NewsRDS Pro Junior

RDS Pro Junior define títulos sul-americanos e equipe para Mundial Pro Junior

O catarinense Mateus Herdy, 16 anos, e a peruana Sol Aguirre, 14, são os novos campeões sul-americanos da categoria Pro Junior da WSL South America, para surfistas profissionais com até 18 anos de idade. Os títulos foram conquistados com as vitórias no RDS Pro Junior em homenagem a Ricardo dos Santos na Guarda do Embaú, sobre o saquaremense João Chianca e a defensora do título sul-americano, Tainá Hinckel, que competia em casa. O evento promovido pelos amigos de Ricardinho - Adriano de Souza, Yago Dora e Lucas Silveira - também definiu o time sul-americano para disputar o título mundial Pro Junior da World Surf League em janeiro na Austrália. Além dos finalistas, também se classificaram o paulista Samuel Pupo e o peruano Jhonny Guerrero.

Mateus Herdy - RDS Pro Junior Mateus Herdy WSL / William Zimmermann

"Eu vim para cá justamente para conquistar essa vaga", disse Mateus Herdy, que no ano passado foi vice-campeão sul-americano, perdendo a final no Peru para o paulista Weslley Dantas. "Foi essencial ter vindo para cá no início da semana para treinar e manter o ritmo, pois isso se refletiu nas baterias. Depois de conseguir a vaga, tudo ficou mais leve, fiquei mais tranquilo e isso também influenciou na final. Todos estão surfando muito bem, então eu sabia que tinha que escolher as ondas boas e surfar o meu melhor. Estou feliz que deu tudo certo".

"Estou muito emocionada, pois não esperava tudo isso", disse Sol Aguirre. "Estou muito contente pelo título, pela classificação para a Austrália e por ganhar esse evento em memória ao Ricardo do Santos. Eu não o conheci, mas meu papai me contou sua história e ele é uma lenda. Eu estava bem nervosa na semifinal, pois todas as competidoras eram muito fortes e eu queria muito essa vaga pro Mundial. Eu consegui e isso me estimulou ainda mais para a final com a Tainá (Hinckel), que é uma surfista incrível. Estou muito feliz pela vitória e por poder representar o Peru no Mundial".

Sol Aguirre - RDS Pro Junior Sol Aguirre WSL / William Zimmermann

A peruana foi a primeira a conquistar o título e a missão dela era a mais difícil, pois enfrentava a surfista local da Guarda do Embaú, que tinha toda a preferência da torcida que encheu a praia no domingo. Tainá Hinckel ainda era a atual campeã sul-americana e Sol Aguirre nem competiu no evento do Peru em San Bartolo no ano passado, quando a catarinense conquistou o título. Ambas têm apenas 14 anos e serão as representantes da América do Sul na Austrália.

Sol Aguirre começou bem a decisão, tendo sorte de pegar uma onda boa para manobrar forte e ganhar nota 8,25. Nenhuma outra onda com a mesma qualidade entrou na bateria e essa nota decidiu a vitória para a peruana. Tainá ainda tentou tirar notas mais altas com manobras mais fortes, mas as ondas não ajudavam e Sol Aguirre ganhou o troféu de primeira campeã do RDS Pro Junior em homenagem a Ricardo dos Santos, por 11,85 a 8,80 pontos.

Tainá Hinckel - RDS Pro Junior Tainá Hinckel WSL / William Zimmermann

"Infelizmente, não consegui pegar boas ondas para vencer o título sul-americano de novo, mas é incrível poder ir para a Austrália disputar o Mundial outra vez", disse Tainá Hinckel. "Eu não fui bem no ano passado lá, mas estou disposta a treinar muito para dar o meu melhor para conquistar esse título. Claro que eu queria vencer o RDS Pro Junior por ter o nome do Ricardo dos Santos e ser em minha terra, mas estou muito feliz com esta classificação".

As vagas para o time sul-americano feminino, que vai disputar o Mundial Pro Junior da World Surf League, foram decididas nas semifinais. Na primeira batalha, a carioca Luara Thompson não conseguiu achar as ondas numa hora difícil do mar e só somou 3,75 pontos nas duas notas computadas. A local da Guarda do Embaú, Tainá Hinckel, começou bem com nota 5,00 e ganhou fácil por 8,65 a 3,75 pontos. A briga pela segunda vaga foi mais disputada, mas a brasileira Louisie Frumento só completou uma onda com mais manobras e a peruana Sol Aguirre conseguiu duas para vencer por 8,75 a 6,30 pontos.

Carolina Bonelli - RDS Pro Junior Carolina Bonelli WSL / William Zimmermann

CATEGORIA MASCULINA - Os meninos com até 18 anos de idade conseguiram tirar notas bem mais altas nas baterias do que as meninas, desde as decisivas quartas de final que formaram o time sul-americano para o World Surf League Junior Championship 2017 na Austrália. Eles fizeram os recordes do RDS Pro Junior nas ondas de 2-3 pés do domingo na Praia da Guarda. O catarinense Mateus Herdy usou os aéreos para liquidar seus adversários, mas também apresentou um surfe de borda moderno com manobras progressivas para conquistar o título sul-americano que lhe escapou no ano passado. Na grande final, ele ganhou notas 8,67 e 8,50 para superar o saquaremense João Chianca por 17,17 a 14,83 pontos.

"Estou muito feliz pelo resultado. Não consegui vencer o campeonato, mas ganhei a vaga pro Mundial, que era o que eu mais queria", disse João Chianca. "Eu tive uma bateria apertada para conseguir a vaga e meu coração estava quase saindo pela boca. Agora vamos para a Austrália e vou treinar muito para representar bem o meu país. A gente não precisa ganhar todos os campeonatos e tirei um peso das costas com a conquista da vaga. O que viesse depois pra mim seria lucro e o Mateus (Herdy) surfou bem, então mereceu a vitória".

Mateus Herdy - RDS Pro Junior Mateus Herdy WSL / William Zimmermann

VAGAS NO MUNDIAL - Curiosamente, os três brasileiros classificados para o Mundial Pro Junior da World Surf League, que será disputado na primeira semana de janeiro na Austrália, Mateus Herdy, João Chianca e Samuel Pupo, estavam com uma viagem marcada para o domingo à noite ainda, para surfar e treinar na Indonésia. As quatro vagas no time masculino foram decididas nas quartas de final. Na primeira disputa, Mateus Herdy passou pela revelação do RDS Pro Junior, Ryan Kainalo, de apenas 14 anos de idade, por uma larga vantagem de 15,50 a 8,85 pontos, somando notas 8,25 e 7,25.

Na bateria seguinte, a batalha foi bem mais acirrada e o peruano Jhonny Guerrero conquistou a classificação para as semifinais e a vaga para o Mundial na onda que surfou no último minuto e valeu nota 7,40. Com ela, sacramentou a vitória sobre o paulista Eduardo Motta por 15,15 a 13,25 pontos. Depois, Guerrero não teve muitas chances contra Mateus Herdy nas semifinais, com o catarinense garantindo a primeira vaga na grande final com as notas 7,5 que recebeu nas duas primeiras ondas que surfou na bateria. No entanto, Jhonny Guerrero já estava feliz por representar o Peru no próximo Mundial Pro Junior da World Surf League.

Jhonny Guerrero - RDS Pro Junior Jhonny Guerrero WSL / William Zimmermann

"Estou feliz com o meu rendimento e eu sabia que seria muito difícil conseguir a vaga, pois o nível dos brasileiros é muito alto", disse Jhonny Guerrero. "Mas, em nenhum momento eu perdi a fé, ficava pedindo a Deus para me dar boas ondas e Ele deu. É um sonho poder competir no Mundial Pro Junior da WSL na Austrália e queria agradecer aos brasileiros pela receptividade e pelas ondas maravilhosas da Guarda, que são perfeitas para treinar".

MELHOR APRESENTAÇÃO - Na terceira quarta de final, Samuel Pupo fez a melhor apresentação nos três dias do RDS Pro Junior em homenagem a Ricardo dos Santos na Guarda do Embaú. O irmão mais jovem do top do CT, Miguel Pupo, deu um show contra o amigo Vitor Ferreira, conseguindo pegar três ondas boas para mostrar toda a versatilidade do seu surfe. Ele acertou todas as manobras que arriscou para ganhar notas 7,00, 8,25 e 9,00 e fazer o maior placar do campeonato, 17,25 pontos, contra 11,85 do seu adversário.

Samuel Pupo - RDS Pro Junior Samuel Pupo WSL / William Zimmermann

"No ano passado, eu bati na trave, perdi nessa fase valendo vaga pro Mundial. E no ano retrasado também, mas agora finalmente eu consegui", disse Samuel Pupo. "Essa vaga é muito importante para mim. Eu sempre quis ir pro Mundial Pro Junior da WSL e esse era o meu foco principal nesse evento. Eu tinha consciência do que precisava fazer e fui para cima. Uma vez conquistada a vaga, pude me divertir e estou satisfeito com o resultado".

O recordista absoluto do RDS Pro Junior perdeu a disputa pela segunda vaga na grande final para o saquaremense João Chianca, que no ano passado também ficou na rodada classificatória para o Mundial Pro Junior no Peru. Ele agora conseguiu, liderando a última quarta de final desde o início. O cearense Cauã Costa tentou a vitória arriscando os aéreos, mas só conseguiu sua maior nota na última onda que surfou - 6,00 - e já era tarde. João Chianca confirmou sua classificação para a Austrália por 12,00 a 10,10 pontos.

João Chianca - RDS Pro Junior João Chianca WSL / William Zimmermann

NOVA GERAÇÃO - Um total de 69 surfistas do Brasil, Argentina, Chile e Peru, participou da homenagem ao surfista Ricardo dos Santos promovida pelos seus amigos, Adriano de Souza, Yago Dora e Lucas Silveira, que se uniram para realizar a única seletiva sul-americana para o Mundial Pro Junior da World Surf League em 2017. O RDS Pro Junior começou com 51 concorrentes ao título masculino e dezoito inscritas na categoria feminina. Os maiores nomes de mais uma nova e promissora geração do surfe brasileiro, competiram na Guarda do Embaú e o evento foi um sucesso, enchendo a praia no domingo.

"Valeu demais, foi inesquecível, uma linda vibe. Que dure para sempre", disse a mãe de Ricardinho, Luciene dos Santos, que marcou presença com toda a família no domingo, entre eles os irmãos João e Martin, que também emocionou os presentes na hora do pódio, quando entregou um dos prêmios. "Sinto falta dele, mas levo ele no coração e sei que ele está muito feliz com tudo o que aconteceu aqui neste fim de semana", disse Martin.

RDS Pro Junior RDS Pro Junior WSL / RDS Pro Junior
×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it