Após quatro dias intensos de show de surfe na Praia Mole, os títulos do Billabong apresenta LayBack Pro serão decididos na manhã deste domingo em Florianópolis. No sábado de mar pesado, com ondas de 6 pés sólidos e muito correnteza, foram definidas as semifinais da etapa feminina do WSL Qualifying Series com status QS 1000 e as quartas de final do QS 3000 masculino. O cearense Michael Rodrigues e a catarinense Laura Raupp se destacaram com os recordes do dia, ambos recebendo nota 9,00, a maior de toda a semana. O domingo decisivo começa pelas quartas de final, as 8h00 na Ilha de Santa Catarina, ao vivo pelo WorldSurfLeague.com.

Os homens encararam as condições desafiadoras do mar duas vezes no sábado. Michael Rodrigues e os catarinenses Yago Dora e Willian Cardoso, ganharam as duas baterias que disputaram. Na segunda, Michael, que há muitos anos mora em Floripa, aumentou seu próprio recorde de nota de 8,50 para 9,00, numa direita que mandou um aéreo rodando perfeito e uma batida explosiva na junção. Ele e Yago Dora fizeram o maior placar do dia na segunda vitória deles, os mesmos 14,03 pontos, com o catarinense somando notas 7,53 e 6,50.

Michael Rodrigues - Layback Pro Michael Rodrigues - WSL / MARCIO DAVID

"Estou muito feliz em estar competindo onde eu treino todos os dias. É muito legal ter o apoio dos amigos, da família na praia, minha filha, minha mãe, que fazia muito tempo que não corria um campeonato com ela assistindo. Então, as coisas estão indo muito bem e estou feliz com isso", disse Michael Rodrigues, que conquistou sua única vitória da carreira em Florianópolis, em 2014, só que na Praia da Joaquina. "É difícil pensar na vitória ainda, porque todo mundo está surfando muito bem e, quando você tem os recordes, o alvo fica em você. Agora eu sou o alvo no evento e preciso tomar cuidado com isso. Eu só tô pensando na próxima bateria e quero continuar com o mesmo foco, de surfar bem cada onda que eu pegar".

Michael Rodrigues vai disputar a última vaga para as semifinais, com outro surfista nascido no Nordeste, que há muitos anos mora em Floripa como ele e sempre surfa na Praia Mole, o paraibano José Francisco. Fininho, como é conhecido, levantou a torcida que lotou as areias no sábado, com sua classificação na disputa vencida pelo catarinense Willian Cardoso. Os dois barraram um top da elite do CT 2021, Alex Ribeiro, além de Lucas Silveira, que mora em Portugal e veio ao Brasil especialmente para competir no Billabong apresenta LayBack Pro, promovido por um dos seus patrocinadores, a LayBack Beer.

José Francisco - Layback Pro José Francisco vai disputar a primeira quarta de final com Michael Rodrigues - WSL / MARCIO DAVID

QUARTAS DE FINAL - Outra coincidência entre Michael Rodrigues e José Francisco, é que ambos completaram 27 anos neste mês de novembro, nos dias 3 e 9, respectivamente. Já Willian Cardoso, tem 35 anos e vai enfrentar o paulista Samuel Pupo, 21, na terceira quarta de final. Outro confronto de gerações acontece na primeira bateria, entre o carioca Raoni Monteiro, 39 anos, e Eduardo Motta, 19. O vencedor vai disputar a primeira semifinal do Billabong apresenta LayBack Pro com quem passar do duelo do top do CT 2021, Yago Dora, 25 anos, com outro paulista, Robson Santos, 35.

Yago é o cabeça de chave número 1 desta nova etapa do Circuito Mundial da World Surf League, que está marcando o retorno da Praia Mole ao calendário do WSL Qualifying Series depois de 11 anos e da capital catarinense após 6 anos. Ele e Robson Santos passaram juntos na primeira bateria que disputaram no sábado, eliminando o catarinense Alejo Muniz e o baiano Marco Fernandez. Depois, Yago voltou a agitar o público na praia, quando derrotou três paulistas, Eduardo Motta, Renan Pulga e Hizunomê Bettero.

"O mar deu uma subida boa em relação a ontem (sexta-feira) e é muito bom quando tem ondas assim num evento. É um mar difícil, mas com ondas e estou feliz por ter conseguido pegar umas boas nas baterias que disputei hoje", disse Yago Dora. "É muito legal ver a galera enchendo a praia, vindo apoiar a gente. Eu estava com saudades de competir em casa e espero continuar neste ritmo. Agora, as baterias serão homem a homem e o jogo fica diferente. Quando são quatro surfistas, é difícil você marcar alguém, por exemplo, então a estratégia muda. Mas, com ondas boas assim, é só focar em surfar seu melhor".

Yago Dora - Layback Pro Yago Dora - WSL / MARCIO DAVID

NOVA GERAÇÃO - Na categoria feminina, dois duelos entre Brasil e Peru vão definir as finalistas do Billabong apresenta LayBack Pro. No sábado, as quartas de final foram formadas por dois confrontos somente entre surfistas do Brasil e outros dois só com peruanas. Na primeira bateria peruana, Arena Rodriguez Vargas, 16 anos, surpreendeu a atleta olímpica e atual campeã sul-americana da WSL Latin America, Daniella Rosas, 19.

A disputa seguinte foi entre duas surfistas da nova geração brasileira, que estavam estreando em etapas do WSL Qualifying Series, como Arena Vargas. A filha do famoso big-rider, Everaldo "Pato" Teixeira, Isabelle Nalu, de 14 anos de idade, largou na frente. Mas, Laura Raupp, 15 anos, que tem patrocínio da LayBack Beer, mostrou muita coragem para reverter a situação.

Arena Rodriguez Vargas - Layback Pro Arena Rodriguez Vargas - WSL / MARCIO DAVID

RECORDISTA DO QS 1000 - Primeiro, pegou uma esquerda que abriu o paredão e mandou um rasgadão de backside, que valeu nota 7,0. Logo depois, entrou numa esquerda que armou uma junção cavernosa e atacou com muita agressividade, para igualar a nota 9,0 de Michael Rodrigues. Os 16,00 pontos que Laura Raupp totalizou, só ficaram abaixo dos 16,30 que o cearense atingiu na sexta-feira, somando notas 8,50 e 7,80. Ela vai disputar a primeira semifinal do Billabong apresenta LayBack Pro com a peruana Arena Vargas.

"O mar está do jeito que eu gosto. Tem altas ondas e estou muito feliz em ter achado as ondas boas da bateria", disse Laura Raupp. "Foram ondas de uma manobra só, mas pegou na veia e os juízes gostaram, pelo jeito. O mar está muito difícil, com muita correnteza, mas tem altas ondas e estou muito feliz por ter avançado para as semifinais. Essa é a primeira etapa do QS que eu participo e a gente sempre sonha com isso, então vou partir pra cima amanhã, para tentar chegar na final e ganhar o evento".

Laura Raupp - Layback Pro Laura Raupp - WSL / MARCIO DAVID

No outro duelo verde-amarelo, a mais experiente, Summer Macedo, 21 anos, que estava competindo nas etapas do WSL Challenger Series realizadas nos Estados Unidos, Portugal e França, antes de vir para o Brasil, derrotou a irmã do tricampeão mundial, Sophia Medina, 17 anos. Summer já disputou duas etapas do WSL Qualifying Series na América do Sul esse ano, ambas no mês de junho no Equador e chegou nas finais das duas. Na primeira, em Montañita, perdeu o título para Silvana Lima e na segunda, em Salinas, para a peruana Daniella Rosas.

"Nunca vou esquecer daquelas finais. Tive duas chances de ganhar e não consegui, então estou pronta agora para tentar a vitória aqui", prometeu Summer Macedo. "Acho que o tempo que estou morando em Saquarema, me ajudou para surfar neste mar pesado daqui. Eu surfei nos dias grandes lá e a seleção das ondas era um fator importante hoje. Eu queria pegar as melhores e surfar bem elas, então estou orgulhosa pela minha performance".

Summer Macedo - Layback Pro Summer Macedo - WSL / MARCIO DAVID

Summer Macedo vai enfrentar a mais experiente entre as finalistas, Melanie Giunta, 24 anos, na disputa pela segunda vaga na decisão do título do Billabong apresenta LayBack Pro. A peruana ganhou a última etapa do WSL Qualifying Series realizada em Santa Catarina, em 2018 na cidade de São Francisco do Sul, no norte do estado.

KIZU INVITATION - Entre a sexta fase do QS 3000 masculino e as quartas de final do QS feminino, foi realizada a Kizu Invitation, com seis surfistas divididos em duas baterias. O surf adaptado foi uma alternativa criada para pessoas com algum tipo de deficiência e que desejavam surfar. Para isso, precisariam de uma adaptação dos equipamentos e de si mesmos. O Billabong apresenta LayBack Pro abriu espaço para eles mostrarem o seu surfe no sábado de mar pesado na Praia Mole, com ondas de 6 pés e muita correnteza. Para compensar um pouco, eles tiveram o auxílio dos jet-skies para atravessar a arrebentação.

Surf Adaptado - Layback Pro Paulo Renato Loreto, Fidel Teixeira e Derek Rabelo - WSL / MARCIO DAVID

O evento recebeu o nome de um dos participantes, Fellipe Kizu Lima, que sempre foi apaixonado pelo surfe e ficou tetraplégico quando tinha 18 anos de idade. O também famoso Derek Rabelo, nasceu com glaucoma congênito que tirou sua visão nos primeiros dias de vida e já surfou no Havaí, em Nazaré e vários picos de ondas grandes no mundo. Fidel Teixeira sofreu um acidente de moto e perdeu os movimentos do braço esquerdo. Henrique Saraiva começou a surfar de joelhos, após levar um tiro na coluna em um assalto. Luciano Nem é de Floripa e Paulo Renato Loreto surfa deitado, pois tem paraplegia após um acidente de carro.

O LayBack Pro apresentado pela Billabong é uma realização da Federação Catarinense de Surf (FECASURF) com a Agência Esporte Arte (AEA) como co-realizadora e a licenciada pela WSL Latin America para promover uma etapa do WSL Qualifying Series, com patrocínios da Corona e GND Incorporadora e apoio da Prefeitura Municipal de Florianópolis, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, da Fundação Municipal de Esportes, do Hotel Selina Floripa, Associação de Surf da Praia Mole (ASPM) e do site Waves. A competição está sendo transmitida ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e pelo app da WSL.

Layback Pro presented by Billabong Praia Mole lotada no sábado do Billabong apresenta LayBack Pro - WSL / MARCIO DAVID
World Surf League
Download it for free on the App store. Download it for free on Google Play.
Download
Download