Rio Pro 2016 continua com seu palco principal montado nas areias do Postinho, no início da Barra da Tijuca, mas a grande novidade esse ano é a estrutura alternativa, que ficará instalada na preservada Praia de Grumari, para receber a competição nos dias que estiver apresentando melhores ondas no período de 10 a 21 de maio. Grumari fica num Parque Municipal dentro de uma Área de Preservação Ambiental (APA) com acesso limitado, então haverá um esquema especial para o transporte, com vans levando o público desde a entrada da Prainha quando esgotar a quantidade de carros no estacionamento.

Este é o segundo ano consecutivo que a etapa brasileira da World Surf League é patrocinada pela Oi. A estreia no ano passado foi um sucesso, com o Oi Rio Pro 2015 recebendo um grande público em todos os dias da competição no Postinho, que ficou superlotado no último dia com uma multidão vibrando com a vitória de Filipe Toledo sobre o australiano Bede Durbidge na grande final. Esse ano, o evento será ainda mais especial pela participação inédita de dois campeões mundiais do Brasil, Gabriel Medina em 2014 e o atual, Adriano de Souza.

Adriano de Souza tags the lip in Round 1 of the Oi Rio Pro. Adriano de Souza - WSL / Kelly Cestari

"A Oi acredita que o esporte ajuda a encurtar a distância entre as pessoas, culturas, classes sociais, além de desempenhar um importante papel na formação de valores fundamentais para a vida contemporânea", diz Bruno Cremona, gerente de Patrocínios e Eventos da Oi. "Recentemente passamos por um processo de evolução de marca para acompanhar a nova realidade das pessoas, que vivem no mundo digital compartilhando informações independentemente de onde estiverem. Nossas diferentes possibilidades de conexão são fundamentais para melhorar a vida destas pessoas, seja para se aproximar dos seus ídolos, se informar ou melhorar a performance no esporte. O patrocínio ao Oi Rio Pro enriquece ainda mais essa plataforma".

DIA IMPERDÍVEL - O primeiro dia do Oi Rio Pro será imperdível. Os 36 participantes da categoria masculina e as 18 da feminina entram juntos na primeira fase, divididos em confrontos de três atletas. Os vencedores das baterias passam direto para a terceira fase, mas os perdedores têm uma segunda chance de classificação. As quatro primeiras baterias do campeonato terão brasileiros competindo. Depois de Filipe Toledo abrir o quarto desafio do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour 2016, o campeão mundial Gabriel Medina já estreia na segunda bateria, contra o taitiano Michel Bourez e o australiano Jack Freestone.

Gabriel Medina (BRA) throws a backside air during Round 3 at the Oi Rio Pro. Gabriel Medina - WSL / Kelly Cestari

Na terceira, o novato na elite, Alex Ribeiro, enfrenta o australiano Julian Wilson e o norte-americano Kanoa Igarashi. E na quarta, o potiguar Italo Ferreira começa a defender a terceira posição no ranking, conquistada com duas semifinais consecutivas na perna australiana. Os primeiros adversários do "Estreante do Ano de 2015" no Oi Rio Pro, serão dois substitutos de tops contundidos, o australiano Stu Kennedy e o italiano Leonardo Fioravanti, que lidera o ranking do WSL Qualifying Series.

Na quinta bateria, o australiano Matt Wilkinson entra com a lycra amarela do Jeep WSL Leader e na disputa seguinte o paulista Adriano "Mineirinho" de Souza faz sua estreia no Brasil depois do título mundial conquistado em dezembro no Havaí. Estes dois confrontos ainda estão sem o terceiro componente nas vagas de convidados do Oi Rio Pro. Um deles sairá da triagem organizada pela Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro (FESERJ) com dezesseis surfistas, incluindo o atual campeão brasileiro Bino Lopes, da Bahia, entre os cariocas selecionados pela entidade.

Bino Lopes (BRA). Azores 2015 Bino Lopes - WSL / Laurent Masurel

Já os outros cinco integrantes da "seleção brasileira" no CT já conhecem seus oponentes. O catarinense Alejo Muniz, que está retornando a divisão de elite da World Surf League depois de um ano fora, terá uma parada dura na oitava bateria, contra os campeões mundiais Kelly Slater e Joel Parkinson. O paulista Wiggolly Dantas está na nona, com o sul-africano Jordy Smith e o australiano Matt Banting. O potiguar Jadson André entra na 11.a com o americano Kolohe Andino e o havaiano John John Florence. E os paulistas Caio Ibelli e Miguel Pupo estão juntos na última bateria, encabeçada pelo vice-líder do ranking, Sebastian Zietz, do Havaí.

O havaiano vem embalado da sua primeira vitória na carreira em Margaret River, na Austrália. Ele saiu da elite dos top-34 no ano passado, mas participou da perna australiana substituindo os muitos contundidos neste início de temporada. Filipe Toledo e Jack Freestone retornam no Oi Rio Pro, mas os também australianos Owen Wright e Bede Durbidge continuam de fora. Além deles, os outros que não vêm ao Rio de Janeiro esse ano são o tricampeão mundial Mick Fanning e Taj Burrow, que anunciou sua aposentadoria das competições.

Sebastian Zietz (HAW) pulls into a tube during Round 1 of the Oi Rio Pro. Sebastian Zietz - WSL / Kelly Cestari

POSTINHO E GRUMARI - Para assistir de perto os melhores surfistas do mundo no Oi Rio Pro ninguém precisa pagar nada, é só procurar um lugar na areia para torcer para os seus surfistas favoritos. Na enorme arena instalada no Postinho da Barra, o público terá várias atrações extras além do show garantido dentro d´água. E se a competição for transferida para Grumari, serão emitidos avisos pela mídia com antecedência e haverá um esquema especial para controlar o acesso até a praia, como já existe em outros eventos da World Surf League, como em Bells Beach na Austrália e Trestles nos Estados Unidos, por exemplo.

A prioridade é para os atletas e seus acompanhantes, staff técnico e imprensa, mas o público também poderá entrar de carro até preencher o limite do estacionamento no local, como já é feito durante a Operação Verão no Rio de Janeiro. A partir daí, terão que deixar seus veículos no Recreio dos Bandeirantes e utilizar as vans que serão disponibilizadas para o transporte desde a entrada da Prainha até Grumari.

Miguel Pupo (AUS) punts during Round 1 of the Oi Rio Pro. Miguel Pupo - WSL / Kelly Cestari

Oi Rio Pro apresentado por Corona será realizado com patrocínio da Oi, Samsung, Jeep, Go Pro, Airbnb, Riotur, Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, Visit.Rio, Governo do Estado do Rio de Janeiro pela Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, Furnas e Guaraná Antarctica. O Oi Rio Pro será transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo canal ESPN+.

A OI E O ESPORTE - A Oi tem longo histórico de apoio ao esporte, com patrocínios a grandes eventos, equipes e atletas de diferentes modalidades, como basquete, judô, futebol, surfe e skate. A companhia tem grande expertise no apoio ao esporte, seja com patrocínio ou com prestação de serviços de telecomunicações em grandes competições realizadas no país. O incentivo da Oi a projetos esportivos é estratégico para a companhia e reforça a importância do esporte como ferramenta de transformação. Em 2016, a companhia já patrocinou os Jogos Cariocas de Verão e o Oi Bowl Jam de skate. Ano passado, a Oi também patrocinou o Circuito Brasileiro Oi Super Surf e o Oi Rio Pro, a etapa brasileira do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour (CT). Além disso, a Oi patrocina os surfistas brasileiros de destaque na WSL: Gabriel Medina, Filipe Toledo, Silvana Lima e Adriano de Souza, o Mineirinho, atual campeão do mundo. O incentivo da Oi a projetos esportivos, principalmente de esportes urbanos é um dos pilares de investimento de patrocínios da companhia.