NewsRDS Pro Junior

RDS Pro Jr. começa com sucesso e carregado de emoção na Guarda do Embaú

Começou nesta sexta-feira na reserva mundial de surf da Guarda do Embaú a primeira edição do RDS Pro Jr., única seletiva sul-americana para a final do Mundial de Pro Junior que classifica quatro meninos, duas meninas e homenageia o maior nome que a região já produziu no esporte: o eterno Ricardinho dos Santos.

Antes de falar das baterias, vale a pena destacar a emoção que permeou o primeiro dia de atividades com a presença de todos os amigos e familiares de Ricardinho. O ponto alto (e mais emocionante) foi a presença surpresa do irmão mais novo do surfista, de 12 anos, Martin, disputando a bateria de número 15, a mesma do mais novo campeão mundial amador, o argentino Nacho Gundesen.

Pedro Dib - RDS Pro Junior Pedro Dib WSL / RDS Pro Junior

A presença de Martin foi mais uma homenagem ao irmão, sem compromisso com resultados. Mesmo assim, ele se dedicou para fazer bonito: "Lembrei de umas dicas que meu irmão me deu e estou muito feliz em ver esse lugar cheio de gente que gostava dele", conta Martin. A mãe de Ricardinho e Martin, Luciene, era só sorrisos. "Está tudo muito especial, do jeito que ele gostaria que fosse", destacou.

Falando da competição em si, os organizadores trataram de cumprir o máximo possível de baterias, uma vez que a previsão do tempo indica chuva para o sábado: os meninos cumpriram a primeira rodada enquanto as meninas completaram as oitavas-de-final.

Entre os classificados, nenhuma surpresa. Na parte dos garotos, quem destruiu foi Samuel Pupo, dono da melhores nota (8,75) e média (15,50) do dia. "É bom começar com boas notas. Isso dá mais confiança para o resto do campeonato. Hoje o mar amanheceu um pouco diferente dos últimos dias, está pior, mas mesmo assim tem boas ondas. Fiquei feliz de fazer essa nota excelente. Deu para sentir que o meu surfe está bom e os juízes estão gostando", afirma.

Mateus Herdy - RDS Pro Junior Mateus Herdy WSL / William Zimmermann

Da "turma dos gringos", destaque para Nacho Gundesen, que, apesar de ser argentino, fala português fluente e se sentiu em casa na Guarda. "Fazia uns cinco anos que não surfava aqui. A onda é irada, tem força e vai dar condição para todos os atletas desenvolverem o seu surfe. Estou feliz por ter passado minha bateria e agora é focar na próxima", conta. Além dele, o conterrâneo Juan Ruggiero e o peruano Jhonny Guerrero Yuri seguem vivos na competição entre os estrangeiros.

Mas outros surfistas também fizeram bonito: os brasileiros Mateus Herdy, Ryan Kainalo, Pedro Dib, Leo Casal, Lucas Vicente, Kauê Germano, Leonardo Barcelos, Cauã Costa, Vitor Ferreira, João Chianca e Wallace Vasco (em uma disputa acirrada com Daniel Templar) venceram suas baterias.

Tainá Hinckel - RDS Pro Junior Tainá Hinckel WSL / RDS Pro Junior

Da parte das meninas, seis brasileiras se classificaram para as quartas: Tainá Hinckel, Rafaela Coelho, Yanca Costa, Luara Thompson, Louisie Frumento e Carol Bonelli. Acompanhando elas nas quartas estão a argentina Catalina Mercere e a peruana Sol Aguirre. "Pegamos ondas muito boas de tarde e foi ótimo correr o evento o quanto a gente podia neste primeiro dia.

Dos 69 inscritos, 38 seguem na competição que tem prosseguimento neste sábado com a primeira chamada às 7h30 (de Brasília).

×
World Surf League
Official App
Free – Google Play
Get it