Rip Curl Pro Argentina

Campeão do Rip Curl Pro Argentina Será Decidido Neste Sábado

WSL South America

English and Spanish version below, please scroll down

Apesar do prazo até domingo, a etapa que abre o calendário 2016 da WSL South America será encerrado neste sábado para aproveitar a melhor condição do mar prevista para o fim de semana na Playa Grande. Entre os dezesseis classificados para o último dia, os únicos que podem acabar com a invencibilidade dos brasileiros na quarta edição do WSL Qualifying Series em Mar del Plata, são os argentinos Leandro Usuna e Martin Passeri, o australiano Jacob Willcox, o sul-africano Dylan Lightfoot, o peruano Cristobal de Col e o chileno Manuel Selman.

O sábado decisivo do Rip Curl Pro Argentina será iniciado às 10h00 com a rodada classificatória para as quartas de final, quando os duelos passam a ser no sistema homem a homem. A relação dos dez brasileiros que vão buscar mais uma vitória em Mar del Plata, como Jihad Khodr em 2013, Alex Ribeiro em 2014 e Robson Santos em 2015, é encabeçada pelo ainda recordista absoluto do campeonato com nota 9,0 e 16,50 pontos, Flavio Nakagima. Ela continua com os destaques da sexta-feira, Wesley Santos e Marcos Correa, os campeões brasileiros Messias Felix e David do Carmo, o campeão sul-americano Pro Junior, Luan Wood, e Caetano Vargas, Samuel Igo, Yagê Araujo e Victor Mendes.

Flavio Nakagima (BRA) - Rip Curl Pro Argentina Flavio Nakagima (BRA) - WSL / Maxi Marinucci

Assim como vem acontecendo desde o primeiro dia do Rip Curl Pro Argentina, iniciado na quarta-feira com 82 surfistas de nove países, os brasileiros também se destacaram com as melhores apresentações da sexta-feira de ondas de 2-3 pés em Biologia, na Playa Grande. Marcos Correia foi o primeiro a conseguir uma nota no critério excelente - 8,9 - para vencer sua bateria ainda pela segunda fase da competição por 15,15 pontos. Depois, ele voltou ao mar no penúltimo confronto do dia e venceu de novo para seguir invicto na disputa do título em Mar del Plata, que vale um prêmio de 8.000 dólares, 1.500 pontos para o ranking mundial do WSL Qualifying Series e 1.000 para o ranking regional sul-americano da WSL South America.

"Minha estratégia era pegar bastante onda, porque o mar está difícil, um pouco mexido. Eu já vinha fazendo essa estratégia desde minha primeira bateria aqui e deu certo de novo", disse Marcos Correa, após a sua primeira das duas vitórias na sexta-feira. "Eu comecei bem a bateria com um 6,25, depois eu consegui uma onda superboa de backside para tirar 8,90. Eu estou com uma prancha muito boa para esse tipo de mar, mexido assim como hoje (sexta-feira), é pequena e boa para virar mais rápido, então estou superfeliz com ela".

Wesley Santos (BRA) - Rip Curl Pro Argentina Wesley Santos (BRA) - WSL / Maxi Marinucci

Ninguém superou a nota 8,90 de Marcos Correia na sexta-feira, mas o também paulista Wesley Santos aumentou o seu placar de 15,15 pontos para 16,25 com as notas 8,25 e 8,00 que conseguiu para vencer o segundo confronto da terceira fase. A outra vaga da bateria ficou com o também brasileiro Caetano Vargas, que superou o peruano Alonso Correa por uma pequena vantagem de 11,80 a 11,60 pontos, com Jeronimo Vargas ficando em último.

"Estou muito feliz por ter conseguido duas notas excelentes. Estou bem confiante e Graças a Deus eu peguei umas ondas boas ali para mostrar o meu surfe e soltar minhas manobras", disse Wesley Santos. "Eu estou usando a mesma prancha em todas as minhas baterias aqui, uma 5'9'' feita pelo Scott Anderson da Califórnia e agradeço muito a ele porque a prancha está mágica: ‘thanks Scott, the best board of my life' (risos)".

DOBRADINHA GRINGA - Já as primeiras vagas para o último dia do QS 1500 Rip Curl Pro Argentina foram conquistadas pelos dois únicos surfistas de outros continentes que conseguiram passar para a terceira fase. O brasileiro Raphael Seixas pegou a primeira onda boa da bateria, largando na frente com nota 7,25 e só perdeu a liderança quando o australiano Jacob Willcox conseguiu um 5,30 na sua última para somar com o 7,00 da terceira.

Dylan Lightfoot (ZAF) - Rip Curl Pro Argentina Dylan Lightfoot (ZAF) - WSL / Maxi Marinucci

Mas, o sul-africano Dylan Lightfoot reagiu no final e garantiu a vitória com as manobras que arriscou em sua última onda, que arrancaram nota 8,25 dos juízes. Ele tinha acabado de tirar um 6,65 e venceu por 14,90 pontos, com o australiano completando uma dobradinha gringa com 12,30, contra 12,15 do brasileiro Raphael Seixas, eliminado junto com o argentino Facundo Arreyes.

"A minha bateria anterior foi meio lenta e tive que lutar muito para avançar. Mas, eu me senti bem melhor nessa e estou amarradão", disse o sul-africano, Dylan Lightfoot. "Eu não pensei que ia surfar tantas direitas, por isso é necessário ter uma estratégia diferente para cada bateria. No meu freesurf de manhã, encontrei umas direitas boas, então eu sabia que poderia pegar uma nota boa na bateria se conseguisse uma. E eu achei ela no final, mas não imaginava que seria uma nota tão alta (8,25), então fico mais feliz ainda porque ela me garantiu a vitória".

Jacob Willcox (AUS) - Rip Curl Pro Argentina Jacob Willcox (AUS) - WSL / Maxi Marinucci

ÚNICO PERUANO - Os donos da casa chegaram com cinco surfistas para disputar classificação para as finais do Rip Curl Pro Argentina, mas Marcelo Rodriguez e Joaquin Juarez também foram barrados como Facundo Arreyes. Rodriguez teve que brigar pela segunda vaga da bateria para o compatriota Leandro Usuna, na disputa vencida pelo peruano Cristobal de Col. Os irmãos Alonso e Sebastian Correa vinham sendo os destaques do Peru desde a primeira fase, mas já haviam sido eliminados e Cristobal foi o único a avançar para o sábado.

"As condições do mar estão um pouco difíceis e eu quis ficar ativo, tentando conectar as ondas até o ‘reform' no inside. Eu só queria mandar duas manobras boas e fiquei feliz pelo resultado", disse Cristobal de Col. "Já faz um bom tempo que eu não participava de competições, então para mim aqui foi como começar do zero. Rola uma pressão para conseguir um bom resultado, mas estou me sentindo bem, a prancha está boa, então está tudo tranquilo".

ÍCONE ARGENTINO - O outro argentino que se classificou foi o veterano Martin Passeri, um dos primeiros surfistas do seu país a disputar o Circuito Mundial. Ele liderou praticamente toda a bateria contra três brasileiros bem mais jovens e só no final foi ultrapassado por Marcos Correa, com Cainã Barletta e Lucas Chianca saindo da briga do título em Mar del Plata.

Martin Passeri (ARG) - Rip Curl Pro Argentina Martin Passeri (ARG) - WSL / Maxi Marinucci

"Esse campeonato internacional é muito importante para a nossa cidade e para o surfe nacional da Argentina", destacou Martin Passeri. "É incrível ver tantos talentos da nova geração virarem atletas profissionais. E se um surfista da casa consegue um bom resultado, incentiva ainda mais para eles treinarem forte para conseguirem também. Surfistas como o Leandro (Usuna), o Marcelo (Rodriguez), conquistaram seus melhores resultados no QS aqui, então isso significa muito. Estou realmente feliz por estar competindo em casa contra alguns dos melhores surfistas do mundo".

VAGAS NAS QUARTAS DE FINAL - No sábado, Martin Passeri vai enfrentar mais dois brasileiros, Messias Felix e Samuel Igo, além do peruano Cristobal de Col na terceira batalha por vagas para as quartas de final do Rip Curl Pro. A primeira do dia, marcada para começar as 10h00 na Playa Grande, terá mais dois brasileiros, Yagê Araujo e o recordista de pontos da sexta-feira, Wesley Santos, enfrentando ao sul-africano Dylan Lightfoot e ao chileno Manuel Selman. Na segunda bateria serão mais três, o ainda recordista absoluto do campeonato, Flavio Nakagima, Caetano Vargas e Victor Mendes, contra Jacob Willcox. Além do australiano, o argentino Leandro Usuna também vai encarar três brasileiros na disputa pelas duas últimas vagas para as quartas de final, David do Carmo, Marcos Correa e Luan Wood.

Cristobal de Col (PER) - Rip Curl Pro Argentina Cristobal de Col (PER) - WSL / Maxi Marinucci

A Champion Will Be Crowned on Saturday at the QS 1500 Rip Curl Pro Argentina

Ten Brazilians will try to maintain the hegemony of victories in Mar del Plata against two surfers from Argentina, one from Australia, one from South Africa, one from Peru and one from Chile.

Despite moderate onshore winds and an irregular swell, the jetty at Biologia, Playa Grande, still provided waves with plenty of scoring opportunities on Day 3 of the World Surf League QS 1500 Rip Curl Pro Argentina in Mar del Plata. Competition plowed through another 16 heats as Round 3 was concluded on Friday.

Wave selection was crucial on Friday as punchy waves in the 2-3 foot (1 meter) range littered the lineup. While some surfers were in sync with the incoming sets, others were left out to dry. One surfer who had no trouble finding scores in the excellent range was Wesley Santos (BRA), who advanced directly into Round 4 after winning Heat 2 of Round 3.

Santos began his barrage by scoring an 8.25 on his first wave and followed with an 8.00 for the highest heat total of the event, a 16.25. Caetano Vargas (BRA) also advanced behind Santos, eliminating Alonso Correa (PER) and Jeronimo Vargas (BRA) from competition.

Manuel Selman (CHL) - Rip Curl Pro Argentina Manuel Selman (CHL) - WSL / Maxi Marinucci

"It feels so amazing to get two excellent scores. I feel really confident and thankful that I found some great waves and got to throw some big maneuvers," claimed Santos. "I've been using a 5'9" made by Scott Anderson. It's the same board I've been using in all of my heats. Thanks Scott, it's the best board I've ever had!"

Dylan Lightfoot (ZAF) was another standout surfer in Round 3. He began the heat slowly and earned a 6.65 on his best ride, but in the final minute, Lightfoot destroyed a righthander putting together a combination of powerful turns and finalized with an air-reverse for a high-score of 8.25, equaling Santos' efforts. Jacob Wilcox (AUS) had been leading for the entirety of the heat up until that point, but still advanced behind Lightfoot.

"My previous heat was a bit slow, so I had to battle. I felt really good in this heat, so I'm stoked," declared Lightfoot. "I wasn't expecting to catch a bunch of rights, but that's why you need a different strategy for every heat. In my freesurf this morning I caught a couple rights, so I knew that if I needed a score I would look for a right. But I didn't know I'd get such a good score."

Leandro Usuna (ARG) - Rip Curl Pro Argentina Leandro Usuna (ARG) - WSL / Maxi Marinucci

Cristobal de Col (PER) is the only surfer left from Peru at the Rip Curl Pro Argentina as he continued his assertive performance with a win in Heat 5 of Round 3. Advancing in 2nd place was Leandro Usuna (ARG), who is one of the most promising surfers to recently come out of Argentina.

"Well conditions are a little difficult. I wanted to stay active and tried to connect the waves into the reform. But at the same time I didn't really have a lot of expectations. I just wanted to do two big turns and I'm pleased with how things turned out," said De Col, who recently returned to competition after recovering from an injury.

"It's been a while that I haven't competed so it's a little like starting all over," continued De Col. "You feel some pressure to do well, but I felt good on my board, so it's cool."

Martin Passeri (ARG), the veteran surfer from Argentina is a pioneer, becoming one of the first surfers from his country to compete in international events. He was delighted to be surfing in front of his home crowd and was overjoyed with the fact that he advanced into Round 4.

"This is such an important international contest for our city and for Argentine surfing," remarked Passeri. "It's great to see such amazing talent coming from our groms and then watch them turn into professional athletes. And if one of our surfers does well, it gives everyone else here incentive to train hard and get good results too. Surfers like Marcelo (Rodrigues) and Leandro (Usuna); their first best results on the QS were gotten here, so that means a lot."

Victor Mendes (BRA) - Rip Curl Pro Argentina Victor Mendes (BRA) - WSL / Maxi Marinucci

"I've got two really good boards with me and I've been able to show some power on the waves. I have to, because these kids are surfing so fast and throwing so much water. But I'm just happy to be competing at home against some of the best surfers in the world," concluded Passeri.

Due to the forecast showing deteriorating conditions, the Rip Curl Pro Argentina will conclude tomorrow. A call is set for 10:00 am local time for the start of Round 4. From the Quarterfinals onward, competition will be reduced from 4-man to man-on-man heats. The winner of the event will take home U$ 8,000 in prize money and 1,500 Qualifying Series ranking points. An additional 1,000 points will be given to the WSL South America Regional Surfer with the best result at the contest.

Dia 3 del Rip Curl Pro y mucho mas del mejor surf en Playa Grande

QS 1500 Rip Curl Pro Argentina - Playa Grande - Mar del Plata

Con algo de viento fresco, un poco de sol pero por sobre todo buenas olas, comenzó la tercera jornada del QS 1500 Rip Curl Pro Argentina en Playa Grande, Mar del Plata. El evento que ya se ha transformado en un clásico, reparte U$ 25.000 en premios y 1500 puntos para el ganador entre los 82 competidores anotados. Desde bien temprano se completaron los 8 heats restantes de la segunda ronda con los siguientes competidores que pasaron a la tercera fase.

ROUND 3 - Son 8 heats y 32 competidores en la tercera ronda. Ya para esta instancia no hay margen de error, el nivel de los que pasan de ronda pide una exigencia superior con la mayoría de olas por encima de los 7 puntos como en las destacadas actuaciones del Sudraficano Dylan Lightfoot y los brasileros Hizunome Bettero (aunque no le sirvió para pasar su heat) y Wesley Santos con olas de 8.25 puntos cada uno.

Wesley Santos comentó luego: "Estoy muy contento, hice un muy buen trabajo en el agua con dos 8 y espero seguir haciendo 2 ochos en cada serie para llegar a la final. Le agradezco mucho a mi familia y a Dio. Voy a seguir con un fuerte entrenamiento para mejorar cada día más"

Palabras de Flavio Nakagima: "Es una competencia muy importante, es mi cuarta vez en Argentina y me gusta mucho. Esta vez el viento y las olas están muy fuertes y espera tener una buena competencia como lo vengo haciendo porque necesito los puntos y los vine a buscar"

Palabras de Cristobal de Col: "Estoy muy contento por el resultado, las olas estuvieron complicadas pero lo importante es no perder la fe. Estoy feliz de estar en Mar del Plata"

Palabras de Lele Usuna: "Cambie la tabla porque con el viento las olas estaban más chicas, creo que eso fue clave para lograr un mejor trabajo. Este campeonato es un gran show, quiero seguir construyendo este camino y como siempre con la felicidad de estar surfeando con mis colegas aquí"

Palabras de Messias Felix: "Arranque muy nervioso porque no encontraba pegar olas, pero por suerte con un 8 y un 5 sume lo suficiente para pasar lo que me pone muy feliz. El agua me hace acordar y se parece mucho al agua del sur de Brasil" y destacó "hace más frio afuera que adentro del agua"

Palabras de Marcos Correa: "Estoy muy contento en primer lugar, las olas fueron muy difíciles pero la anteúltima la pude remontar por suerte y justifico el fuerte entrenamiento que vengo realizando para lograr esto"

Martin Passeri es el más veterano de los competidores con 41 años. Un verdadero ejemplo de competidor, una leyenda viva que sigue demostrando que la edad es solo un dato y que prevalece por encima de ello el entrenamiento, la conducta, la dedicación y el compromiso por el surf.

Palabras de Martín Passeri: "Hay remar mucho, buscar olas en un mar que no está parejo, cada competidor puede llegar a correr entre 12 y 13 olas pero hay que saber elegir y aprovechar al máximo siempre al límite entre riesgo y el control. Esta playa es mi casa y estar acá junto a los mejores del mundo es un verdadero gusto"

Quizás el heat más cerrado, con una definición sobre el final y 3 de los 4 competidores en menos de 2 puntos de diferencia.

Palabras de David do Carmo: "Estoy muy cansado pero muy contento también, fue muy difícil buscar las olas ya que sabia que el heat tenía a compañeros brasileros que les está yendo muy bien también y que están en un gran nivel".

Un sudafricano Dylan Lightfoot, un peruano Cristobal de Col, un australiano Jacob Willcox, un chileno Manuel Selman se suman a los brasileros Marcos Correa, Luan Wood, Wesley Santos, Yage Araujo, Victor Mendes, Flavio Nakagima, Caetano Vargas, Messias Felix, David do Carmo y Samuel Igo de Souza y a los créditos locales, los argentinos Leandro Usuna y Martin Passeri.

Con estos resultados finalizamos el día a puro surf. Fueron 8 horas intensas con sólidas olas y competidores que quieren llevarse el premio mayor.

NOVEDAD EN EL ENTORNO DEL EVENTO - SE PRESENTÓ LA MAQUINA LIMPIA PLAYAS

Ayer por la tarde en Biología Club, precisamente en el bar Mr. Jones, se presentó en conferencia de prensa una excelente noticia, la máquina limpia playas BARBER SURF RAKE. Si bien como todos los que amamos las costas sabemos claramente que debemos tirar nuestros residuos, esta máquina va a ser utilizada para complementar esta tarea y levantar todo elemento residual que quede mezclado con la arena. Colillas de cigarrillos, sorbetes, tapitas de bebidas, pedazos de bolsas y sobres de condimentos son algunos de los tantos elementos que contaminan el suelo. Estuvieron presentes en la conferencia los representantes de la firma BARBER, junto a Roberto Perdigao de la WSL, Gustavo Huici por Surfrider Foundation y Gastón Caminatta de la Fundación YO AMO A MI PLAYA.

Cada uno ofreció palabras de felicitación y coincidieron con la importancia de seguir con inversiones que ayuden a que tanto las playas como los mares y océanos se cuiden y protejan para el disfrute de esta como las próximas generaciones.

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it