- WSL / Pascal Rosales

Com a previsão de ondas bem maiores para o fim de semana no point break de direitas de Montañita, na sexta-feira só foram realizadas as seis baterias que restavam para fechar a segunda fase masculina do Corona Open Montañita Surf City apresentado por Hyundai New Tucson 2022 no Equador. Apesar das ondas pequenas, alguns surfistas mostraram o seu potencial e Santiago Muniz até bateu um recorde do seu irmão, Alejo. Ele aumentou de 14,50 para 14,75 a maior pontuação desta etapa do WSL Qualifying Series, que marca a volta do Equador ao Circuito Mundial Profissional, depois de 15 anos.

Montañita - Ecuador - Corona Montañita Open presented by Hyundai New Tucson 2022 Visual de Montañita - WSL / WSL LATAM

"Estou muito feliz porque Deus me mandou boas ondas, que, apesar de pequenas, estão bem divertidas e consegui surfar bem as direitinhas", disse Santiago Muniz, que compete como argentino, enquanto seu irmão representa o Brasil, onde eles moram desde crianças. "Estou contente também pelo Equador estar fazendo uma etapa do QS. A América do Sul está precisando de mais eventos do Circuito Mundial e é muito bom ter uma etapa aqui. Eu já conhecia o Equador, mas é a primeira vez que venho a Montañita e as ondas são muito boas. A previsão é de que vão subir, então estou feliz por passar pra próxima fase".

Santiago Muniz - Corona Montañita Open presented by Hyundai New Tucson 2022 Santiago Muniz depois de bater o recorde de pontos no Equador - WSL / Pascal Rosales

A bateria que Santiago Muniz fez um novo recorde de pontos foi a penúltima da sexta-feira. Ele começou bem, achando uma boa direita para fazer uma série de manobras com pressão e velocidade, para largar na frente com nota 7,75. Ainda conseguiu pegar outra onda boa, com o mesmo potencial, repetindo a dose com um forte ataque nos pontos mais críticos para receber nota 7,00 e totalizar 14,75 pontos. O brasileiro Edgard Groggia passou junto com ele, eliminando dois equatorianos, José Loor e Carlos Gonçalves.

Um total de quatorze surfistas do Brasil competiu nas seis baterias da sexta-feira e só metade avançou para a terceira fase. Antes da derrota dupla do Equador, o surfista local de Montañita, Alex Suarez, tinha derrotado três brasileiros, João Ricardo e os eliminados Eduardo Motta e Uriel Sposaro. Alex foi o terceiro surfista do Equador a passar para a terceira fase, com Jonathan Zambrano e Snaider Parrales se classificando na quinta-feira.

Alex Suarez - Corona Montañita Open presented by Hyundai New Tucson 2022 O equatoriano Alex Suarez em casa derrotando três brasileiros - WSL / Pascal Rosales

"Estou muito emocionado, feliz e bem focado. Eu venho trabalhando forte há alguns meses e consegui aplicar o que tenho aprendido nesta bateria", disse Alex Suarez, que nunca tinha participado de uma etapa profissional da World Surf League. "Foi muito treinamento, com fé, perseverança e um campeonato desse nível era muito esperado. Estes eventos motivam para seguir adiante e estou feliz por ter feito bem meu trabalho. Agora é focar na próxima fase".

Depois dessa etapa do QS 1000 em Montañita, tem outra no Equador começando na quarta-feira, o Corona Open Salinas Surf City apresentado por Hyundai New Tucson 2022. Estes dois eventos decidem os dez homens e as cinco mulheres indicados pelo ranking da WSL Latin America, para competir nas etapas do Challenger Series que definirão as vagas para completar a elite do World Surf League Championship Tour de 2022.

Dois surfistas que estão na lista dos dez competiram na sexta-feira e foram eliminados em suas estreias no Corona Open Montañita Surf City, o brasileiro Rafael Teixeira e o uruguaio Marco Giorgi, que perdeu nas ondas surfadas nos minutos finais do último confronto do dia. Essa bateria teve o resultado mais surpreendente, com o panamenho Luis Lopez passando em primeiro lugar e o chileno Gustavo Dvorquez em segundo.

Luis Lopez - Corona Montañita Open presented by Hyundai New Tucson 2022 O panamenho Luis Lopez foi a grande surpresa do dia - WSL / Pascal Rosales

SEIS PAÍSES - Os confrontos da sexta-feira fecharam a lista dos 32 classificados para a terceira fase e surfistas de seis países seguem na disputa do título do QS 1000 de Montañita. A maioria é do Brasil, com 19 concorrentes contra três do Equador, três da Argentina, três do Peru, três do Chile e a grande surpresa do Panamá. O ainda recordista de nota (8,25), Alejo Muniz, está na primeira das oito baterias, com o também brasileiro Robson Santos, o equatoriano Snaider Parrales e o peruano Gabriel Arturo Vargas.

Já o seu irmão, o novo recordista de pontos, Santiago Muniz, vai disputar as duas últimas vagas para a quarta fase com o panamenho Luis Lopez e dois brasileiros, Luan Hanada e João Ricardo. A participação da Argentina nas direitas do Equador merece destaque, pois três dos quatro inscritos seguem na briga, o classificado para as Olimpíadas, Leandro Usuña, na terceira bateria e Jose Gundesen na segunda. O outro atleta olímpico na terceira fase, é o peruano Lucca Mesinas na quarta bateria.

Matheus Navarro - Corona Montañita Open presented by Hyundai New Tucson 2022 O brasileiro Matheus Navarro tirou a maior nota da sexta-feira, 8,00 - WSL / Pascal Rosales

TÍTULO FEMININO - Na categoria feminina, são 16 surfistas de 7 países que seguem na briga do título, 5 do Brasil, 4 do Peru, 3 da Argentina, 1 do Havaí, 1 de Porto Rico, 1 do Panamá e Dominic Barona, do Equador. Elas estão divididas em quatro baterias, valendo duas vagas para as quartas de final em cada uma. A equatoriana vai competir na estreia do surfe como modalidade olímpica no Japão e está em sexto lugar no ranking da WSL Latin America, então tenta entrar no grupo das cinco indicadas para o Challenger Series.

Duas surfistas que também vão disputar as Olimpíadas de Tóquio 2020, estão no grupo das top-5, a líder Daniella Rosas e a brasileira Silvana Lima, que ocupa a quinta posição. Daniella está na terceira bateria com a número 3 do ranking e também peruana Sol Aguirre, a argentina Lucia Indurain e a brasileira Julia Duarte. Dominic entra no confronto seguinte com a brasileira Taina Hinckel e duas peruanas, Melanie Giunta e Arena Vargas. E Silvana está na última com a quarta do ranking, Josefina Ané, a também argentina Coco Cianciarulo e a panamenha Andrea Vlieg.

O Corona Open Montañita Surf City apresentado por Hyundai New Tucson 2022 no point break de Montañita, está sendo transmitido ao vivo da Província de Santa Elena pelo www.worldsurfleague.com e www.wsllatinamerica.com e pelo aplicativo grátis da World Surf League. A primeira chamada do sábado será as 8h00 no Equador, 10h00 no Brasil, para as duas categorias.

World Surf League
Download it for free on the App store. Download it for free on Google Play.
Download
Download