NewsAnditi Women's Pro

Silvana Lima estreia com vitória na temporada 2017

A brasileira Silvana Lima estreou com vitória na temporada 2017, que marca seu retorno a divisão de elite da World Surf League. A cearense é uma das poucas meninas que arriscam os aéreos nas baterias e foi voando que ela ganhou a sua primeira bateria no ano, passando para a quarta fase do QS 6000 Anditi Women´s Pro na Austrália. Na quinta-feira do tradicional Surfest Newcastle em Merewether Beach, sete sul-americanos também passaram da terceira fase e vão disputar classificação para as oitavas de final do QS 6000 Maitland and Port Stephens Toyota Pro, os brasileiros Alejo Muniz, Yago Dora e Jean da Silva, que farão uma bateria catarinense na Austrália, Jessé Mendes, Michael Rodrigues, Willian Cardoso e o argentino Santiago Muniz.

Silvana Lima puting her way to victory in her round three heat at the Anditi womens Pro Silvana Lima WSL / Grant Sproule

O primeiro QS 6000 do ano começou na segunda-feira com os brasileiros ganhando as quatro primeiras baterias. Uma delas foi conquistada pelo catarinense Willian Cardoso, que na quinta-feira conseguiu a primeira vitória verde-amarela no segundo confronto do dia. O jovem paulista Samuel Pupo também estava nele, mas terminou em terceiro lugar, sendo eliminado junto com o australiano Jack Freestone pelo francês Marc Lacomare. Willian agora vai disputar as duas primeiras vagas para as oitavas de final com o australiano Reef Heazlewood e uma das novidades do CT esse ano, o havaiano Ezekiel Lau.

Duas baterias após a vitória de Willian Cardoso, o cearense Michael Rodrigues e o paulista Jessé Mendes fizeram uma dobradinha brasileira sobre o neozelandês Ricardo Christie e o japonês Shun Murakami, um dos destaques do primeiro dia nas ondas de Merewether Beach. Michael vai enfrentar dois australianos no terceiro confronto da quarta fase, Cooper Chapman e Nicholas Squiers. E Jessé entra na disputa seguinte com o francês Jorgann Couzinet e o novo top da elite do CT, Frederico Morais, de Portugal, número 3 no ranking do QS em 2016.

Alejo Muniz won his Round 3 Heat at the Maitland and Port Stephens Toyota Pro at Merewether Beach Alejo Muniz WSL / Tom Bennett

Na sexta bateria da terceira fase, o esquadrão sul-americano sofreu a segunda baixa, do peruano Juninho Urcia, que não achou as ondas e ficou em último. Aí a praia encheu para ver a grande atração do campeonato, Owen Wright, que voltou a competir depois da grave contusão sofrida durante o Billabong Pipe Masters de 2015. O australiano ficou mais de um ano se recuperando e começou bem, com vitória na sua bateria da segunda fase na terça-feira, com o pernambucano Luel Felipe passando junto com ele.

BATERIA CATARINENSE - Mas, na quinta-feira, Owen Wright foi eliminado por outro brasileiro, o catarinense Jean da Silva, na bateria vencida por outra novidade do CT 2017, o francês Joan Duru. Nos dois confrontos seguintes, dois brasileiros entraram para disputar duas vagas contra dois surfistas de outros países. E outro australiano foi barrado por um catarinense na vitória japonesa de Hiroto Ohhara, com Yago Dora ganhando a briga pela segunda vaga de Luel Felipe e de Soli Bailey, que defendia a liderança no ranking do QS em Newcastle.

Yago Dora Progressed through his Round 3 Heat at the Maitland and Port Stephens Toyota Pro at Merewether Beach in second spot. Yago Dora WSL / Tom Bennett

Já o ex-top do CT, Alejo Muniz, conquistou a terceira vitória brasileira da quinta-feira em Merewether Beach, mas o norte-americano Tanner Gudauskas impediu outra dobradinha verde-amarela superando o paulista Deivid Silva. Com a combinação dos resultados, uma bateria 100% catarinense acabou sendo formada na quarta fase, com Alejo Muniz, Yago Dora e Jean da Silva tendo que brigar por apenas duas vagas para as oitavas de final.

E as duas últimas serão disputadas pelo argentino Santiago Muniz, irmão mais jovem de Alejo, que venceu a bateria que fechou a terceira fase masculina na quinta-feira. Os próximos adversários de Santiago no Surfest Newcastle serão o experiente australiano Mitch Coleborn e uma das novidades no novo grupo dos top-34 que vai disputar o título do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour esse ano, o italiano Leonardo Fioravanti.

Owen Wright was elimintaed in Round 3 at the Maitland and Port Stephens Toyota Pro at Merewether Beach Owen Wright WSL / Tom Bennett

QS 6000 FEMININO - Logo após a terceira fase masculina, foi iniciada a igualmente terceira rodada do QS 6000 Anditi Women´s Pro com a estreia das cabeças de chave do primeiro grande evento do ano na Austrália. A competição feminina foi iniciada na quarta-feira com três sul-americanas disputando a segunda fase. A chilena Lorena Fica e a peruana Melanie Giunta terminaram em último lugar nas suas baterias. Já a também peruana Anali Gomez superou a costa-ricense Leilani McGonagle e a inglesa Peony Knight, para passar em segundo lugar no confronto vencido pela norte-americana Caroline Marks.

Na quinta-feira, Anali Gomez competiu junto com a brasileira Silvana Lima, que confirmou o favoritismo de campeã do ranking QS no ano passado. A cearense usou as manobras aéreas mais uma vez para derrotar suas primeiras adversárias do ano e a neozelandesa Paige Hareb acabou barrando a peruana, que terminou em 25.o lugar no Anditi Women´s Pro. A equatoriana Dominic Barona estreou no confronto seguinte, mas não achou as ondas e ficou em último, sendo eliminada pela americana Sage Erickson e a brasileira Carol Henrique, que participa do Circuito Mundial representando Portugal, onde mora há alguns anos.

Tatianna Weston Webb in her round three heat at the Anditi Womens Pro Tatianna Weston Webb WSL / Grant Sproule

Silvana Lima então é a única representante da América do Sul que continua na disputa do título do primeiro QS 6000 da temporada 2017. A cearense vai brigar por uma vaga nas oitavas de final na segunda bateria da quarta fase, contra a havaiana Mahina Maeda e a japonesa Nao Omura. As duas primeiras colocadas avançam e a terceira termina em 17.o lugar no campeonato, marcando 1.050 pontos no ranking do QS e recebendo 750 dólares de prêmio.

×
×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it