As meninas fizeram bonito no segundo dia do Billabong apresenta LayBack Pro na Praia Mole de Florianópolis. Elas abriram a quinta-feira e ninguém conseguiu superar as marcas da peruana Daniella Rosas na primeira bateria do dia, nota 8,33 e 14,33 pontos. A grande surpresa foi a eliminação de outra atleta olímpica, Silvana Lima, por Monik Santos e Karol Ribeiro. Depois das 8 baterias da primeira fase do QS 1000 feminino, foram realizadas mais 16 da terceira fase do QS 3000 masculino, definindo os adversários dos principais cabeças de chave desta nova etapa do WSL Qualifying Series em Florianópolis. Eles vão estrear nesta sexta-feira, a partir das 8h00 na Praia Mole, ao vivo pelo WorldSurfLeague.com.

Layback Pro presented by Billabong Layback Pro presented by Billabong - WSL / Marcio David

As ondas baixaram um pouco na quinta-feira, com algumas ainda apresentando boa formação para fazer as manobras. A peruana Daniella Rosas começou bem na primeira bateria, largando na frente com notas 5,00 e 6,00, antes de arrancar a maior nota dos dois primeiros dias do Billabong apresenta LayBack Pro. Ela atacou forte uma boa onda que valeu 8,33, superando a nota 8,00 do também peruano Miguel Tudela na quarta-feira.

Daniella e Miguel representaram o Peru na estreia do surfe nas Olimp√≠adas de T√≥quio 2020 no Jap√£o. Na briga pela segunda vaga para a segunda fase, a catarinense Marina Rezende superou as jovens Maya Carpinelli e Bruna Carderelli. Marina √© uma das tr√™s √ļnicas participantes, que disputaram a √ļltima etapa do WSL Qualifying Series realizada na Praia Mole, 11 anos atr√°s.

Daniella Rosas - Layback Pro Daniella Rosas fez os recordes da quinta-feira na Praia Mole - WSL / Marcio David

"As condi√ß√Ķes do mar est√£o um pouco dif√≠ceis, mas consegui encontrar duas ondas boas para passar a bateria em primeiro lugar", disse Daniella Rosas, "Estou superfeliz, porque a Marina (Rezende) passou junto comigo. Eu conhe√ßo ela h√° bastante tempo e feliz tamb√©m por estar aqui no Brasil competindo. Essa √© a minha primeira vez em Florian√≥polis, ent√£o estou supercontente em estar conhecendo um pouquinho mais do Brasil".

Na segunda bateria, veio a primeira das tr√™s √ļnicas vit√≥rias brasileiras nas oito baterias da primeira fase do QS feminino do Billabong apresenta LayBack Pro. Todas em confrontos 100% verde-amarelos. A bicampe√£ sul-americana Pro Junior da WSL Latin America em 2016 e 2019, Tain√° Hinckel, catarinense da Guarda do Emba√ļ, ganhou a segunda bateria e uma estreante em etapas do WSL Qualifying Series passou em segundo lugar, Isabelle Nalu.

"√Č sempre bom competir e principalmente em Floripa, onde disputei meu primeiro QS na Joaquina. √Č muito massa estar aqui na Praia Mole agora e fico muito feliz por ter passado em primeiro", disse Tain√° Hinckel. "Esse tempo sem campeonatos por causa da pandemia, deu uma mudan√ßa no ritmo, ent√£o que bom estar de volta competindo, sentindo a adrenalina novamente. O mar est√° bem dif√≠cil, mas consegui achar duas ondinhas para vencer minha primeira bateria, o que foi legal para me dar mais confian√ßa".

Taina Hinckel - Layback Pro Tainá Hinckel conquistando a primeira vitória brasileira na quinta-feira - WSL / Marcio David

Na terceira bateria do dia, a peruana Arena Rodriguez Vargas derrotou tr√™s brasileiras, duas delas competindo pela primeira vez numa etapa do WSL Qualifying Series. A Alexia Monteiro ficou em √ļltimo, mas Laura Raupp superou a mais experiente Julia Duarte na briga pela segunda vaga. A florianopolitana de apenas 15 anos de idade, faz parte da equipe de surfistas patrocinados pela LayBack Beer, marca criada pelo medalhista ol√≠mpico no skate, Pedro Barros.

"Foi irado e eu estava bem nervosa, porque é o meu primeiro campeonato mundial da vida, então estou muito feliz por ter passado pelo primeiro rounde", disse Laura Raupp. "Agora é focar na próxima bateria, corrigir os erros e ir com tudo pro segundo rounde. O mar estava bem difícil hoje, meio mexido, meio sem parede, mas tem umas ondas boas e consegui achar uma junção ali, que foi bem legal para passar a bateria".

Laura Raupp - Layback Pro Laura Raupp passando sua primeira bateria no Circuito Mundial da WSL - WSL / Marcio David

ATLETAS OL√ćMPICAS - Na categoria feminina do Billabong apresenta LayBack Pro, quatro surfistas competiram nas Olimp√≠adas de T√≥quio 2020 no Jap√£o esse ano. Assim como a peruana Daniella Rosas, a equatoriana Dominic Barona tamb√©m estreou com vit√≥ria na quarta bateria. No entanto, na disputa seguinte, uma das favoritas ao t√≠tulo em Florian√≥polis, Silvana Lima, n√£o passou da sua estreia na Praia Mole.

A duas vezes vice-campe√£ mundial tentou a classifica√ß√£o at√© o √ļltimo minuto, por√©m n√£o conseguiu superar Karol Ribeiro e foi eliminada junto com a jovem Yasmin Dias. A vencedora da bateria foi a pernambucana Monik Santos, que, assim como Silvana Lima, participou da √ļltima etapa do WSL Qualifying Series disputada na Praia Mole em 2010.

"Nossa, é muito gratificante estar aqui novamente. Eu já morei aqui em Floripa e está sendo muito legal essa oportunidade de competir aqui de novo depois de tanto tempo", disse Monik Santos. "Foi uma bateria de alto nível e, graças a Deus, consegui pegar duas ondas boas e surfei bem pra passar pro próximo rounde. Espero conseguir um bom resultado aqui".

Monik Santos - Layback Pro Monik Santos vencendo a bateria que eliminou Silvana Lima - WSL / Marcio David

MEDALHISTA OL√ćMPICA - A outra atleta ol√≠mpica era Sky Brown, a inglesa que ganhou medalha de bronze na final do skate park no Jap√£o. Ela faz parte da equipe de surfe da Billabong e era uma das nove participantes do LayBack Pro que estavam estreando em etapas do WSL Qualifying Series na Praia Mole. Sky estava at√© se classificando, mas cometeu um erro no final e terminou em √ļltimo. A peruana Sol Aguirre confirmou o favoritismo e a brasileira Julia dos Santos passou em segundo lugar, barrando a chilena Paloma Santos.

"Tem sido muito divertido pra mim aqui no Brasil. Tenho surfado bastante e andado muito de skate tamb√©m", disse Sky Brown. "√Č impressionante como tem pistas de skate aqui em Floripa. Essa foi a minha primeira vez competindo de verdade em um evento de surfe. Apesar de ter cometido uma interfer√™ncia, foi legal disputar uma bateria e achei que foi uma √≥tima experi√™ncia. Estou bem feliz por ter competido e por ter vindo para Florian√≥polis".

Sky Brown - Layback Pro Sky Brown disputando sua primeira etapa no Mundial de Surfe - WSL / Marcio David

TERCEIRA FASE MASCULINA - Depois da estreia das meninas, foram realizadas as 16 baterias da terceira fase do QS 3000 masculino. Na primeira, competiu uma das estrelas do Billabong apresenta LayBack Pro, o catarinense Mateus Herdy, semifinalista da etapa do CT no México e do WSL Challenger Series da França. Mateus começou com vitória e ninguém superou a nota 6,83 e os 12,93 pontos que ele totalizou. O paraibano Samuel Igo passou junto com ele, eliminando outros dois catarinenses, Heitor Mueller e Niccolas Padaratz.

"Faz uns 5 anos que eu n√£o competia aqui em Floripa, desde 2016, na minha primeira bateria quando eu virei profissional na Joaquina", recordou Mateus Herdy. "√Č muito tempo sem campeonato e √© muito bom pra toda comunidade do surfe ter um evento aqui todo ano. Independente da import√Ęncia dos pontos e tudo, ver todo mundo do estado, do Brasil, da Am√©rica do Sul, competindo aqui, √© muito irado. E ver a Layback ent√£o fazendo o evento, √© irado isso, deles realizarem esse sonho e tenho sorte de fazer parte dessa fam√≠lia".

Mateus Herdy - Layback Pro Mateus Herdy estreando no Billabong apresenta LayBack Pro - WSL / Marcio David

Com a classifica√ß√£o em primeiro lugar, Mateus Herdy vai enfrentar os primeiros cabe√ßas de chave da quarta fase do Billabong apresenta LayBack Pro. Ser√° o encontro dos dois √ļltimos campe√Ķes mundiais da categoria Pro Junior da World Surf League. Ele venceu o t√≠tulo de 2018 e o tamb√©m catarinense igualmente local da Praia da Joaquina, Lucas Vicente, o de 2019. Os dois v√£o disputar duas vagas contra dois paulistas, o top da elite do CT, Miguel Pupo, patrocinado pela LayBack como Herdy, e Wesley Leite.

ATLETAS OL√ćMPICOS - Depois da estreia vitoriosa de Mateus Herdy na quinta-feira, dois atletas ol√≠mpicos ganharam os confrontos seguintes. O peruano Miguel Tudela ainda det√©m o recorde de nota - 8,00 - do QS 3000 masculino e derrotou tr√™s brasileiros. Depois, o chileno Manuel Selman e o argentino Santiago Muniz barraram mais dois. Manuel √© um dos 27 participantes do Billabong apresenta LayBack Pro, que competiram a √ļltima etapa do WSL Qualifying Series na Praia Mole em 2010.

"√Č muito bom voltar a competir no Brasil, porque fazia muito tempo que eu n√£o vinha para c√°. A √ļltima vez que surfei na Praia Mole, foi quando o Gabriel Medina tinha 14, 15 anos. Mas, Floripa √© um lugar incr√≠vel e o melhor foi ganhar essa bateria", disse Manuel Selman. "Ainda n√£o saiu o calend√°rio de janeiro em diante, ent√£o ter dois campeonatos seguidos no Brasil √© muito importante para tentar se classificar pros WSL Challenger Series do ano que vem. As condi√ß√Ķes do mar est√£o dif√≠ceis, mas tem ondas e v√°rias oportunidades para surfar na bateria. A previs√£o √© de melhorar, ent√£o foi bom ter passado para a pr√≥xima fase".

Manuel Selman - Layback Pro Manuel Selman estreando com vitória na Praia Mole - WSL / Marcio David

ESTREIA DAS ESTRELAS - Os 32 classificados na quinta-feira, vão enfrentar as principais estrelas do Billabong apresenta LayBack Pro na quarta fase. Na lista dos 32 cabeças de chave, estão seis dos 11 titulares da "seleção brasileira" que disputou o World Surf League Championship Tour esse ano, bem como a maioria dos surfistas que estavam competindo nas etapas do WSL Challenger Series realizadas nos Estados Unidos, Portugal e França.

Um top do CT 2021 j√° vai abrir a quarta fase, Miguel Pupo, junto com os √ļltimos campe√Ķes mundiais da categoria Pro Junior, Lucas Vicente e Mateus Herdy. Na quarta bateria, tem Caio Ibelli, semifinalista da √ļltima etapa do QS na Praia Mole 11 anos atr√°s. Na oitava, estreia Yago Dora, o cabe√ßa de chave n√ļmero 1 do Billabong apresenta LayBack Pro. Na nona, entram o campe√£o mundial Adriano de Souza e Lucas Silveira, um dos atletas patrocinados pela LayBack. E o desfile das principais atra√ß√Ķes prossegue a cada bateria.

ATRA√á√ēES EXTRAS - A principal patrocinadora do Billabong apresenta LayBack Pro, a LayBack Beer, marca de cerveja criada pelo medalhista ol√≠mpico no skate, Pedro Barros, j√° patrocina v√°rios skatistas e surfistas, como Miguel Pupo do CT, Ian Gouveia, Thiago Camar√£o, Lucas Silveira e a jovem promessa Laura Raupp. O esp√≠rito LayBack nasceu em Floripa e suas vertentes - Casa Dipraia, Surf House, Basement, P√°tio, Mirante e Brewpub - se tornaram lugares de compartilhamento e viv√™ncia da cultura da marca pelo Brasil, enquanto apoia o skate, o surfe, a arte, a m√ļsica e o estilo de vida colaborativo.

Esse esp√≠rito estar√° presente nas v√°rias atra√ß√Ķes extra-competi√ß√£o programadas para todas as noites do Billabong apresenta LayBack Pro pela Ilha de Santa Catarina. Na quarta-feira (dia 10), o pico de encontro da galera foi na Casa Soulmar Floripa localizada no Bairro Rio Tavares. Na quinta-feira ser√° no Layback Basement na Praia Mole, na sexta-feira no John Bull Layback Brew Pub na Lagoa da Concei√ß√£o, no s√°bado no The Search House na Barra da Lagoa e no domingo novamente no John Bull Layback Brew Pub.

O LayBack Pro apresentado pela Billabong é uma realização da Federação Catarinense de Surf (FECASURF) com a Agência Esporte Arte (AEA) como co-realizadora e a licenciada pela WSL Latin America para promover uma etapa do WSL Qualifying Series, com patrocínios da Corona e GND Incorporadora e apoio da Prefeitura Municipal de Florianópolis, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, da Fundação Municipal de Esportes, do Hotel Selina Floripa, Associação de Surf da Praia Mole (ASPM) e do site Waves. A competição está sendo transmitida ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e pelo aplicativo da WSL.

World Surf League
Download it for free on the App store. Download it for free on Google Play.
Download
Download