WSL / Matt Dunbar
NewsRip Curl Pro Bells Beach

Mais seis brasileiros avançam no Rip Curl Pro Bells

Depois de três dias parado por falta de ondas, o Rip Curl Pro Bells Beach retornou na segunda-feira em boas condições para competir nas séries de 4-5 pés em Winkipop, na gelada região de Victoria, no sul da Austrália. Foram realizadas as três baterias restantes da primeira fase e as quatro da primeira rodada eliminatória masculina, além das duas primeiras fases do feminino. Mais seis brasileiros se classificaram, os novatos na elite, Deivid Silva e Peterson Crisanto, estrearam com vitórias, Willian Cardoso passou em segundo lugar na sua primeira participação e Michael Rodrigues e Caio Ibelli fizeram uma dobradinha na segunda fase. No feminino, Tatiana Weston-Webb foi uma das melhores do dia e passou direto para as oitavas de final.

VICTORIA, AUSTRALIA - APRIL 22: Deivid Silva of Brazil advances directly to Round 3 of the 2019 Rip Curl Pro Bells Beach after winning Heat 10 of Round 1 at Bells Beach on April 22, 2019 in Victoria, Australia. (Photo by Matt Dunbar/WSL via Getty Images) Deivid Silva WSL / Matt Dunbar

Com os resultados da segunda-feira, o Brasil chega na terceira fase com dez surfistas e três duelos verde-amarelos acabaram sendo formados na segunda rodada eliminatória do Rip Curl Pro Bells Beach, que vale vagas para as oitavas de final. O primeiro acontece logo na segunda bateria, entre o paranaense Peterson Crisanto e o cearense Michael Rodrigues. Na quinta, o ainda recordista de pontos do campeonato, Filipe Toledo, enfrenta o também paulista Caio Ibelli, que está substituindo o contundido Adriano de Souza na Austrália.

Depois, tem dois confrontos seguidos entre Brasil e Austrália, entre o estreante Deivid Silva e Wade Carmichael na oitava bateria e do bicampeão mundial Gabriel Medina com Reef Heazlewood. O outro duelo brasileiro é logo após essas duas baterias, na décima, entre dois catarinenses, Willian Cardoso e Yago Dora. Já os dois potiguares competirão com surfistas de outros países, Jadson André contra o bicampeão mundial John John Florence na 12.a bateria e Italo Ferreira defendendo o título do Rip Curl Pro Bells Beach e a liderança do ranking contra o australiano Jack Freestone na 13.a.

VICTORIA, AUSTRALIA - APRIL 22: William Cardoso of Brazil  advances directly to Round 3 of the 2019 Rip Curl Pro Bells Beach after placing second in Heat 11 of Round 1 at Bells Beach on April 22, 2019 in Victoria, Australia. (Photo by Matt Dunbar/WSL via William Cardoso WSL / Matt Dunbar

PRIMEIRAS VITÓRIAS - A segunda-feira começou com os dois estreantes na "seleção brasileira" vencendo suas primeiras baterias na divisão de elite da World Surf League. Na primeira do dia, o paulista Deivid Silva só surfou três ondas para derrotar o taitiano Michel Bourez por 10,67 a 10,60 pontos, com o australiano Reef Heazlewood ficando em último com 10,34. Dois brasileiros entraram no confronto seguinte e perderam para o havaiano John John Florence. Na briga pela segunda vaga direta para a terceira fase, Willian Cardoso superou o paulista Jessé Mendes por pouco, 7,67 a 7,53 pontos.

O paranaense Peterson Crisanto estreou na bateria que fechou a primeira fase e só surfou as duas ondas que são computadas nos resultados. A melhor foi a última que valeu 5,87 e a sua primeira vitória no CT por 10,87 pontos. O japonês Kanoa Igarashi passou em segundo com 10,46 e o australiano Mikey Wright ficou em terceiro com 9,33. No novo formato implantado esse ano, nessas duas primeiras rodadas de baterias com três competidores, os dois primeiros colocados se classificam. Os últimos da fase inicial ainda têm uma segunda chance de avançar na primeira rodada eliminatória das etapas.

VICTORIA, AUSTRALIA - APRIL 22: Michael Rodrigues of Brazil advances to Round 3 of the 2019 Rip Curl Pro Bells Beach after winning Heat 4 of Round 2 at Bells Beach on April 22, 2019 in Victoria, Australia. (Photo by Matt Dunbar/WSL via Getty Images) Michael Rodrigues WSL / Matt Dunbar

ELIMINATÓRIAS - Ela aconteceu logo após a primeira fase feminina e três brasileiros disputaram as últimas vagas para a terceira fase. Na penúltima bateria, Jessé Mendes foi eliminado em 33.o lugar no Rip Curl Pro Bells Beach por menos de meio pontinho de diferença. Ele enfrentou dois australianos e Mikey Wright lhe tirou o segundo lugar na última onda, que valeu nota 4,50 para superar o brasileiro por 11,50 a 11,46. Reef Heazlewood venceu totalizando 12,67 pontos.

Já a disputa pelas duas últimas vagas para a terceira fase, terminou com a primeira dobradinha brasileira nas ondas de Winkipop. O cearense Michael Rodrigues fez a melhor apresentação do evento e aumentou o recorde de nota do Rip Curl Pro Bells Beach para 8,50, batendo o 8,27 de Filipe Toledo na quinta-feira. Michael venceu por 12,83 pontos e o paulista Caio Ibelli também surfou bem uma onda que valeu 6,17 para passar em segundo lugar com 11,07, contra 7,64 do francês Joan Duru, eliminado em último lugar no segundo desafio do ano na Austrália.

VICTORIA, AUSTRALIA - APRIL 22: Caio Ibelli of Brazil advances to Round 3 of the 2019 Rip Curl Pro Bells Beach after placing second in Heat 4 of Round 2 at Bells Beach on APRIL 22, 2019 in Victoria, Australia. (Photo by Matt Dunbar/WSL via Getty Images) Caio Ibelli WSL / Matt Dunbar

MENINAS EM AÇÃO - Antes das primeiras baterias eliminatórias dos homens, foi realizada a primeira fase da categoria feminina. As melhores estreias foram das duas surfistas que decidiram o título do Rip Curl Pro Bells Beach no ano passado, mas uma novata na elite também brilhou nas ondas de Winkipop na segunda-feira. O primeiro destaque foi a heptacampeã mundial e defensora do título, Stephanie Gilmore, que atingiu imbatíveis 15,50 pontos com notas 7,83 e 7,67 nas duas melhores que surfou na terceira bateria.

Na disputa seguinte, a jovem californiana Caroline Marks entrou vestindo a lycra amarela do Jeep Leaderboard por ter vencido a primeira etapa na Gold Coast, mas a estreante no grupo das top-17 da World Surf League, Brisa Hennessy, roubou a cena. A única representante da Costa Rica na elite mundial massacrou uma direita com manobras fortes e os juízes deram nota 8,33 para a melhor apresentação do dia entre as meninas. Brisa totalizou 13,90 pontos para derrotar duas americanas, com Caroline também passando direto para as oitavas de final com 12,74 e Courtney Conlogue tendo que disputar uma bateria extra na segunda fase.

VICTORIA, AUSTRALIA - APRIL 22: Tatiana Weston-Webb of Brazil  advances directly to Round 3 of the 2019 Rip Curl Pro Bells Beach after winning Heat 5 of Round 1 at Bells Beach on April 22, 2019 in Victoria, Australia. (Photo by Kelly Cestari/WSL via Gett Tatiana Weston-Webb WSL / Kelly Cestari

No confronto seguinte, a gaúcha Tatiana Weston-Webb, vice-campeã do Rip Curl Pro Bells Beach em 2018, mostrou a potência do seu backside nas direitas de Winkipop para receber a segunda maior nota da primeira fase e somou o 8,00 com 6,00 para vencer por 14,00 pontos. A australiana Macy Callaghan avançou em segundo com 12,10 e a havaiana Malia Manuel também teve que encarar a repescagem que fechou a segunda-feira na Austrália.

O próximo desafio da brasileira Tatiana Weston-Webb será justamente contra a costa-ricense Brisa Hennessy. As duas vão disputar a última vaga para as quartas de final do Rip Curl Pro Bells Beach. Quem passar, irá enfrentar a vencedora do duelo da número 1 do Jeep Leaderboard, Caroline Marks, com a australiana Bronte Macaulay. A partir de agora, todos os confrontos são eliminatórios até a decisão do título da segunda etapa do World Surf League Championship Tour na Austrália.

World Surf League
Download it for free on the App store. Download it for free on Google Play.
Download
Download